Posts tagged ‘atentado’

abril 9, 2015

Assassinatos de fiscais causam insegurança

Poder Público precisa dar uma resposta à sociedade

A carreira de auditor fiscal faz tempo que está em evidência na comunidade acadêmica. O concurso, que é um dos mais concorridos do país, é meta de muitos estudantes que almejam um futuro com estabilidade. Mas a realidade de um auditor fiscal também está relacionada a desafios e riscos no exercício de atividades como investigações de fraudes, fiscalização e combate à sonegação fiscal. Uma lista com nomes de agentes fiscais assassinados no Brasil foi divulgada pelo Sindicato Nacional dos Auditores da Receita Federal (SINDIFISCO) – crimes que permanecem sem resposta e que, em alguns casos, a investigação policial foi encerrada.  Em Rondônia, o auditor fiscal Armando Dalarte foi executado com quatro tiros quando chegava a seu posto de trabalho, em Ji-Paraná, no dia 19 de setembro de 2008.

Armando Dalarte tinha 59 anos e estava por 18 meses à frente da Delegacia Regional da Receita Estadual. Colegas informaram na época que ele estava empenhado em investigações que envolviam pessoas poderosas e influentes em Rondônia. Em setembro deste ano o assassinato de Dalarte completará sete anos e os responsáveis permanecem impunes […] Saiba mais

Lista dos fiscais assassinados

Leia também:

Morto depois de fiscalizar fornecedora da marca Disney

Câmera grava assassinato de auditor no Maranhão

Auditor fiscal é assassinado em Rondônia

Confirmado: AFR morre após assalto em SP

Assassino de Auditor é condenado a 18 anos de prisão

Morte de Auditor da Receita Federal merece investigação

Auditor da Paraíba é assassinado

julho 10, 2013

Receita Federal retém avião e auditora é coagida

Sindifisco quer diretor-presidente da ORM condenado por crime

O Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindfisco Nacional) atua agora como assistente de acusação no processo a que Rômulo Maiorana Junior responde na 4ª vara de Justiça Federal por coação contra uma auditora da Receita Federal. A denúncia formulada pelo Ministério Público Federal foi aceita no início de junho pela Justiça, transformando o diretor-presidente das ORM, o editor-chefe do jornal O Liberal, Lázaro Cardoso de Moraes, e o médico Vasco Fernando de Menezes Vieira em réus em ação penal. Caso venham a ser condenados, podem ser punidos com até quatro anos de prisão, além de multa.

——–

Segundo a denúncia do MPF, a coação foi cometida em meio ao procedimento administrativo da Receita que foi aberto após uma fiscalização feita por agentes do órgão que atuam no Aeroporto de Belém ter identificado fraudes na compra não declarada de um jato Gulfstream G-200, número de série 250 e prefixo estrangeiro N221AE pela ORM Air, empresa das Organizações Rômulo Maiorana (ORM), de propriedade de Rômulo Maiorana Junior.

Em agosto do ano passado a Receita Federal reteve um avião da ORM Air, para verificação da regularidade do processo de arrendamento da aeronave feito pela empresa de Romulo Maiorana Junior para tentar legalizar a entrada e permanência do jato no Brasil. Após a investigação, a Receita comprovou que o arrendamento era só uma operação de fachada para encobrir a compra do equipamento e evitar o pagamento de quase um milhão de reais em impostos.

——–

Como exercia o cargo de inspetora em exercício da alfândega do aeroporto de Belém, Cláudia Gorresen Mello foi a responsável por analisar e decidir sobre o processo de sonegação fiscal movido contra a empresa de Rômulo Maiorana Junior. Bastou isso para que ela passasse a ser alvo de coação por parte dos acusados, que se utilizaram dos veículos de comunicação (TV e jornal) das ORM para tal […] Leia mais

Leia também:

Atentado contra auditor fiscal. Justiça mantém condenação

Aposentadoria especial para o fisco

STF reconhece a atividade de risco do Auditor

maio 11, 2013

Atentado contra auditor fiscal. Justiça mantém condenação

Iraniano é acusado de ser o mandante da tentativa de homicídio de um servidor da Receita Federal do Brasil

A Justiça determinou nesta quarta-feira, 8, em decisão unânime, a pena de 20 anos de reclusão do iraniano Farhad Marzivi, conhecido como “Tony”, de 50 anos, acusado de ter ordenado um atentado contra o auditor fiscal José de Jesus Ferreira.

A condenação é resultado de apelação do Ministério Público Federal no Ceará ao TRF5, que determinou a realização do julgamento por Tribunal de Júri da Justiça Federal. Atualmente, o iraniano encontra-se recluso no Presídio de Segurança Máxima de Mossoró, no Rio Grande do Norte.

Crime – Marzivi foi preso pela Polícia Federal em agosto de 2010 acusado de comandar um grupo de extermínio em Fortaleza. O estrangeiro era dono de lojas de eletroeletrônicos, localizadas em Fortaleza e registradas em nomes de terceiros (laranjas). A Receita Federal realizou auditorias e autuações chefiado pelo auditor José Jesus Ferreira, em 2007 e 2008, nas lojas do iraniano e apreendeu mercadorias importadas de forma irregular e colocadas à venda.

No dia 9 de dezembro de 2008, Ferreira sofreu uma tentativa de homicídio, no bairro Varjota, em Fortaleza. O auditor levou cinco tiros disparados por uma arma de uso restrito da Polícia e efetuados por duas pessoas que trafegavam em uma moto […] Leia mais

Leia também:

Réus de atentado a auditor fiscal vão à Júri

Mandante do atentado contra auditor fiscal é condenado a 20 anos

Presos acusados de atirar em auditor fiscal

maio 1, 2013

Réus de atentado a auditor fiscal vão à Júri

[auditor fiscal José de Jesus Ferreira]

Auditor fiscal vive em uma “prisão domiciliar” cercado por guarda-costas 24 horas

O Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF5) negou os recursos dos três acusados pela tentativa de assassinato de um auditor da Receita Federal no Ceará, nesta terça-feira (26). Com isso, foi mantida a decisão da Justiça Federal no Ceará de submetê-los a julgamento pelo Tribunal do Júri.

Os réus Lucivaldo Pereira Ferreira, Alex Nogueira Pinto e Mayron Silva de Lima são apontados como responsáveis por terem tramado a morte do auditor fiscal da Receita Federal, em novembro de 2008. O mandante do crime foi o comerciante iraniano Farhad Marzivi, condenado a 20 anos em outubro de 2012. Marzivi teve mercadorias apreendidas após o auditor ter constatado que elas haviam entrado ilegalmente no país.

Após os quatro anos, José de Jesus Ferreira, ainda está em tratamento. O plano de saúde não cobre todas as despesas, e parte é paga pelo sindicato dos auditores fiscais […] Leia mais

Leia também:

Mandante do atentado contra auditor fiscal é condenado a 20 anos

setembro 20, 2011

Presos acusados de atirar em auditor fiscal

O auditor José Jesus Ferreira e a caminhonete em que ele estava

Dois acusados de tentar matar o auditor da Receita Federal Jesus Ferreira foram presos pela Polícia Federal (PF). Um terceiro envolvido está sendo procurado pela Polícia. O iraniano Farhad Marvizi é apontado como mandante do crime. Ele foi preso no ano passado, acusado de liderar uma organização criminosa voltada para contrabando e descaminho de produtos eletrônicos. A tentativa de homicídio ocorreu em dezembro de 2008 quando o auditor saía do trabalho, para casa, na Hilux dele. José de Jesus Ferreira, chefe da Divisão de Contrabando e Descaminho da Receita Federal, na semana anterior à tentativa de homicídio, ele havia participado de uma operação de combate ao comércio ilegal de equipamentos eletrônicos, no Maranhão. De volta a Fortaleza, ele dava continuidade às investigações.  a vida pessoal e profissional mudou drasticamente após o atentado. Apesar do auditor já ter voltado ao trabalho, mesmo com os seguranças, sua filha declarou que Jesus Ferreira não se sente tranquilo […] Leia mais

Tags: