Posts tagged ‘sindicalismo’

julho 1, 2016

Ministério do Trabalho indefere criação da Fenat

Dissidência de sindicatos postulantes não estava apta a organizar nova federação

read more »

Tags:
maio 23, 2016

[PodCast] Claudio Damasceno do Sindifisco Nacional fala à Band Rádio

Entrevista concedida à Rádio Bandeirantes

AspasANós temos diversas propostas, que já entregamos aos ministros anteriores e pretendemos entregar ao ministro Henrique Meirelles, que vão na linha de buscar recursos, mas, ao mesmo tempo de trazer a justiça fiscal para o nosso país. É porque a necessidade, de captar recursos, pela qual país passa hoje tem que ser também debatida sob o o prisma de quem deve pagar a conta.

JUSTIÇA FISCAL

É claro que a sociedade tem que pagar, todos nós temos que contribuir, mas, a grande verdade é que existem setores que pagam menos do que deveriam, muitas vezes sequer pagam, enquanto que a grande maioria, classe média, classe trabalhadora do país é que acaba suportando todo o ônus desse esforço.

read more »

fevereiro 25, 2016

Pra que serve um sindicato?

Hamilton Coimbra Carvalho

“Um erro muito comum em novas gestões é não estruturar um processo de decisão e de governança”

Para que serve um sindicato? Você, leitor deste Blog do AFR e auditor fiscal em algum lugar do Brasil, já se perguntou por que, a cada eleição, uma nova equipe entra cheia de promessas e esperança para, algum tempo depois, logo estar fazendo mais do mesmo?

O que vou argumentar brevemente neste artigo é que isso ocorre por: (1) falta de questionamento sobre os pressupostos de atuação de um sindicato; (2) falta de conhecimento de gestão; (3) falta de estruturação de um processo adequado de governança (isto é, tomada de decisões e responsabilização pelas ações) e de um processo de gestão estratégica; (4) o desconhecimento, na prática, sobre os efeitos do recurso mais limitado em uma organização, que é o tempo, atenção e a energia de seus dirigentes; (5) a atração fatal pela armadilha das falsas urgências.

Mas não vou me prender a um mero diagnóstico. Vou oferecer algumas sugestões de solução.

read more »

janeiro 16, 2016

Mensagem aberta ao novel Corpo Diretivo do SINAFRESP

edisonf2webpEdison Farah

16 de janeiro de 2016      

Meus preclaros colegas que hoje assumem os destinos do nosso Sindicato,

Desde  a fundação desta agremiação tenho insistido em transmitir princípios que devem nortear a ação dos que se dispõem a representar e defender nossa carreira.

Incisivamente, desde a assunção da diretoria eleita para o mandato 2006-2008 elenquei os princípios que devem nortear a representação classista dos funcionários responsáveis pela coisa pública nesta terra, precipuamente aqueles que abraçam as carreiras típicas de Estado, como é o caso da nossa carreira. Entendo, e afirmo reiteradamente que é dever das carreiras essenciais a defesa dos verdadeiros interesses do povo, e a afirmação da república, vez que nosso povo é deficiente em termos de cidadania.

read more »

Tags:
novembro 9, 2015

Políticos profissionais

jfrancisconewJoão Francisco Neto

“Convém ressaltar que o ambiente sindical também não está imune às mazelas dessa natureza”

Existe um tipo de político que nunca desiste, mesmo que sofra seguidas derrotas eleitorais. No fundo, o povo os vê com desprezo, tanto que, em linguagem popular, costuma-se dizer que não querem “largar o osso”.  Em geral, só param com a morte. Não é necessário citar o nome de nenhum deles, pois são figuras amplamente conhecidas por todos. Muitos já têm idade avançada e, por conta disso, vale perguntar: por que razão não abandonam de vez a atividade política, para cuidar de si mesmos e de seus interesses particulares?

Muitos desses homens passam um longo período da vida apenas na expectativa de retornar ao poder; outros se remoem, abatidos por seguidas derrotas eleitorais. Alguns, por já terem ocupado altas posições no governo, não conseguem encontrar um lugar confortável para passar o tempo, entre uma eleição e outra. Outros são como almas penadas no limbo, que amargam frustrações, invejando quem está no poder, justamente para onde desejam avidamente retornar. Para esses homens (e mulheres!), a vida se resume ao poder de um cargo político. O povo tem um nome para eles: são os “políticos profissionais”, que em períodos eleitorais reaparecem como fantasmas para a população […] Continue lendo

setembro 16, 2015

“Dirijentes” X Representantes

Rodrigo Guerra*

Aproveito o momento pré-eleitoral e a diminuição de mensagens nas redes sociais para “enfiar o dedo na ferida”. Adianto que não há crítica pessoal aqui, apenas espero que o MODO DE TRABALHO dentro de nossas instâncias sindicais aproveite a oportunidade que o momento atual oferece.

Vivemos num país cuja DEMOCRACIA ainda não é material. É comum um presidente eleito considerar que “ganhou” a eleição e isto lhe dá o “direito” de “dirigir” a sua BASE de eleitores. Mas o eleito, na verdade, é apenas um REPRESENTANTE. Aqui nasce uma diferença fundamental entre os anseios da BASE e o entregue pelos representantes eleitos, que por ser a BASE muito extensa, é virtualmente impossível saber o que cada indivíduo pensa. Em nível nacional, tudo bem. Mas em nível sindical, por mais que o total de filiados seja 30.000 mas com +- 5.000 votando na eleição mais votada, entendo que esta barreira operacional caiu. As REDES SOCIAIS facilitam enormemente a difusão de informação.

Todo processo deliberativo dentro do sindicato pode ser dividido em 4 etapas: [1] prospecção e difusão da INFORMAÇÃO; [2] DISCUSSÃO, iniciativa e desenvolvimento de PROPOSTAS; [3] DECISÃO e VOTO; [4] EXECUÇÃO e ACOMPANHAMENTO.

As REDES SOCIAIS dão um “turbo” em [1] e [2]. Agora, está aberta o que antes era concentração de INFORMAÇÃO e desenvolvimento de PROPOSTAS. Esta liberdade naturalmente assusta, especialmente porque as REPRESENTAÇÕES acabam sendo “gargalos” – visto que a BASE tem ampla vantagem em “mãos e cérebros” para circular a informação e discutir as propostas. Aqui é que os eleitos sindicalmente se dividem em dois grupos, diante desta realidade inexorável: “DIRIJENTES” e REPRESENTANTES […] Continue lendo

* Auditor fiscal da Receita Federal

março 13, 2015

Protegido: Resposta à Nota do Sinafresp

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

janeiro 10, 2015

Sindicato versus Facebook

Entidades precisam rever forma de atuação para representar profissionais mais críticos e conectados

No início de novembro, o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, no interior de São Paulo, anunciou uma greve geral por tempo indeterminado na principal unidade da Embraer, em São José dos Campos.

E, então, ocorreu o inusitado: descobriu-se que a maioria dos trabalhadores era contra a paralisação. No dia seguinte ao anúncio da greve, foi criada no ­Facebook uma página com o título “Sou Embraer e não estou em greve”. Nas primeiras 6 horas, 2 000 funcionários entraram no grupo, que chegou a 4 000 membros em dois dias. Na página, há postagens reclamando que:

o sindicato não ouviu o pessoal administrativo na votação da greve”

Para a socióloga Noêmia Lazzareschi, da PUC-SP, o episódio na Embraer reflete a falta de representatividade do sindicalismo brasileiro:

No Brasil, muitos sindicatos são vistos como trampolins para líderes que almejam uma carreira política

Na era das redes sociais, que criaram a possibilidade de os cidadãos se mobilizarem de forma ágil para defender seus interesses, a insatisfação com essas entidades tende a ficar mais evidente.

As velhas formas de sindicalismo estão ficando para trás […] Saiba mais

Leia também:

Sindicato tem linha direta com a categoria

Sindifisco Pará transmite AGE ao vivo

Comunicação é ferramenta de disputa de poder

Intolerância, decisões secretas e a classe fiscal

Sindicato & Representatividade

Tags:
dezembro 10, 2014

Apofps se encontram com Alckmin

Conversa se deu após reunião do Confaz* realizada na sede da Secretaria da Fazenda

Foi apresentada ao governador propostas de melhorias na gestão de recursos públicos, por meio dos trabalhos desenvolvidos pela carreira de Analista em Planejamento – APOFP com a finalidade de oferecer soluções efetivas para enfrentar o possível cenário fiscal adverso projetado para os próximos quatro anos nas finanças do Estado.

A Associação questionou o governador a respeito da lenta evolução funcional de 28 anos para que o analista chegue ao topo da carreira, conforme está previsto na Lei de criação do cargo […] Saiba mais

Confaz realiza 155ª reunião em São Paulo. No período de 4 a 5/12, no edifício-sede (Av. Rangel Pestana, 300)

Leia também:

[Charge] A carreira fiscal no divã…

Explicar o óbvio é mais fácil!

[Charge] da Série “Promessas de Campanha”

Cronologia do descaso

Um passo atrás com a reeleição de Alckmin…

Alckmin, Sinafresp e AFR’s

Tags:
novembro 30, 2014

Protegido: O Sinafresp e a censora de Ribeirão Preto

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

outubro 11, 2014

Um passo atrás com a reeleição de Alckmin…

teo.seminariog3

Teo Franco

…pelo estilo de governo e visão política que conhecemos

Com Alckmin reeleito no 1º turno e a oposição menor na Alesp (de 29 para 20 deputados), o futuro dos servidores públicos paulistas não será fácil. A máquina do governador (rolo compressor) na Assembleia Legislativa é conhecida há tempos, só é votado aquilo que o Palácio dos Bandeirantes determina. Até na esfera federal, podemos lembrar, a influência de Alckmin na Reforma da Previdência com a criação do famigerado subteto estadual, em 2003, criando duas categorias de servidores públicos, os do Judiciário com 90,25% do STF e o resto.

No último dia 5 de outubro, os eleitores se esqueceram das manifestações de rua de 2013 e só lembraram do rigor no combate à recente greve dos metroviários. O candidato da situação, recebeu nas urnas a aprovação confortável do seu atual governo. Nem a crise hídrica foi capaz de trazer risco à vitória no 1º turno.

No nosso caso, a (vaga) promessa do sr. governador, noticiada unicamente pelo canal oficial (sindicato), de rever o subteto salarial, além do ‘início dos estudos’ de pontos críticos da LC 1059, nos remetem à uma necessária reorganização de estratégia, com a obrigatória convocação de Assembleia Geral. De preferência, sem prescindir do apoio da Afresp, principalmente pela carência de interlocutores, com a ‘derrota’ do colega Gilson Barreto (elo político na histórica audiência no Morumbi), sem falar na não reeleição dos colegas dep. estadual Vitor Sapienza e dep. federal João Dado.

Enquanto isso, podíamos tentar mudar, ao menos, o nosso sindicalismo de gabinete, começando a debater as questões ‘menores’ do dia a dia, além das ‘emergentes’, em especial, a validade da polêmica e régia contratação de advogados externos ao departamento jurídico sindical.

Só a nossa disposição, maturidade e união poderá salvar 2015!

Leia também:

Cronologia do descaso

As castas de servidores públicos

Alckmin, Sinafresp e AFR’s

Quadro do absurdo abuso de poder sindical (requer senha)

AGE que seria parlamentar, foi pra lamentar

5 pontos para um sindicato forte

Projeto de Formação de Liderança Sindical

Tags:
outubro 8, 2014

Sindicato aponta ‘supostas condutas abusivas’…

extrag… de força tarefa

O Sinafresp informou que “tomou conhecimento de condutas supostamente abusivas” durante as diligências realizadas nas Delegacias Regionais Tributárias da Secretaria de Estado da Fazenda, no dia 10 de setembro.

Naquele dia, uma força tarefa do Ministério Público do Estado e da Corregedoria Geral da Administração (CGA) fez buscas nos escritórios das Delegacias Regionais Tributárias 1 e 2, ambas na Capital, e também na Delegacia de Guarulhos (Grande São Paulo), órgãos vinculados à Fazenda. Segundo Miriam Arado, presidente do sindicato:

apesar de apoiar ações que busquem apurar irregularidades, (o Sindicato) não admitirá qualquer atuação abusiva e violadora de direitos […] Saiba mais

(Título e matéria alterados no transcorrer do dia, pela fonte: Estadão.com)

Leia também:

MP apreende R$ 450 mil em três Delegacias Tributárias

ICMS – Desvendado esquema bilionário de sonegação

Operação Yellow – vazamento de informações

setembro 25, 2014

Protegido: A direção sindical, blogofobia e síndrome de nanismo

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

maio 27, 2014

Sindicato: tensão entre base e cúpula…

…filiados estão cansados da tutela sindical

Especialistas acreditam que haja uma distância entre trabalhadores e cúpulas sindicais, mais preocupadas com cargos em governos. Para o cientista político Rudá Ricci, a tensão que ocorre hoje entre base e a cúpula é resultado de um sindicalismo que se preocupou mais em se alinhar ao governo, ocupar cargos nas estatais e em incorporar pautas distantes do dia a dia dos trabalhadores. Essa transformação que ganha força no Brasil já ocorreu nos anos 1990 na Europa.

“O que vemos agora nas ruas é uma radicalização de movimentos, que tendem a se acentuar. Ainda é cedo para avaliar quem ganha e quem perde, mas as principais centrais sindicais vão reagir.” Para Ricardo Antunes, professor da Unicamp, a greve deve ser analisada no contexto de insatisfação crescente desde os protestos de 2013. Para Luiz Antonio Medeiros* o sindicalismo está atrasado:

Os dirigentes deviam prestar menos atenção em recursos [contribuições sindicais] e mais na corrente que vem de baixo […] Saiba mais

* ex-líder da Força e que hoje representa o Ministério do Trabalho em SP.

Leia também:

Sindicato fala da Campanha Salarial

Charge: Comu…nica…ção sindical

Governador vai receber sindicato

abril 30, 2014

Fisco mineiro. Queda de braço entre carreiras e atribuições

Pareceres de juristas renomados defendem polos envolvidos

Em busca de isonomia, o Sinffaz – Sindicato dos Técnicos em Tributação, Fiscalização e Arrecadação do Estado de Minas Gerais reclama que o secretário da Fazenda se nega a dialogar com a categoria dos Gestores do Grupo de Tributação, Fiscalização e Arrecadação. Do outro lado o Sindifisco – Sindicato dos Fiscais e Agentes Fiscais de Tributos do Estado de Minas Gerais declara ser contrário a projeto de lei que implique em invasão de atribuições e inserção de carreiras estranhas no Grupo de Atividades de Tributação, Fiscalização e Arrecadação.

Em fevereiro, o líder do Governo, deputado Lafayette de Andrada , apresentou o PL (Projeto de Lei Ordinária) nº 4894/14, sob a justificativa de uniformizar o quadro de servidores da Secretaria de Estado de Fazenda, encaminhando duas providências:

1 – a instituição da carreira de Técnico Fazendário (com nível superior de escolaridade, para figurar como via de unificação das atuais carreiras de Analista Fazendário de Administração e Finanças – Afaz) e de Técnico Fazendário de Administração e Finanças – Tfaz;

2 – a inclusão da nova carreira de Técnico Fazendário no Grupo de Atividades de Tributação, Fiscalização e Arrecadação […] Continue lendo

abril 24, 2014

Protegido: Caravana da demagogia tributária

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

Tags: