Archive for ‘Amadeu Robson M. Cordeiro’

março 23, 2015

Sefaz persegue fiscal combativo

amadeurobsonmAmadeu Robson M. Cordeiro

A Secretaria da Receita Estadual, ex. Secretaria de Finanças, tem sua história com a própria Paraíba. Hoje, infelizmente, sucumbe por falta de condições de trabalho digno em sua estrutura física, como também, pela implementação de uma política administrativa humilhante, desrespeitosa, sílica e inconsequente. Nos meus 36 anos de serviço público, dos quais, 30 nos quadros desta instituição que tem como mister a arrecadação, a fiscalização e a tributação, nunca vi tamanha inquietação, falta de motivação e desconforto, produzidos por um General importado e sem estrelas, que no seu delírio autoritário se camufla numa falsa competência, religiosidade e ética funcional. A Receita e seus servidores não merecem esse tratamento retrógrado e autoritário. Infelizmente, alguém tem de dizer.

O texto induziu o chefe a publicar no DO minha remoção. Sua intenção era me transferir para o sertão, fronteira com o Ceará. Ele não me cala.

NOTÍCIA DO SINDIFISCO – PARAÍBA

O auditor fiscal e diretor do Sindifisco-PB, Amadeu Robson, foi removido da Gerência de Tributação e posto à disposição da 1ª Gerência Regional, cujo gerente o designou para trabalhar no município de Juripiranga.

A categoria fiscal acredita que o ato decorre da crítica que o colega faz ao Governo e à própria gestão da SER. A remoção configura-se uma retaliação, pois o Secretário da Receita, Marialvo Laureano, além de não resolver os problemas da sua Pasta e, igualmente ao Chefe do Executivo, é avesso às críticas, tenta calar a voz de quem ouse discordar da gestão, ferindo o direito à liberdade de expressão, garantia constitucional.

O Sindifisco-PB encaminhou oficio para o Secretário, Marialvo Laureano, solicitando a revogação do ato e, junto com a categoria, espera que a Secretaria repense a postura de confronto com o Fisco, pois ninguém ganha com atos assim e o maior prejuízo é para a sociedade.

Ofício enviado pelo Sindifisco

amadeu.rmc@ig.com.br

Auditor Fiscal e Colunista: www.fenafisco.org.brwww.patosemcena.com.br;
www.blogdoafr.comwww.aafep.com.br.

ARTIGOS de AMADEU CORDEIRO

NOTA: O BLOG do AFR é um foro de debates. Não tem opinião oficial ou oficiosa sobre qualquer tema em foco.
Artigos e comentários aqui publicados são de inteira responsabilidade de seus autores.

setembro 8, 2013

Não somos culpados meu Rei

amadeurobsonmAmadeu Robson Cordeiro

O nosso Rei tenta forçar aos paraibanos o sentimento de culpa pessoal, fazendo crer ao indivíduo que ele é o único culpado de sua própria desgraça, por insuficiência de inteligência, de capacidade, de preparação ou de esforço. Assim, em lugar de se revoltar contra o sistema apático e inoperante o indivíduo desvaloriza-se, culpa-se, gerando em si um estado depressivo, que inibe a sua capacidade de reagir.

E sem reação, não haverá mudanças.

Na nossa terrinha que culpa tem os paraibanos, em geral, os cidadãos, o povo trabalhador, aqueles que efetivamente produzem a riqueza do Estado – os operários trabalhadores da indústria, os pescadores, os agricultores, os assalariados nas mais diversas atividades e funções – na “crise” estritamente financeira e estrutural para a qual nos empurram a todos? Nenhuma! Nenhuma culpa!

No entanto, o discurso oficial não é esse. Muito pelo contrário. Aquilo que encharca o nosso quotidiano saído das bocas de quem nos governa e dos seus amplificadores, é que “Todos são culpados”, e por isso também todos temos de fazer sacrifícios […] Leia mais

Tags:
agosto 24, 2013

Um Rei sem rosto numa moldura com Óleo de Peroba

amadeurobsonAmadeu Robson Cordeiro

Se a Paraíba é Jampa não sei. Sei que essa preocupação é compreensível. Afinal, graves suspeitas pesam sobre a nossa Corte Real. Não são apenas os políticos que as suscitam, porque o nível de sua moralidade caiu muito, ou porque seus discursos soam falsos, ou porque suas manobras estéreis não interessam a mais ninguém. Não é apenas a democracia que nos decepciona, porque o processo emancipador nos dá hoje a impressão de estar totalmente em pane. É a própria ação política que parece ter-se tornado vã quando as vísceras (as pequenas) tornam-se públicas pela grande imprensa nacional.

No âmago do espírito da maioria dos paraibanos, infelizmente, encontra-se enraizada uma doença grave e que precisa ser curada antes que ela se torne crônica. Sua origem está fundamentalmente na aceitação passiva e sem qualquer questionamento da famosa máxima: “na Paraíba é assim, na Paraíba tudo pode…”, que pode ser traduzida, sem muito esforço, na caótica, decadente, superficial e infeliz ideia de que algumas coisas acontecem necessariamente em nosso Estado e que nada adianta reclamar ou tentar mudar.

Estamos nas garras de um anti-lider que tenta fazer todas as pessoas submissas e totalmente dependentes dele. Briga com unhas e dentes por mais poder. Mostra que pode e desdenha o que os outros fazem ou fizeram. Ludibria para que os outros se moldem a ele. Assim, terá Secretários, Gerentes, Assessores e funcionários mais ou menos piores. Porque ele já é irretocavelmente o melhor […] Continue lendo

dezembro 6, 2012

Governador retalia articulista do BLOG do AFR

amadeurobsonO preço da livre manifestação em defesa da categoria

O BLOG do AFR se solidariza com o colega paraibano Amadeu Robson M. Cordeiro, que sofre retaliação por parte do Governador da Paraíba Ricardo Coutinho, com a demissão de seu filho da Procuradoria Geral do Estado, por fazer uso do direito à liberdade de expressão, assegurado pela Constituição Federal,.

Amadeu escreve artigos para diversos veículos de comunicação, nos quais expressa opinião sobre diversos assuntos, inclusive em defesa da categoria profissional a que pertence, o Fisco. As palavras de Amadeu devem ter incomodado o Governador Republicano. Autoritarismo não combina com democracia […] Leia mais

setembro 3, 2012

Governo… custe o que custar

Amadeu Robson Cordeiro

Quando se escreve um artigo você está sujeito a elogios ou criticas, estas, muitas vezes de forma agressiva. Neste particular cheguei à conclusão por experiência própria de que o comportamento defensivo se externa quando a pessoa, através de sua desconfiança, imagina um perigo no grupo, desgastando, portanto, suas energias numa auto defesa que pode ser inútil se o perigo não for real e não passar de uma mera “encucação” individual. Sim, há pessoas inseguras ou medrosas, que nunca estão no seu natural. Colocam-se sempre na defensiva, preocupadas consigo mesmas, num esforço desmedido em saber como estão sendo vistas pelos outros, como devem fazer para serem identificadas de forma mais favorável: como vencer, como impressionar, manter-se impune ou, então, como reduzir ou evitar em suas alucinações sua exposição ao grupo.

Enfim, é apenas um desabafo localizado. Não que vá mudar o que quer que seja, mas sempre é uma opinião particular, “livre” e não há nada melhor para o fígado do que libertar a bílis em excesso.

Bom, mais o texto agora escrito é para o governo e retrata um pouco das suas atitudes de desrespeito ao servidor público. Por esta via existem palavras, frases, atos, formas de dizer às coisas que têm um estranho e desconfortável condão de nos indignar. Sim, bem dentro do nosso íntimo. E há gente, pessoas, que apesar de investidos de responsabilidades na primeira linha da hierarquia que são capazes de esgrimir essas palavras, essas frases, esses atos, essa forma de dizer as coisas de modo a deixar-nos abatidos e indignados […] Leia o artigo completo

junho 1, 2012

Era uma vez…

Amadeu Robson Cordeiro

Sempre fui um servidor público motivado. Motivado porque achava que trabalhar na administração pública era algo nobre, que valia a pena todo o meu esforço. Assim, hoje eu digo: “Era uma vez um servidor público motivado”. Servidor que não se importava com o aproveitamento político e financeiro que a classe dirigente fazia em troca dos cargos de direção, como também, não se importava com a renúncia à dignidade vendida a troco de migalhas. Sim, era uma vez…

Era uma vez um funcionário público motivado que um dia começou a se preocupar com o fato de que as coisas não estariam mudando. Um dia em que reparou que as coisas tinham até piorado. Importou-se com o desrespeito governamental, ao ver os direitos conquistados por sua categoria funcional serem usurpados ditatorialmente. Importou-se quando se conscientizou de que moralidade é pano de fundo e que salários de gestores aglutinados ao privado, subestimam a classe dos servidores em geral […] Leia o artigo completo

março 19, 2012

O sonho e o dilúvio

Amadeu Robson Cordeiro

Tive um sonho mais ou menos como àquele do Apocalipse, que retroagi ao início do ano passado. Nele o Senhor apareceu para o governador Ricardo Coutinho (PSB-PB) e, entre a corrompida camada de ozônio, lhe proclamou: Ricardo, não estou contente com o funcionalismo público, estão preguiçosos, mal humorados, não atendem bem ao público, só defendem interesses pessoais, enfim, não estou satisfeito com nada do que tenho visto nesta terrinha: vou matar todo o mundo… ou quase e comunicou que ele, Ricardo, comandaria uma nova arca de Noé para preservar o coletivo para a terceira etapa da civilização. O sonho fluía e vi o Senhor informar a Ricardo que ele deveria escolher, entre milhares de candidatos, somente algumas centenas para embarcarem nesse ansiado empreendimento […] Leia a crônica completa

março 2, 2012

Servidor Público… a esperança que dói

Amadeu Robson Cordeiro

Sou um cidadão paraibano e, como todos os meus companheiros e demais servidores públicos do Estado, estamos sentindo na “carne” a dor material pela carência das coisas que tínhamos conquistados com muito suor e luta, no transcorrer da nossa vida profissional. E na alma sentimos a tristeza, a decepção pela indiferença em que fomos jogados, como se fôssemos à excrescência da pior moléstia existente. Todos os nossos sonhos que construímos com o nosso trabalho, pensando na tranqüilidade futura entre nossos familiares, parecem-nos em vão. O senhor rasgou os nossos direitos, governador. Nossas conquistas obtidas e mantidas em governos passados, inclusive, com o aval de alguns dos seus auxiliares direto, hoje para Vossa Excelência é coisa imoral, é ilegal, e estás fazendo questão de desmontá-la, num excesso de perseguição, ira e rancor. Por quê? Autoridade do seu governo vai à mídia e com hálito fedido de uma má digestão administrativa/financeira, desdenha da competência da arrecadação de tributos por parte dos servidores fiscais tributários, insinuando que tal arrecadação só serve para compra de cafezinho, gasolina e alguns biscates.  Ora, com certeza tem alguma coisa errada, não achas senhor governador? […] Leia o artigo completo

fevereiro 10, 2012

A caixa de Pandora

Amadeu Robson Cordeiro

Voltar para situações das quais já nos despedimos, buscando os nossos direitos, é como aconselhar a vida a não promover desafios. Posso estar sendo extravagante, mas, não gosto do voltar quando é remexer, repetir, se render, e em certos casos, cair, trair. Voltar me tira a possibilidade de ir em frente, titubeia as minhas decisões, não me permite avançar e zomba das minhas chances de partir, frente as  minhas convicções. Temos de ser livres, porque sem liberdade não somos nada. Ou, mais precisamente, não somos mais que marionetes de nós mesmos, sempre querendo o que nem sabemos se queremos. A liberdade é a chance real de ser livre, independente da barganha. O preso sofre porque sonha com o outro lado da muralha; a alegria de correr lhe parece tão próxima. O peixe se desespera porque contempla a água pertinho, na maré baixa, sem conseguir tocá-la. O passarinho gorjeia seu lamento porque a gaiola vazada expõe os galhos das árvores, que parecem acenar convite para uma longa dança. Alguns não enxergam as suas forças e voltam, retornam e se submetem ao “desde que”. Assim, padecemos com a falsa felicidade, afastada de uma realidade que teimam em não ver […] Leia o artigo completo

Tags:
janeiro 10, 2012

Seu nome. Sua marca. Qual o seu preço?

Amadeu Robson Cordeiro

05 de outubro de 2011. Data histórica para uma categoria funcional que se mobiliza em busca dos seus direitos. Sim, esta data, principalmente agora nos dá uma imagem tridimensional do que realmente somos. Ou do que realmente alguns são. Naquela manhã, bem cedinho, vi uma multidão a se aglomerar por baixo de um Poder estrutural. A Cléo, uma espécie de matrona, tentava ditar as ordens e estabelecer o que ela achava que deveria ser, uma espécie de tirania sacralizada. Ordens que a tudo reduzia, castrava, diminuía e apequenava. Vi também, pessoas altivas e outras tristes, amontoadas embaixo da famosa mangueira, se contorcendo unidas pelos cantos do concreto quente e desolante. Vi também, pessoas com camisas estampando a logomarca do movimento, que emitiam informações precisas a corte tal qual um esbelto e bravo pombo correio. Muitas vezes tomamos atitudes que podem nos levar ao caminho do bem ou do mal. Muitas vezes agimos por interesse pessoal, nos esquecendo dos companheiros de jornada […] Leia o artigo completo

dezembro 21, 2011

Papai Noel não virá à Paraíba

Amadeu Robson Cordeiro

Não tenho bola de cristal como alguns doutores que assim se fazem dotados deste dom, mas, creio, que o Papai Noel não visitará a Paraíba em sua próxima peregrinação. As renas preferiram um pouso mais tranqüilo em nossa abastada vizinhança, já que o tempo em nossa terrinha vem preludiando nuvens carregadas e tenebrosas e as nossas chaminés raquíticas e atrofiadas, estão fragilmente aquecidas nas migalhas de garranchinhos ressequidos e desnutridos pelo descaso da grande corte, descortês. Nosso querido velhinho de barbas brancas não correrá o risco de por aqui ficar atolado. Seria injusto (…) Com seu viço próprio a data da hegemonia universal estará sendo recheada e festejada em mansões e malocas; brindada com champagnes e cachaças; encenada com presentes e ausentes; louvada por Deus e por deuses. Daí, perdoe-me meu Senhor e desculpe-me Freud, parece que estamos perdendo nossas referências, onde o Poder neurótico e ditador, a hipocrisia e o cinismo tornam-se o deus brincalhão de nossas vidas […] Leia o artigo completo

dezembro 13, 2011

Cinismo genocida, quem diria…?

Amadeu Robson Machado Cordeiro

Passando em frente a uma livraria, aqui em João Pessoa, li uma frase que me lembrou a escritora paulista Ilka Laurito, o que vem confirmar que a nossa mente é muito pródiga quando se trata de associarmos o nosso momento atual a alguns acontecimentos da história da humanidade. Freqüentemente, nos escandalizamos com atitudes politicamente incorretas, como a que vivenciamos enquanto categoria funcional e que temos notícias pelos jornais e mídia do cotidiano. E achamos que o mundo de hoje está perdido, louvando os tempos de antigamente em que, supostamente, tudo teria sido melhor e mais digno!… Este mundo está perdido há muito mais tempo do que acreditamos. Tempo em que não havia jornais, televisão, internet, mas existiam outros meios de veicular desmandos e bandalheiras (…) Quando atitudes como essa partem de alguém instalado no poder que já foi sindicalista, que já fez greve, que incentivou a movimentos de mudanças, que se espelhou em o Super Homem como defensor dos fracos e oprimidos, e hoje branda aos ventos tal qual He-Man, do seu Castelo de Grayhukk: “eu tenho a forçççaaaa”, vejo que estamos diante de uma grande mentira, ao tempo em que nos deparamos com uma grave e séria ameaça […] Leia o artigo completo

novembro 10, 2011

II Reich, o Fisco, a Lei

Amadeu Robson Cordeiro

Como dizia Joseph Goebels, ministro da comunicação de Hitler, o grande mentiroso convence primeiro a si próprio, e mentiras insistentemente contadas tornam-se verdades, infelizmente. O resto da história da dupla todos conhecemos. Aqui na Paraíba, terra plural em religiosidade e miscigenação, estamos literalmente vivenciando uma espécie maquiada de um II Reich. A Gestapo, a SS nazista e o famoso ministro/ariano, até parece terem espiritualmente incorporado e, em pleno século XXI, trajando indumentária governamental, ousam em investir pesadamente nos combativos Auditores Fiscais da Receita, que buscam corajosamente a manutenção dos seus direitos. Sabemos que numa batalha muitos saem feridos e que outros tantos poderão cair e sangrar nas valas e trincheiras do tempo, sentenciados a conviverem em guetos tributários, tudo por afrontarem com bravura a tirania do poder. Nesta batalha colegas, não existe a Lista de Schindler, nem tão pouco um plano de fuga. É continuar a nossa boa luta. Ordeira, respeitosa e disciplinada, ou estaremos fadados no tempo ao desrespeito funcional, minados estruturalmente em um campo de concentração do coletivo, sob a espreita de floridos e vigorosos girassóis. Mas tenham a certeza de que todos já estão com os nomes escritos no pergaminho da história do Fisco paraibano. Todos fizeram e estão fazendo a nossa história […] Leia o artigo completo

Tags: ,
outubro 31, 2011

RECEITA-PB, um barco à deriva

Amadeu Robson Cordeiro

O barco paraibano da Secretaria da Receita, faz água, está à deriva. Sim, esta frase é uma síntese para expressar a sensação que predomina na Paraíba, dando substância à teoria, mais que comprovada e fortalecida de que não temos no comando alguém (nem de longe) capaz sequer de entender a gravidade da situação a que chegamos. E muito menos de enfrentar, com algum grau de autonomia, o desafio brutal que é tocar esse barco pesado e perigoso, que pode a qualquer momento se transformar numa Nau Catarineta. Era de se imaginar que durante esses dez meses de estafante viagem, pressentiríamos que esse céu de brigadeiro, tão estrelado sob nossas cabeças, não significava que o mar estava para almirante, e sim para peixes…peixes graúdos. Portanto, não foram surpresas os atos preparatórios, a emboscada maquiada por aquele gigante e esguio iceberg governamental, se avolumando com arrogância das profundezas abismais na tentativa de decapitar, tais quais os Piratas do Caribe, uma ordeira e preparada tripulação […] Leia o artigo completo

outubro 11, 2011

O Poder é traidor

O fisco paraibano passa por um momento em que expõe à sociedade os seus direitos e põe à prova sua capacidade de união e espírito de luta. O motivo do movimento grevista deflagrado se dá pelo não cumprimento de dispositivos previstos no nosso PCCR (Plano de Cargos Carreira e Remuneração), aprovado, homologado e em plena aplicabilidade desde o ano de 2007. Mas, como todo movimento paredista, e o nosso não é diferente, existe sempre alguém se julgando maior do que a própria categoria. São os famosos puxa-sacos ou Judas do serviço público. Existem os que traem por não aderirem ao movimento, e os que traem por seduzirem-se pelas baias do poder, sempre ofuscados pelos cargo […] Leia a íntegra da nova crônica de Amadeu Cordeiro

setembro 27, 2011

Minha empresa, minha família

Senhor Governador. 1. Sou proprietário de uma pequena empresa familiar que mantém ligações umbilicais/sanguíneas com quatro filiais – não concubinas e sim filhos – que ainda, por razões do destino, não conseguiram desgarrarem-se por completo do amparo da matriz; 2. Senhor Governador Ricardo Coutinho, a minha empresa sobrevive há 32 anos pelos serviços funcionais que foram prestados ao Estado e, exatamente agora, na sua administração vem passando por sérias dificuldades de ordem financeira, motivado pelo não repasse de valores (PCCR) que a minha modesta empresa familiar é detentora, por lei e direito; 3. A minha empresa senhor governador, não tem outra fonte de renda, não participa de licitações, não tem terrenos para negociar com grandes empresários, não tem reserva milionária em caixa, enfim, minha empresa não tem um CNPJ, opera tão somente com a matrícula 87.747-6 (a matriz) e suas filiais com modestos CPF’s” […] Leia o artigo completo do articulista Amadeu Robson Cordeiro

Tags: