De mal a pior

João Francisco Neto

“No Brasil, constatou-se que nenhum jovem quer ser professor”

Mais uma vez, ficamos sabendo que o Brasil foi classificado nas últimas posições entre os 70 países que participaram do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês), em disciplinas como Matemática, Leitura e Ciências. O pior resultado foi em Matemática, em que o Brasil foi posicionado em 65º lugar.

Por aqui, sempre que fazemos comparações, temos o hábito de tomar os Estados Unidos como referência para quase tudo. Porém, quando o assunto é a excelência do sistema educacional, a Finlândia é um dos principais países a ser observados. O reconhecimento internacional do alto nível educacional da Finlândia iniciou-se a partir de 2001, com a divulgação dos primeiros resultados do Pisa, uma iniciativa da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE), cujo objetivo é monitorar o desempenho dos sistemas educacionais dos países participantes. Desde então, a Finlândia vem se mantendo nos primeiros lugares do Pisa.

Os defeitos e os problemas do Brasil já são bem conhecidos. Mas, quais seriam os “segredos” do sucesso da Finlândia no campo educacional? Nada ocorre por ocaso: a Finlândia é uma das sociedades mais avançadas do mundo, em termos de civilização e bem-estar social. Entretanto, há pouco mais de 40 anos, o sistema educacional finlandês não era nada satisfatório, e também enfrentava graves problemas. A mudança se deu a partir dos anos 1970, e ocorreu sem saltos ou retrocessos, e sem oportunismo político.

Na década de 1990, o setor público da Finlândia sofreu um desmonte, resultante da onda neoliberalista que se espalhou pelo mundo. Todavia, a área da educação passou imune a esse processo de enxugamento, e até hoje quase toda a educação é integrada por escolas públicas. Apenas 2,5% são privadas.

A boa qualificação dos professores é considerada a peça principal que alçou a educação finlandesa à sólida posição em que se encontra. Todos os professores, desde a 1ª série do ensino fundamental, antes de começar a lecionar têm de fazer o mestrado. Na Finlândia a carreira de professor confere grande prestígio à pessoa (no Brasil, também já foi assim!), e o ingresso nas faculdades de licenciatura é muito disputado pelos alunos. Já no Brasil, na pesquisa para levantamento dos dados do Pisa-2015, constatou-se que nenhum jovem quer ser professor quando tiver 30 anos de idade.

Como regra, na Finlândia os docentes exercem a profissão em período integral, e numa única escola, onde dispõem de ampla autonomia para adaptar os currículos e os conteúdos ministrados aos alunos. Como os salários estão na média dos outros países da União Europeia, os pesquisadores consideram que os elementos-chave para a valorização do professor na Finlândia devem-se, sobretudo, ao elevado prestígio social e às boas condições de trabalho.

Daí os diversos estudos sobre o assunto concluírem que um dos grandes “segredos” da Finlândia é manter um quadro de professores altamente bem treinados, respeitados, motivados, bem remunerados e com ampla autonomia de ensino. Afinal, é preciso ter plena consciência de que nenhum sistema educacional poderá ser melhor do que a qualidade de seus professores. Na verdade, são aspectos que deveriam ser observados não só na área da educação, mas no âmbito do todo o serviço público. Neste ponto – e em outros, também – o Brasil ainda tem muito que aprender e avançar. Por ora, estamos indo de mal a pior.

jfrancis@usp.br

*Agente Fiscal de Rendas aposentado, mestre e doutor em Direito Econômico e Financeiro (FD-USP)

ARTIGOS de JOÃO FRANCISCO NETO

NOTA: O BLOG do AFR é um foro de debates. Não tem opinião oficial ou oficiosa sobre qualquer tema em foco.
Artigos e comentários aqui publicados são de inteira responsabilidade de seus autores

Tags:

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: