Motivação no Serviço

Alexandro Afonso

“Obrigado por ajudar com as dúvidas. Meu objetivo é outro, então eu não tenho participado muito. Só faço o meu trabalho.”

aa1Essa é uma frase típica de um servidor público ou trabalhador da iniciativa privada que está desligado mentalmente da instituição ou empresa para a qual trabalha. Ele vai ao trabalho, faz tudo que mandam e se sente realmente feliz quando chega a hora de ir embora. O objetivo dele é algo em sua vida pessoal. O trabalho é um “mal necessário” para manter seu próprio sustento ou o da família. Esse trabalhador provavelmente não é de alta eficiência e parece difícil que seja um indivíduo inovador no trabalho, alguém que fará de sua instituição ou empresa algo melhor no futuro. A desmotivação ao trabalho é o sintoma, mas quais são as causas?

Vamos voltar no tempo e olhar um servidor público concursado. Em algum momento ele entrou no órgão através de concurso duríssimo. Para ser aprovado precisou de motivação e na posse ela ainda estava presente. Seus olhos brilhavam e o sorriso no rosto era impossível de ser disfarçado. Chegando em um ambiente diferente ele ainda não sabia as “regras sociais” específicas. A melhor forma de se apresentar era com pro atividade e interesse.

Corre o filme e três anos depois o mesmo servidor tem olhar morto, mas apesar disto está alerta e se assusta com qualquer contato humano diferente no trabalho. Muitos ficam ariscos, alguns irônicos enquanto outros desenvolvem a capacidade de camuflagem e se confundem com a paisagem.

Quais são as causas para que este fenômeno se repita indefinidamente no serviço público? O que estamos fazendo errado? Será que a falta de evolução que testemunhamos diariamente não se deve a este problema? As perguntas são muitas e as respostas são complexas. Mas vamos partir de outro ponto: de quem é a responsabilidade por um servidor desmotivado, do servidor ou da instituição na figura de seus gestores?

aa2Ao servidor cabe fazer o trabalho a que foi designado e tudo que gira em torno disto. Análise de processos, trabalhos mecânicos, desenvolvimento de sistemas, gestão de projetos, entre outros. Ao fazer o trabalho vê oportunidades de melhorar, vê coisas que poderiam ser acrescentadas, outras retiradas, etc. Além do trabalho em si, cabe a ele propor e executar ideias inovadoras que melhorem a eficiência. Cabe, por fim, dar o melhor de si, motivado.

Ao gestor cabe fazer a gestão, claro. Porém, é mais comum ver gestores públicos fazendo o trabalho dos seus subordinados do que fazendo gestão. Revisão de português, controle de qualidade, execução do serviço em si, micro distribuição de trabalho, tratativa de casos específicos, entre outros. Quase tudo “se avoca” no serviço público. Talvez porque não esteja claro qual é o papel do gestor ou o que é gestão. Isto vem antes de discutirmos a formação contínua dos gestores porque ao não saber o que é gestão no serviço público não há como preparar alguém para ela.

Porém, é fato que ao avocar tarefas de seus subordinados o gestor deixa o seu próprio trabalho de lado. Ele deixa de monitorar a motivação da equipe, deixa de fazer a gestão dos interessados através de contatos com outras unidades ou órgãos, fica cego para os casos em que a justiça organizacional está em perigo, não discute capacidade de trabalho com seus superiores, não discute mais carga de trabalho, não imagina outras formas de organização que poderiam tornar o trabalho mais eficiente, entre tantas outras grandes e importantes tarefas que são abandonadas ao avocar o trabalho dos subordinados.

O servidor, por sua vez, se sente desprestigiados por ter seu trabalho avocado constantemente e também sente que nenhum esforço adicional ou diferente será recompensado uma vez que acha que não há um gestor de fato atuando em sua unidade ou equipe.aa3

Por mais que o servidor seja responsável por “dar o seu melhor”, isto só será possível com um ambiente propício. Criar o ambiente ideal para o florescimento da motivação genuína é o principal papel do gestor. Por outro lado, se o servidor tiver de lutar contra o ambiente para se manter motivado é quase certo que ele desviará o foco para alguma atividade que lhe dê mais realização.

Este é um dos fatores desmotivadores que atuam ao longo do tempo. Há diversos outros fatores como a dificuldade do trabalho a que um trabalhador está submetido (muito fácil ou muito difícil), o nível de autonomia (com responsabilidade), o propósito das atividades, a remuneração, as oportunidades de crescimento, o nível de controle, as condições físicas, etc.

Não é possível tratar de todos os pontos em um artigo curto. Mas para mim é bem claro que já passou da hora de tratar o tema “motivação” com máxima prioridade.

Com nova diretoria e novo conselho no Sinafresp uma janela se abriu. Ao menos para os AFRs. Boas festas. =]

afr.afonso@gmail.com

NOTA: O BLOG do AFR é um foro de debates. Não tem opinião oficial ou oficiosa sobre qualquer tema em foco. Artigos e comentários aqui publicados são de inteira responsabilidade de seus autores.

ARTIGOS de ALEXANDRO AFONSO

One Comment to “Motivação no Serviço”

  1. Alexandro, não seria isso que você propõe perseguir uma quimera? Não vou questionar o quanto algumas funções nossas poderiam ser repassadas a estagiários ou a falta de autonomia. Isso é o óbvio ululante.
    Meu ponto é outro. Nós somos trabalhadores eminentemente burocráticos. Criatividade não condiz (muito) com serviço público, pela própria natureza do trabalho e pelo enrijecimento imposto pela nossa cultura da desconfiança.
    Para mim, satisfação profissional está em um cirurgião que salva vidas, um engenheiro que resolve problemas técnicos (ainda que com um salário miserável), um pesquisador, etc; não em um tecnocrata.
    Às vezes penso que por termos um bom nível intelectual e por termos sido aprovados em um concurso difícil achamos que o cargo deveria corresponder às nossas aspirações intelectuais. Nada mais falso. Inclusive grandes cargos tão almejados por alguns fiscais de rendas (ministério público, magistratura, etc) possivelmente são tão burocráticos quanto.

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: