Posts tagged ‘relações políticas’

dezembro 19, 2014

Vale a pena ler de novo 2014

Cada categoria tem o sindicato que merece ou 
cada sindicato tem a categoria que merece?”

.

► 5 pontos para um sindicato forte […] Politização da classe: A experiência nos mostra que não basta o sindicalismo lutar pelas questões imediatas, econômicas e corporativas. Há a necessidade de se forjar um sindicalismo que politize a classe para o reconhecimento e a valorização do servidor. Sem um sindicalismo protagonista de participação política não haverá reavaliações estruturais […] Leia mais

 Estranhas relações […] Tudo isso aponta para algo que em outros tempos era visto como relações estranhas. Hoje, as relações públicas ou políticas se tornaram o principal elemento condutor estratégico para o avanço em qualquer demanda de uma categoria profissional […] Leia mais

► O rabo que abana o cachorro […] mas o verdadeiro líder, pode ser comparado ao regente de uma grande orquestra, que precisa fazer bom uso da batuta. Cabendo aos ouvintes do espetáculo avaliarem a música que a banda toca […] Leia mais

Leia também:

PLO do Subteto aprovado

Quadro do absurdo abuso de poder sindical (requer senha)

AGE que seria parlamentar, foi pra lamentar

Sinais de uma Eleição Sindical IX – O retorno da caixinha…

AGE pra quê? Vamos vender seguros!

Eleições Sinafresp. Gato por lebre (requer senha)

outubro 14, 2014

Alesp: Oposição será a menor desde 1998

PT, PC do B e PSOL elegeram apenas 18 deputados

Com um histórico de atuações apagadas diante de maiorias governistas, a oposição na Assembleia Legislativa de São Paulo terá espaço ainda mais reduzido para contrapor e fiscalizar um novo mandato do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Na nova legislatura, o PT foi o responsável pela redução da bancada de oposição: a sigla perdeu oito cadeiras.

Na avaliação do líder da bancada petista, João Rillo, a diminuição do espaço da sigla deveu-se a fatores como a “criminalização do PT” pelo PSDB durante a campanha:

Nós precisamos repensar o modelo de oposição na Assembleia Legislativa de São Paulo. É necessário dialogar mais com os diferentes setores da sociedade.

O ex-prefeito de Guarulhos (SP) Elói Pietá, que atuou como líder do PT durante a legislatura de 1999 a 2002, lembra que a oposição não conseguiu, naquela época, instaurar nenhuma CPI. Não se conseguia fiscalizar a fundo a administração estadual e não havia diálogo do governo paulista com a oposição. Não se conseguia instalar CPI nenhuma ao menos que a base aliada quisesse. Era um completo domínio do governo […] Saiba mais

Leia também:

Um passo atrás com a reeleição de Alckmin…

Cronologia do descaso

As castas de servidores públicos

Alckmin, Sinafresp e AFR’s

junho 15, 2014

Vale a pena ler de novo 2014 II

Cada categoria tem o sindicato que merece ou 
cada sindicato tem a categoria que merece?”

► Construindo pontes e abrindo caminhos […] Tanto na atuação interna como na externa, a liderança classista ao defender os interesses da entidade que representa, necessita buscar a solidificação da sua imagem através de comunicação competente capaz de transmitir a confiança necessária para a manutenção do relacionamento […] Leia mais

 Projeto de Formação de Liderança Sindical […] Para esse propósito devem concorrer ações como realização de  seminários, debates, plenárias e treinamentos para implementação do diagnóstico e aplicação das medidas efetivas do programa de formação […] Leia mais

► Liderança positiva e trabalho em equipe […] Liderar positivamente é internalizar esta magia no seio da equipe, de modo a contagiar toda a corporação. Todavia, a liderança positiva é um processo que deve começar na consciência do próprio líder. Portanto, aquele que deseja liderar deve primeiro ser líder de si mesmo […] Leia mais

Leia também:

Vale a pena ler de novo 2014

Quadro do absurdo abuso de poder sindical (requer senha)

AGE que seria parlamentar, foi pra lamentar

Sinais de uma Eleição Sindical IX – O retorno da caixinha…

Sinais de uma eleição sindical VI – Fim do ano dourado

Mais “Sinais de uma eleição sindical”

junho 13, 2014

Vale a pena ler de novo 2014

Cada categoria tem o sindicato que merece ou 
cada sindicato tem a categoria que merece?”

► 5 pontos para um sindicato forte […] Politização da classe: A experiência nos mostra que não basta o sindicalismo lutar pelas questões imediatas, econômicas e corporativas. Há a necessidade de se forjar um sindicalismo que politize a classe para o reconhecimento e a valorização do servidor. Sem um sindicalismo protagonista de participação política não haverá reavaliações estruturais […] Leia mais

 Estranhas relações […] Tudo isso aponta para algo que em outros tempos era visto como relações estranhas. Hoje, as relações públicas ou políticas se tornaram o principal elemento condutor estratégico para o avanço em qualquer demanda de uma categoria profissional […] Leia mais

► O rabo que abana o cachorro […] mas o verdadeiro líder, pode ser comparado ao regente de uma grande orquestra, que precisa fazer bom uso da batuta. Cabendo aos ouvintes do espetáculo avaliarem a música que a banda toca […] Leia mais

Leia também:

Quadro do absurdo abuso de poder sindical (requer senha)

AGE que seria parlamentar, foi pra lamentar

Sinais de uma Eleição Sindical IX – O retorno da caixinha…

AGE pra quê? Vamos vender seguros!

Desabafo pela união

Sinais de uma eleição sindical VII – Tudo ou nada!

maio 20, 2014

SP – Mobilização dos técnicos fazendários

sitesp-cat.ppSitesp se reúne com Clóvis Cabrera (CAT)

No último dia 12, o presidente do SITESP, Mauro de Campos, se reuniu com o coordenador da CAT, Clovis Cabrera, para tratar dos parâmetros iniciais dos estudos e definição das atribuições dos Técnicos da Fazenda Estadual no âmbito da CAT.

Campos também ressaltou a base da definição das atribuições dos TEFEs com parâmetros da PEC federal que define as carreiras da Administração Tributária, atividades típicas de Estado e Lei Orgânica da Administração Tributária (LOAT) visando à constituição e construção de uma proposta que assegure aos TEFES atribuições condizentes com a configuração do cargo […] Saiba mais

Leia também:

Alckmin se encontra com associação dos APOFPs

TEFE’s participam da reunião dos Delegados Regionais

PLC 50/2012 – Sitesp se reúne com Sefaz Adjunto

TEFE’s recebem alta cúpula da Sefaz

Técnicos fazendários pressionam Calabi

maio 15, 2014

Alckmin se encontra com associação dos APOFPs

Associação representa analistas e especialistas

Na noite de 13 de maio de 2014, o presidente da Associação dos Gestores Públicos do Estado de São (AGESP), Thiago Silveira, encontrou-se com o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, em evento realizado pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP).

Na oportunidade, o presidente da AGESP externou o reconhecimento pelo trabalho do governador na condução de uma administração moderna e comprometida com o Estado de São Paulo. Ressaltou também a importância para o Governo do Estado em poder contar com as Carreiras de Gestão (APOFP e EPP) consolidadas em seu quadro de servidores efetivos […] Saiba mais

Leia também:

TEFE’s participam da reunião dos Delegados Regionais

PLC 50/2012 – Sitesp se reúne com Sefaz Adjunto

TEFE’s recebem alta cúpula da Sefaz

Técnicos fazendários pressionam Calabi

Folha de S.Paulo cita resposta dos Técnicos Fazendários

abril 1, 2012

Pode discordar?

Os regimes totalitários são reflexos da mentalidade mesquinha dos seres humanos medíocres

Acabo de ver entrevista com o escritor Sérgio Faraco, autor do livro Lágrimas na Chuva, onde conta a sua dura experiência política partidária, a qual teve início com um convite para estudar em Moscou. A partir daí, ele embarcou em uma aventura  amarga e perigosa. Depois de uma série de conflitos com chefetes políticos ligados aos partidos brasileiros e soviéticos – incluindo o insólito episódio de repúdio ao rádio oficial, sem botão off, ligado 24 horas no alojamento – Faraco foi internado, à força, sob pesada bateria de medicamentos, numa clínica de “reeducação” russa.

O Brasil também passou por seu período sombrio, inaugurado em 31 de março de 1964, o qual deixou marcas profundas, até hoje não cicatrizadas, prova disso é o atual acirrado debate sobre a chamada Comissão da Verdade.

A intolerância, se faz presente nas radicalizações, onde a cada movimento mais forte de uma das partes, a outra – ou demais – se ressente e toma medida de igual peso, ou maior, para confrontar. Nas demais áreas da vida, incluindo associativas e sindicais, nas relações interpessoais, não é difícil de nos defrontarmos, quase que diariamente, com reações virulentas àqueles que manifestam opinião diversa daquela que é tida como “verdade” dominante.

Difícil é a arte do respeito ao pensamento divergente, dela nascem os autênticos democratas, e, porque não dizer os humanistas na melhor acepção da palavra.

TeoFranco

outubro 26, 2011

Como mudar o cenário?

OPINIÃO

Steve Jobs, o célebre visionário do século dizia que: “O consumidor não sabe o que quer, até o momento em que você mostre algo novo a ele”. Nas negociações entre servidores e governo podemos aplicar este princípio, despertando a vontade política da outra parte, para que esta passe a desejar um novo produto como resultado.

O governo paulista acaba de divulgar a eliminação do nível inicial das diversas carreiras da Polícia Civil, além de estabelecer promoção automática por antiguidade independente de vagas existentes nos quadros […] Leia mais

Em 1994 sucedeu algo semelhante na SEFAZ com a LC nº 790, de 29/12/1994 –

Artigo 7º — A partir de 31 de julho de 1994, os atuais Agentes Fiscais de Rendas Nível I ficam enquadrados no Nível II

GOVERNADOR: Luiz Antonio Fleury Filho (PMDB); SECRETÁRIO DA FAZENDA: Eduardo Maia de Castro Ferraz; PRESIDENTE DO SINAFRESP – 1992-1994: José Carlos Vaz de Lima – Fundador do SINAFRESP e Secretário Geral de 1990/91. Ao término desta gestão foi eleito Deputado Estadual pela legenda do PSDB. Fonte: SITE DO SINAFRESP (AFR – LEGISLAÇÃO DE PESSOAL – Normas Gerais e Específicas, pág. 70)

É um bom momento para reavaliarmos as estratégias nas relações e postura políticas buscando melhores e decisivos entes de negociação, deixando qualquer preconceito ou ideologismo contaminar essa etapa. De outra forma, NOVAS propostas e NOVOS projetos deveriam ser amplamente debatidos com a categoria visando o aperfeiçoamento de ideias dentre as inúmeras cabeças que a carreira dispõe. Sindicato não pode ser um cartório que expede e homologa preceitos. Deve ser aberto ao amplo e transparente debate. Firmeza e decisão sim, prepotência e vaidade não.

De nada adianta apitaços e demonstrações vazias de insatisfação se não vierem acompanhadas dos ingredientes citados acima. Deixemos as receitas antigas e bitoladas para aplicar a inteligência e perspicácia próprias dos que enxergam com maior amplitude.

TeoFranco

Leia tambémFábula do índio II – A revolta

julho 29, 2011

Vale a pena ler de novo

 Milho aos pombos […] Os dirigentes de um TIME que pretende participar de uma olimpíada esportiva, começam os preparativos com um bom planejamento tático, convocando os melhores atletas e propiciando um treinamento intensivo dos mesmos, sem esquecer do importante estímulo e motivação da torcida. Caso se apresente sem estes requisitos, dificilmente passará da primeira fase do campeonato […] Leia mais

 Estranhas relações […] Tudo isso aponta para algo que em outros tempos era visto como relações estranhas. Hoje, as relações públicas ou políticas se tornaram o principal elemento condutor estratégico para o avanço em qualquer demanda de uma categoria profissional […] Leia mais

Imagem & Ação […] Após 17 meses do último evento, em 14/10/2009, o Sinafresp reinaugura a temporada de seminários, … o nosso sindicato retoma o seu caminho, muito embora com certo atraso, se compararmos com o desempenho da gestão anterior (jan/2007 a dez/09). Descontando-se o período, de 12 meses, de debate da reestruturação da carreira, … , a gestão passada realizou, em média, um evento a cada quadrimestre […] Leia mais

Pesquisas, facebook, ofícios, NiBá e VPNI […] este exemplo nos mostra que para tratar as questões de fundo, tais como, Nivel Básico, VPNI, Subteto único e Lei Orgânica, é necessário muito mais do que tuitar, oficiar e fazer pesquisas eletrônicas. A defesa de uma categoria se faz com relacionamento político externo, além da articulação interna para despertamento e conscientização dos filiados através do fomento permanente de debates […] Leia mais

► O rabo que abana o cachorro […] mas o verdadeiro líder, pode ser comparado ao regente de uma grande orquestra, que precisa fazer bom uso da batuta. Cabendo aos ouvintes do espetáculo avaliarem a música que a banda toca […] Leia mais

► Construindo pontes e abrindo caminhos […] Tanto na atuação interna como na externa, a liderança classista ao defender os interesses da entidade que representa, necessita buscar a solidificação da sua imagem através de comunicação competente capaz de transmitir a confiança necessária para a manutenção do relacionamento […] Leia mais

► 5 pontos para um sindicato forte […] Politização da classe: A experiência nos mostra que não basta o sindicalismo lutar pelas questões imediatas, econômicas e corporativas. Há a necessidade de se forjar um sindicalismo que politize a classe para o reconhecimento e a valorização do servidor. Sem um sindicalismo protagonista de participação política não haverá reavaliações estruturais […] Leia mais

►  E quando o Carnaval chegar? IV […] seria muito oportuno que São Paulo seguisse o exemplo do Rio Grande do Norte realizando o CONEFISCO – Congresso Estadual do Fisco lugar no qual se recebe o reforço através da participação de figuras externas de peso, técnico e político […] Leia mais

 Projeto de Formação de Liderança Sindical […] Para esse propósito devem concorrer ações como realização de  seminários, debates, plenárias e treinamentos para implementação do diagnóstico e aplicação das medidas efetivas do programa de formação […] Leia mais

Liderança positiva e trabalho em equipe […] Liderar positivamente é internalizar esta magia no seio da equipe, de modo a contagiar toda a corporação. Todavia, a liderança positiva é um processo que deve começar na consciência do próprio líder. Portanto, aquele que deseja liderar deve primeiro ser líder de si mesmo […] Leia mais