Chapa 2 – União e Trabalho

chapa2-uniao-e-trabalho

CHAPA UNIÃO E TRABALHO NOME NOMEAÇÃO LOTAÇÃO EM 31/12/2014
PRESIDENTE Pedro de Oliveira Abrahão 23/01/1998 CAPITAL (DRF)
VICE Hélio Martins Fontes Filho  10/01/1990  JUNDIAÍ
SECRETÁRIO GERAL José Carlos de Jesus Meireles  20/09/1986 CAPITAL (BUTANTÃ)
TESOUREIRO Davi Freitas  10/02/2010  ARARAQUARA
DIRETOR DE COMUNICAÇÃO E EVENTOS Márcio França Teixeira 23/01/1998  PRES. PRUDENTE
DIRETOR DE ASS. JURÍDICOS Carlos Alberto Villeth Menezes  24/06/2002 CAPITAL (TATUAPÉ)
DIRETOR DE ASS. INTERSINDICAIS E FORMAÇÃO SINDICAL Ayrton Cardomingo Júnior  24/06/2002 CAPITAL (TATUAPÉ)
DIRETOR DE ASS. PARLAMENTARES E DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS Ana Claudia Bentes Salgado 23/01/1998  CAPITAL (LAPA)
DIRETOR DE APOSENTADOS E PENSIONISTAS Vera Lúcia Santoro  03/05/1990  CAPITAL (CAT)
DIRETOR ASS. TÉCNICOS Ricardo Castro dos Santos  24/06/2002  CAMPINAS
SUPLENTE Frederico Cavalcante Guerra  27/06/2006  S. J. DO R. PRETO
SUPLENTE Leonardo José Balthar de Souza  15/02/2014 CAPITAL (NI)
SUPLENTE Bárbara Abreu Figueiredo  15/02/2014 CAPITAL (DEAT)

Colaboração especial: Alcides Gimenes

Pedro de Oliveira Abrahão é formado em Matemática Aplicada à Computação, em Análise de Sistemas e em Direito, com especialização em Direito Tributário pelo IBET. Ingressou na Secretaria da Fazenda em 1998, onde exerceu as funções de assistente fiscal na DTI; assistente fiscal na DEAT e, desde 2004, atua na Diretoria da Representação Fiscal, hoje chefiando a equipe de representantes fiscais que trabalham diretamente nos julgamentos junto ao TIT. Há seis anos, é conselheiro do Sinafresp pela Sede, exercendo atualmente a função de vice-presidente da Mesa Diretora do Conselho de Representantes. Há dez meses, é também conselheiro da Afresp pela Capital, exercendo a função de 1º Secretário da Mesa Diretora do Conselho Deliberativo.

Nossa chapa é formada por colegas dispostos a colaborar de forma efetiva com vistas ao engrandecimento de nossa Categoria, trabalhando em sinergia e colocando à disposição sua experiência e conhecimento, nossa Chapa se esmera pela busca da valorização da Classe e de sua autonomia, mediante uma gestão fundamentada em três pilares de sustentação: a transparência, a participação efetiva dos filiados e a proatividade.

União porque a Classe é uma só e assim devemos permanecer em busca de nossos objetivos. Trabalho porque além de construirmos um Sindicato forte e atuante, é através do trabalho e do resultado de nossa Classe que conseguiremos mostrar nosso valor e exigir nosso justo reconhecimento há muito devido. Contamos com o seu apoio e o seu voto!

Abraço.

Chapa 2 – União e Trabalho

uniaoetrabalho2015@gmail.com

Página no Facebook

http://uniaoetrabalho2015.com.br/

ÍNDICE SINAFRESP 2015

4 Comentários to “Chapa 2 – União e Trabalho”

  1. Propostas

    PROATIVIDADE NA CONDUÇÃO DAS QUESTÕES CLASSISTAS – CRIATIVIDADE
    Na atuação antecipada quanto às oportunidades e ameaças à carreira

    ÉTICA – CIDADANIA –– REPÚDIO À CORRUPÇAO – JUSTIÇA FISCAL
    Na conscientização da sociedade quanto à importância dos tributos e o papel do
    AFR em sua fiscalização e cobrança

    PARTICIPAÇÃO EFETIVA E EFICAZ
    Nas Votações sindicais – nominalmente identificadas e disponibilização aos
    associados.
    Na Criação de grupos de trabalho temáticos.

    http://uniaoetrabalho2015.com.br/propostas/

  2. Valorização da Classe
    No Aperfeiçoamento técnico-profissional
    Na luta incessante pela LOAT
    Na reavaliação da Pontuação
    Na melhoria das Condições de trabalho
    Na integração do Aposentado
    Na implementação do Home Office
    http://uniaoetrabalho2015.com.br/propostas/valorizacao-da-classe/

    Grade Salarial
    Na busca contínua por melhorias salariais
    Na procura por soluções das questões previdenciárias do SPPREVCOM – Fundos
    Iguais
    Na luta pelos aposentados: paridade e pagamento da PR no mesmo dia do ativo
    Na luta pelo fim das disparidades remuneratórias
    http://uniaoetrabalho2015.com.br/propostas/grade-salarial/

    Transparência
    Nos atos da Diretoria
    No orçamento do sindicato – “on line”
    Na comunicação imediata com sindicalizados, internet, twitter, YouTube…
    Na administração sindical participativa
    Nas questões parlamentares e intersindicais
    No acesso a minutas de contrato e atas de reuniões após as votações
    http://uniaoetrabalho2015.com.br/propostas/transparencia/

  3. Programa de Trabalho/Atuação

    Publicado em 28/10/2015

    Programa de Trabalho/Atuação
    Antes de entrar propriamente no Programa da Chapa 2 – União e Trabalho , falemos brevemente a respeito da origem deste nome.

    “União” porque entendemos que este é um ideal a ser perseguido constantemente, porque a Classe é única, sem distinção de qualquer espécie, e assim deve permanecer para que o imenso passivo sindical possa ser reivindicado com sucesso. Unidos somos mais fortes e a forma como esta união será materializada ficará clara quando detalharmos nosso programa de trabalho, mas é preciso ficar claro que este ideal será perseguindo incessantemente caso eleitos formos.

    “Trabalho” representa duas vertentes. A primeira delas corresponde ao trabalho desenvolvido pelo próprio Sindicato, na medida em que diversas frentes de trabalho serão abertas sob a responsabilidade de um ou mais Diretores, sempre com o incentivo de participação dos colegas ativos e aposentados, procurando abarcar de forma proativa o imenso passivo classista que tem nos afligido ao longo dos últimos anos. Queremos criar um Sindicato forte a atuante, definindo claramente os rumos a serem tomados, juntamente com todos os filiados.

    A segunda delas corresponde ao trabalho da própria Classe, na medida em que cada AFR será convidado a participar de forma efetiva na condução dos rumos do nosso Sindicato, municiando-nos de informações riquíssimas para nossas negociações e/ou mobilizações.

    Atuação

    A atuação da Chapa 2 – União e Trabalho será marcada por três pilares: transparência, administração participativa e proatividade.

    A seguir detalharemos cada um deles, para que fique clara a forma de atuação da Diretoria Executiva caso eleita e, ao mesmo tempo, como estes pilares interagem entre si para que o resultado final seja otimizado.

    Transparência significa o acesso fácil e rápido a todo o trabalho desenvolvido pelo Sindicato, envolvendo vários aspectos, como os atos da Diretoria, o orçamento “on-line”, as questões parlamentares e intersindicais, as minutas de contratos e atas de reuniões, etc.

    Certamente, um aspecto muito próximo da transparência é a comunicação, a qual será dada uma atenção especial para que se promova a necessária aproximação da Sindicato com o filiado, e vice versa.

    Estamos certos de que boatos só existem onde não se tem informação, e isto é muito ruim principalmente em um momento de negociações intensas como o que estamos vivendo.

    Transparência e comunicação do SINAFRESP para o associado e, da mesma forma, do associado para o SINAFRESP!

    Do associado para o SINAFRESP? Como assim?

    É aí que entra o segundo pilar de nossa gestão, a administração participativa, sobre o qual falaremos na próxima oportunidade.

    A administração participativa segue conceitos modernos de administração, onde o conhecimento da organização como um todo é potencializado na medida em que todos os componentes desta organização são chamados a participar de forma efetiva.

    Assim, os membros desta Chapa não tem nenhuma pretensão de se acharem os “iluminados” ou os “donos da verdade”, e que resolverão tudo sozinhos, muito pelo contrário, estamos certos de que nossa categoria é formada por mentes privilegiadas, das mais diversas áreas de formação, o que certamente contribui e muito para a excelência dos resultados apresentados pela melhor Administração Tributária do país !

    Portanto, por que não aproveitar esse imenso conhecimento disponível entre nossos próprios colegas?

    Assim, será incentivado ao máximo o envolvimento de colegas que estiverem dispostos a colaborar com as diversas frentes de trabalho criadas pela Diretoria, cada frente sob a responsabilidade de um ou mais Diretores. Esse estímulo à participação objetiva enriquecer a qualidade das decisões que serão tomadas e vai ao encontro da Administração moderna, onde conceitos de administração participativa têm obtido excelentes resultados.

    Ao mesmo tempo, deve ser buscado um maior envolvimento de colegas de todos os concursos com o SINAFRESP, para que novas lideranças sejam criadas, em busca de uma união essencial para atingirmos o objetivo de valorização e autonomia da Classe, valorizando ainda mais o conhecimento acumulado dos aposentados, principalmente agora com a grande quantidade de colegas que têm se aposentado. Queremos incentivar ao máximo esta mescla entre juventude e experiência, pois temos percebido um espaço vazio entre um e outro, a experiência não tem sido passada aos mais novos pela falta de incentivo ao surgimento de novos líderes.

