Posts tagged ‘relacionamento político’

setembro 9, 2017

Presidente do Sinafresp filia-se ao PTB

Deputado Campos Machado adicionou

O Presidente do SINAFRESP – Sindicato dos Agentes Fiscais de Renda do Estado de São Paulo, Alfredo Portinari Maranca, é o mais novo filiado ao Partido Trabalhista Brasileiro. O presidente estadual e secretário-geral nacional do PTB, deputado Campos Machado abonou a ficha de filiação deste grande líder dos Servidores Públicos paulistas.

O presidente Maranca está à frente de uma entidade com 90% dos profissionais sindicalizados, um recorde nacional. São mais de 5.000 Agentes Fiscais de Rendas.

Uma grande honra receber o Maranca no PTB, o Partido com mais história nesse país. Ele, que é um homem totalmente dedicado à sua categoria, e com uma trajetória de muitas lutas e conquistas, tem sido um verdadeiro general nessa batalha pela aprovação da PEC 05, que vai corrigir uma das maiores injustiças contra os servidores do Estado”, afirmou Campos Machado.

 

maio 20, 2014

SP – Mobilização dos técnicos fazendários

sitesp-cat.ppSitesp se reúne com Clóvis Cabrera (CAT)

No último dia 12, o presidente do SITESP, Mauro de Campos, se reuniu com o coordenador da CAT, Clovis Cabrera, para tratar dos parâmetros iniciais dos estudos e definição das atribuições dos Técnicos da Fazenda Estadual no âmbito da CAT.

Campos também ressaltou a base da definição das atribuições dos TEFEs com parâmetros da PEC federal que define as carreiras da Administração Tributária, atividades típicas de Estado e Lei Orgânica da Administração Tributária (LOAT) visando à constituição e construção de uma proposta que assegure aos TEFES atribuições condizentes com a configuração do cargo […] Saiba mais

Leia também:

Alckmin se encontra com associação dos APOFPs

TEFE’s participam da reunião dos Delegados Regionais

PLC 50/2012 – Sitesp se reúne com Sefaz Adjunto

TEFE’s recebem alta cúpula da Sefaz

Técnicos fazendários pressionam Calabi

maio 15, 2014

Alckmin se encontra com associação dos APOFPs

Associação representa analistas e especialistas

Na noite de 13 de maio de 2014, o presidente da Associação dos Gestores Públicos do Estado de São (AGESP), Thiago Silveira, encontrou-se com o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, em evento realizado pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP).

Na oportunidade, o presidente da AGESP externou o reconhecimento pelo trabalho do governador na condução de uma administração moderna e comprometida com o Estado de São Paulo. Ressaltou também a importância para o Governo do Estado em poder contar com as Carreiras de Gestão (APOFP e EPP) consolidadas em seu quadro de servidores efetivos […] Saiba mais

Leia também:

TEFE’s participam da reunião dos Delegados Regionais

PLC 50/2012 – Sitesp se reúne com Sefaz Adjunto

TEFE’s recebem alta cúpula da Sefaz

Técnicos fazendários pressionam Calabi

Folha de S.Paulo cita resposta dos Técnicos Fazendários

janeiro 5, 2013

AFR Bolçone reassume cadeira na Alesp

Orlando Bolçone conseguiu vaga com a saída de prefeito eleito de Marília 

Tomou posse nesta quinta-feira (3) na Assembleia Legislativa o Agente Fiscal de Rendas Orlando Bolçone, do PSB, de São José do Rio Preto.

Vou continuar os trabalhos na área de Educação e Social. Com avanços no Parque Tecnológico, Fatec, Unesp e Famerp. Na área social minha atenção continua com Fulbeas, Apae e Renascer, por exemplo.

Bolçone, que chegou a exercer o mandato como suplente, entrou agora no lugar de Vinicius Camarinha, prefeito eleito de Marília (SP). Outras sete mudanças ocorreram na Assembleia. Saíram Donisete Braga (PT), Carlos Grana (PT), Alexandre Barbosa (PSDB), Gil Arantes (PSDB), Pedro Bigardi (PCdoB) […] Leia mais

Leia também:

TRE reconta votos e Bolçone perde mandato

Todas as publicações sobre Bolçone

novembro 5, 2011

Guia de boas maneiras na política

Maria Inês Nassif

Até na política as regras de boas maneiras devem prevalecer. Numa democracia, o opositor é chamado de adversário, não de inimigo (para quem não tem idade para se lembrar, na nossa ditadura militar os opositores eram “inimigos da pátria”). Essa forma de qualificar quem não pensa como você traz, implicitamente, a ideia de que a divergência e o embate político devem se limitar ao campo das ideias. Esta é a regra número um de etiqueta na política.

A segunda regra é o respeito. Uma autoridade, principalmente se se tornou autoridade pelo voto, não é simplesmente uma pessoa física. Ela é representante da maioria dos eleitores de um país, e se deve respeito à maioria […] Desrespeitar um líder tão popular é zombar do discernimento dos cidadãos que o apoiam e o seguem. Discordar pode, sempre.

A terceira regra de boas maneiras é tratar um homem público como homem público. Ele não é seu amigo nem o cara com quem se bate boca na mesa de um bar […]

A quarta regra é a civilidade. As pessoas educadas não costumam atacar sequer um inimigo numa situação tão delicada de saúde. Isso depõe contra quem ataca. E é uma péssima lição para a sociedade. Sentimentos de humanidade e solidariedade devem ser a argamassa da construção de uma sólida democracia. Os formadores de opinião tem a obrigação de disseminar esses valores.

A quinta regra é não se deixar contaminar por sentimentos menores que estão entranhados na sociedade, como o preconceito […] Leia mais

outubro 26, 2011

Como mudar o cenário?

OPINIÃO

Steve Jobs, o célebre visionário do século dizia que: “O consumidor não sabe o que quer, até o momento em que você mostre algo novo a ele”. Nas negociações entre servidores e governo podemos aplicar este princípio, despertando a vontade política da outra parte, para que esta passe a desejar um novo produto como resultado.

O governo paulista acaba de divulgar a eliminação do nível inicial das diversas carreiras da Polícia Civil, além de estabelecer promoção automática por antiguidade independente de vagas existentes nos quadros […] Leia mais

Em 1994 sucedeu algo semelhante na SEFAZ com a LC nº 790, de 29/12/1994 –

Artigo 7º — A partir de 31 de julho de 1994, os atuais Agentes Fiscais de Rendas Nível I ficam enquadrados no Nível II

GOVERNADOR: Luiz Antonio Fleury Filho (PMDB); SECRETÁRIO DA FAZENDA: Eduardo Maia de Castro Ferraz; PRESIDENTE DO SINAFRESP – 1992-1994: José Carlos Vaz de Lima – Fundador do SINAFRESP e Secretário Geral de 1990/91. Ao término desta gestão foi eleito Deputado Estadual pela legenda do PSDB. Fonte: SITE DO SINAFRESP (AFR – LEGISLAÇÃO DE PESSOAL – Normas Gerais e Específicas, pág. 70)

É um bom momento para reavaliarmos as estratégias nas relações e postura políticas buscando melhores e decisivos entes de negociação, deixando qualquer preconceito ou ideologismo contaminar essa etapa. De outra forma, NOVAS propostas e NOVOS projetos deveriam ser amplamente debatidos com a categoria visando o aperfeiçoamento de ideias dentre as inúmeras cabeças que a carreira dispõe. Sindicato não pode ser um cartório que expede e homologa preceitos. Deve ser aberto ao amplo e transparente debate. Firmeza e decisão sim, prepotência e vaidade não.

De nada adianta apitaços e demonstrações vazias de insatisfação se não vierem acompanhadas dos ingredientes citados acima. Deixemos as receitas antigas e bitoladas para aplicar a inteligência e perspicácia próprias dos que enxergam com maior amplitude.

TeoFranco

Leia tambémFábula do índio II – A revolta

maio 26, 2011

Prêmio Gestor Público é de iniciativa das entidades do fisco gaúcho

A décima edição do Prêmio Gestor Público foi lançada oficialmente nesta terça-feira (24), no Salão Júlio de Castilhos da Assembleia Legislativa. Todas as prefeituras gaúchas podem participar gratuitamente com até cinco projetos classificados em alguma das funções de governo existentes. Desde o seu início, em 2002, o Prêmio Gestor Público contabiliza 1.759 projetos participantes, dos quais 541 foram agraciados com as diferentes modalidades de premiação existentes. Para esta edição comemorativa, a ênfase temática será “Da administração do tributo: da arrecadação à aplicação. Um olhar da sociedade”.

O presidente da Famurs, Vilmar Perin Zanchin, afirmou que há 10 anos o Prêmio Gestor Público foi o “grande incentivador para que novas e boas práticas surgissem”. O presidente da Afisvec, Abel Henrique Ferreira, exaltou as prefeituras que, segundo ele são “a base onde as coisas acontecem”. A Afisvec se junta ao Sindifisco-RS, em 2010, como co-realizadora do Prêmio Gestor Público. “A união das entidades demonstra também a união na Secretaria da Fazenda, trabalhando juntas para o bem da sociedade”, disse.

Convite oficial

maio 26, 2011

Contatos imediatos

As diretorias da Afisvec e do Sindifisco-RS estiveram nesta sexta-feira (13) visitando os agentes fiscais que exercem cargos de chefia na Fazenda. Receberam o grupo, os subsecretários da Receita (foto), Cage e Tesouro, além dos colegas da Aplan, Supad, SSI e Sudesq. As entidades pediram o apoio da equipe diretiva no sentido de mostrar a contrariedade dos AFTEs em relaçao ao pacote de medidas anunciado pelo governo do RS.

AFISVEC

abril 9, 2011

Estranhas relações

CARTA DO EDITOR

Entre nós existe um conceito de que sindicalista esta de um lado e patrão de outro. Uns defendem até, que quem foi sindicalista não deveria depois ocupar função de confiança. Como se tivesse (mais) uma ‘pena’ a pagar. E o inverso valeria? O chefe convertido? Aquele que ocupou função e depois buscou atuar diretamente pelos interesses da categoria. O cenário brasileiro tem mostrado um relacionamento de forças bem diferente desse conceito já ultrapassado.

O Brasil sofreu transformações marcantes na última década onde o sindicalismo alcançou o cargo máximo da Nação ocupado pelo seu maior expoente, Luis Inácio Lula da Silva. Houve ocupação generalizada nos diversos escalões. Agora, com a eleição de Dilma Roussef as Centrais perderam espaço em Brasília, mas, por outro lado, elegeu a sua maior bancada no Congresso Nacional, com 83 deputados e 8 senadores (Veja quadro).

Apesar da relação entre governo e centrais sindicais ter começado com estranhamento de ambas as partes, por causa da votação do reajuste do salário mínimo, a presidenta sabe que precisará, mais que qualquer um de seus antecessores, negociar com o movimento sindical. Talvez, por isso, no início de março, ela regulamentou lei, que determina que todas as empresas públicas com mais de 200 funcionários deverão ter um representante dos empregados em seus conselhos de administradores.

Em São Paulo, parte dos cargos nos conselhos de administração de empresas estatais é ocupada por indicação do governo. Reportagem do Estadão, de 14 de março, mostra que uma boa parte dos atuais integrantes dos Conselhos de Administração é formada por filiados do PSDB e quadros ligados à sigla (Veja quadro).

O outro lado

A bancada patronal também cresceu. Com 273 congressistas, a maior bancada empresarial dos últimos 20 anos, teve um crescimento de 25%. Contudo, a capacidade de articulação dos empresários é menor que a do movimento sindical. Segundo o DIAP, é um grupo heterogêneo, que vai do ex-governador de Mato Grosso Blairo Maggi (PR-MT), um dos maiores produtores de soja do mundo, eleito para o Senado, ao secretário de Comunicação do PT, deputado André Vargas (PR).

As bancadas sindical e empresarial devem se enfrentar em pautas polêmicas, como a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais – pedido das centrais – e a regulamentação da terceirização.

Tudo isso aponta para algo que em outros tempos era visto como relações estranhas. Hoje, as relações públicas ou políticas se tornaram o principal elemento condutor estratégico para o avanço em qualquer demanda de uma categoria profissional.

Resta-nos fazer o melhor uso delas!

TeoFranco

Leia também:

Construindo pontes e abrindo caminhos

5 pontos para um sindicato forte

Projeto de Formação de Liderança Sindical