Posts tagged ‘prestação de contas’

abril 4, 2014

Retorno dos impostos: Brasil é penta no ranking dos piores

Brasil tem menor qualidade de vida dos 30 países com maior carga tributária

A conclusão consta de estudo do IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação). Com 36% do Produto Interno Bruto (PIB) em impostos, era de se esperar que o Brasil tivesse serviços públicos amplos e de qualidade.

Mas, como todo brasileiro sabe, isso está longe de ser uma realidade.

O IBPT cruzou os dados (2012) de carga tributária em relação ao PIB com o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) de 30 países. Eles medem a participação do valor total dos impostos municipais, estaduais e federais na riqueza total gerada pela economia.

O top 3 continua sendo o mesmo da última edição do IRBES: Estados Unidos, Austrália e Coreia do Sul. Chama a atenção a ascensão da Bélgica, que foi do 25º para o 8º lugar. O Brasil continua na última posição, logo atrás de Itália, Dinamarca e França. O Uruguai ficou na 8ª posição e a Argentina na 24ª […] Saiba mais


Leia também:

Brasileiro trabalha 150 dias só para pagar impostos

Quanto Custa o Brasil pra Você?

Discutindo a carga tributária brasileira

 

abril 25, 2012

Sinafresp não divulga Balanço faz dois anos

Sinafresp não divulga Balanço. Demonstrações Financeiras são aprovadas, mas filiados não conhecem os números

Ao que parece nenhum filiado recebeu o Balanço e as Demonstrações ref. 2011. No site, não consta nem mesmo 2010. Na busca pública, aparecem, apenas, dois links ref. 2008 e 2009 (gestão Lauro K. Marins). Na “área do conselho” todos os links relacionados não abrem para filiado “comum”.

É inaceitável que uma entidade de auditores, os quais possuem larga afinidade com a matéria, não tenha a plena transparência com este tema

A Assembleia Geral Ordinária, realizada ontem, serve, tão somente, para homologação de um orçamento, estimado em R$ 15 milhões. Os presentes, que ali comparecem tem, apenas, alguns minutos para dizer sim ao relatório do Conselho Fiscal. Não me parece ser a melhor maneira de tratar essa questão, especialmente, de uma entidade de “auditores fiscais”.

Em virtude de ter havido reajuste na mensalidade, desde 2010, “economia” com baixo número de AGE’s, igualmente com seminários e mobilização, presume-se que a situação financeira de nossa entidade se encontra com saúde vigorosa e invejável. A Afresp já pratica anualmente a transparência das contas, enviando encarte no Jornal mensal um relatório sintético. O analítico, salvo engano, só os conselheiros tomam conhecimento

Enquanto que em Santa Catarina e Mato Grosso são divulgados balancetes mensais, em São Paulo, nem o anual é divulgado para amplo conhecimento daqueles que pagam as suas mensalidades. Depois “não se sabe” porque ainda temos colegas que não se filiam ao sindicato.

TeoFranco

Leia também: 1ª Consocial, convocada pela presidente Dilma, objetiva promover a transparência e estimular o acompanhamento pela sociedade da gestão pública

abril 8, 2011

Transparência online

Sindicato do Mato Grosso dá exemplo com transparência na prestação de contas mensais

SINFATE – MT – PRESTAÇÃO DE CONTAS REFERENTE AO MÊS DE MARÇO/2011

RECEITAS
CONTRIBUIÇÃO DE ASSOCIADOS 55.712,00
OUTRAS RECEITAS 3.311,38
OUTROS (rateios, doações, etc) 0,00
TOTAL 59.023,38
DESPESAS
ADMINISTRATIVAS 14.018,27
PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS 10.440,16
REPRESENTAÇÃO SINDICAL 7.447,06
COMUNICAÇÃO E MÍDIA 7.689,92
ADVOCATÍCIAS E CONTRATOS 5.580,26
MOBILIZAÇÃO, EVENTOS E COMEMORAÇÕES 660,00
BENS DURAVEIS 2.279,95
TOTAL 48.115,62

Diretoria Financeira do Sinfate – tel: 3624-2605 ou email: sinfate@terra.com.br

SINFATE

março 16, 2011

Conselheiros definem pauta de trabalho para 2011

O governador Marconi Perillo prestigiou a posse das diretorias da Affego e Sindifisco de Goiás

Os novos membros dos Conselhos de Administração e Fiscal da AFFEGO – Associação dos Funcionários do Fisco do Estado de Goiás iniciaram o ano em ritmo de trabalho intenso. Ainda no início do mês de janeiro, os conselheiros realizaram as primeiras reuniões do ano, que contaram com a presençado presidente Admar Otto, e já definiram algumas pautas para 2011.

Fiscalização das contas

No dia 13 de janeiro, o Conselho Fiscal se reuniu pela primeira vez em 2011. O Conselho Auxiliar de Gestão do TCA também já definiu sua mesa neste mês de janeiro. O auditor fiscal Gilson Aparecido de Sillos foi eleito presidente deste Conselho.

Lei Orgânica da Administração Tributária

A autonomia do Fisco pode parecer uma utopia. Embora prevista na Carta Magna, a administração tributária ainda não é independente. AAffego e o Sindifisco uniram-se novamente para promover uma grande mobilização na categoria fiscal e toda sociedade em prol da Lei Orgânica da Administração Tributária, que vai blindar a população dos maus gestores econsolidar a carreira dos auditores da Secretaria daFazenda.

O secretário da Fazenda, Simão Cirineu Dias, também demonstrou ser favorável à autonomia fiscal, quando destacou, durante seu discursona solenidade de posse dos dirigentes da Affego e Sindifisco, que o Fisco se constituium dos mais importantes instrumentos do Estado. Seus servidores não atuam apenas para o Poder Executivo, mas para o interessede toda a coletividade como atividade essencial para existência, permanênciae o futuro do próprio Estado.

Fonte: Jornal Affego – Jan/Fev-2011 – págs. 4/5

fevereiro 1, 2011

Ouvidoria para satisfação do cliente

Quando surgem situações não resolvidas pelas instâncias normais de atendimento, seja por falhas ou por falta de autonomia destas, a ouvidoria entra em ação para solucionar essas situações com o objetivo de manter a satisfação dos clientes.

Esta é a principal função de uma ouvidoria, conforme indica o conferencista e consultor em comunicação e relacionamento com clientes, Alberto Centurião.

Em entrevista ao Baguete Diário, o especialista fala sobre os benefícios que uma ouvidoria pode trazer para a empresa e os principais passos para sua instalação.

http://www.baguete.com.br/entrevistas/14/06/2010/ouvidoria-sua-empresa-precisa-de-uma-0

janeiro 19, 2011

Ouvidoria é um diferencial estratégico

A ouvidoria tem importância estratégica para as empresas, pois cabe ao ouvidor assegurar a sustentabilidade da organização, prepará-la para evitar novas demandas dos consumidores e agregar valor à empresa. Ouvidoria dentro dos padrões internacionais, com as ferramentas necessárias, o perfil e as atribuições, conhecendo o comportamento do consumidor no cenário atual, pesquisa de satisfação.

http://www.administradores.com.br/informe-se/artigos/ouvidoria-e-um-diferencial-estrategico-para-as-empresas/39863/

janeiro 17, 2011

Sobre sindicatos, jornalistas e ouvidorias

Os sindicatos e a Fenaj não podem ficar omissos diante das barbaridades cometidas contra a sociedade pela grande imprensa. Minha proposta é de que cada sindicato de jornalistas tenha uma ouvidoria para avaliar a atuação dos jornalistas. E que essa ouvidoria aja de forma honesta e objetiva em defesa dos interesses maiores, com ampla divulgação dos erros e acertos da categoria. Devemos ser corporativos com os interesses maiores da sociedade, e não dos coleguinhas que abusam do seu poder e do crachá de jornalista para defender patrão, seu dinheiro, sua armações e até sua má-fé – coisas, aliás, que acontecem em todas as categorias.

Se já tivéssemos ouvidorias funcionando no Brasil, certamente alguns jornalistas de projeção nacional não estariam cometendo as baixarias que cometem hoje. E melhor ainda seria seu efeito nas localidades. Por exemplo, 99% dos jornais (e jornalistas) do Distrito Federal não conseguem publicar uma linha de crítica ao atual governador José Roberto Arruda. Não se trata do autor deste artigo ser contra ou a favor de Arruda, mas de defender o jornalismo.

http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos.asp?cod=513JDB002

janeiro 14, 2011

Afresp dispõe de Ouvidoria há 10 anos

Institui e regulamenta o Serviço de Ouvidoria da Afresp

Considerando o direito de o associado obter esclarecimentos, além de pronta e correta orientação a respeito dos serviços que lhe são prestados pela Afresp, diretamente ou através de terceiros, credenciados ou autorizados;

Considerando o direito de o associado exigir que tais serviços sejam prestados com um nível adequado de qualidade e de reclamar quando entender que faltou a qualidade desejada;

Considerando ser dever da Afresp, por seus dirigentes e funcionários, zelar pela qualidade dos serviços prestados ao associado, bem como de acolher seus pedidos de informações e reclamações, dando-lhes solução pronta e satisfatória;

Considerando que as reclamações recebidas dos associados sobre os serviços que lhes são oferecidos constituem um importante instrumento para o aperfeiçoamento e melhoria da qualidade de nossos serviços, e que, por isso, a Afresp deve estimular a formalização de reclamações por parte dos associados, baixo a seguinte Resolução AFRESP nº 02/2000

http://www.afresp.org.br/ouvidoria/regulamento.asp