    Afinal de contas, para nós é muito importante o apreço, a valorização e a atenção ao filiado!

    Abraço a todos.
    União e Trabalho

    http://uniaoetrabalho2015.com.br/2015/10/28/programa-de-trabalhoatuacao/

  4. Assuntos em Pauta

    Transparência Orçamentária

    Muitos filiados perguntam se a nossa Chapa pretende implementar um sistema de controle nos moldes do “Portal da Transparência” do Governo Federal, de modo que os colegas acompanhem a execução orçamentária do Sinafresp.

    Se um filiado desejar atualmente fazer uma consulta à execução do orçamento, somente será possível se ele for até a sede do Sindicato. O que mais se aproxima disto em nossa página na Internet fica na parte restrita em Arquivos => Documentos Restritos => Documentos para Representantes e Filiados. Lá será acessado o documento “Realizado x Orçado 20XX“. É uma fotografia estática do que ocorreu no ano anterior.

    A Chapa União e Trabalho propõe que este acompanhamento seja dinâmico e com a criação de uma aba exclusiva, não misturada a diversos outros documentos. O acompanhamento será feito de modo mensal com a disponibilização de balancetes de fácil consulta aos filiados. No folder da Chapa 2 – União e Trabalho, que será disponibilizado em breve, na questão “transparência”, você verá o item “No orçamento do Sindicato online”.

    Departamento Jurídico

    Muitos colegas perguntam se existe a necessidade de o Sindicato contar com um departamento jurídico próprio, com profissionais preparados para as demandas dos AFRs, ou se é o caso de terceirizar o serviço. Vale lembrar que logo em seus primeiros anos de existência, o Jurídico do Sinafresp era terceirizado. Experiências na condução de processo e nas prestações de contas foram fatores preponderantes para o modelo atual. Após estruturação do Departamento Jurídico interno e próprio da entidade, verificou-se inúmeras vantagens sobre profissionais terceirizados. Vejamos:

    Vantagens do Jurídico Interno

    Profissionais com expertise específica e dedicação exclusiva aos Agentes Fiscais de Rendas;
    Profissionais que acompanham a evolução histórica dos aspectos jurídicos da carreira: regime jurídico da carreira; da Previdência e de Regimes Previdenciários; de Estágio Probatório; VPNI; função básica;
    Atendimento e Assistência individual e personalizada dos filiados: telefônico ou presencial, seja agendado ou por plantão de atendimento das ações em cursou de dúvidas da carreira;
    Canal aberto com a SPPREV;
    Elaboração de teses jurídicas específicas da categoria;
    Acompanhamento processual em todas as fases;
    Prestação de contas dos pagamentos dos precatórios dos filiados;
    Possibilidade de plantões, sempre que solicitado, com nas DRTs;
    Estudo de projetos, Leis e Decretos no momento da publicação;
    Desenvolvimento de minutas e anteprojetos para alterações normativas
    Apreciacao e avaliação de todo e qualquer contrato firmado pela entidade;
    Gestão e Controle de todos os serviços pela própria entidade e sindicalizados;
    CUSTO: Gratuidade dos serviços para os filiados.

    Desvantagens na Terceirização

    Atendimento apenas com horário agendado;
    Ausência de canal específico de atendimento para os filiados;
    Dependência de horário disponível para reuniões com sindicalizados;.
    Disponibilidade desses escritórios para plantões nas DRT’s sem custos;
    Perda do controle do andamento processual;
    Eventual perda da gestão dos serviços;
    Rescisão complexa face a transferência de processos (substabelecimentos)
    Filiados continuarão cobrando da entidade informações sobre os processos
    Custos de sucumbência e de honorários ad êxito.

    Democracia Direta

    Colegas perguntam também sobre a possibilidade de implementarmos um sistema de votação online para as deliberações do Sindicato (Democracia Direta).

    As reuniões de base servem para que os representantes levem o posicionamento dos filiados de sua região/setor ao Conselho. Sendo o porta-voz de sua região, não pode o conselheiro se opor ao desejo dos seus representados. Evidentemente que, pela dinâmica das reuniões do Conselho, situações há em que o conselheiro terá que se posicionar em relação a situações e eventos que apresentam contornos diferentes do que uma simples pauta de reunião. Mesmo assim, em nome da transparência, a chapa União e Trabalho irá propor ao Conselho de Representantes que as votações sejam registradas eletronicamente, ficando disponíveis a todos os filiados para consulta. Destaco, entretanto, a palavra “propor”, pois a Diretoria não pode impor isto ao Conselho.

    http://uniaoetrabalho2015.com.br/perguntas-e-respostas/

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: