“Juízes não devem ter vergonha de pedir aumento”

Magistrados também querem adicional de tempo de serviço

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski defendeu que os juízes do país não tenham vergonha de reivindicar reajustes salariais, ao discursar na abertura do encontro nacional dos magistrados estaduais na noite desta quinta­-feira (3) em Porto Seguro (BA).

Ao falar sobre as perdas salariais dos juízes, o ministro do STF disse que “não há vergonha nenhuma nisso, porque os juízes, no fundo, são trabalhadores como outros quaisquer, e têm seus vencimentos corroídos pela inflação”.

Condomínio aumenta, IPTU aumenta, a escola aumenta, a gasolina aumenta, o supermercado aumenta, e o salário do juiz não aumenta? E reivindicar é feio? É antissocial isso? Absolutamente, não.”

Após aplausos, o ministro completou:

para que possamos prestar um serviço digno, é preciso que tenhamos condições de trabalho dignas e vencimentos condizentes com o valor do serviço que prestamos para a sociedade brasileira”.

Lewandowski também defendeu a aprovação da PEC (Projeto de Emenda à Constituição) nº 63/2013, que prevê a criação de um adicional por tempo de serviço aos magistrados.

O ministro do STF também falou sobre temas de filosofia e direito na cerimônia de abertura do 6º Encontro Nacional de Juízes Estaduais, que é realizado a cada três anos pela AMB (Associação dos Magistrados Brasileiros).

O evento deste ano conta com a participação de cerca de 700 juízes e vai até sábado (5).

Nesta sexta (4), o juiz federal Sergio Moro proferirá palestra. A presidente do STF Cármen Lúcia encerrará a programação técnica do encontro no sábado.

A cerimônia de abertura do Enaje na quinta teve show do sambista Diogo Nogueira e a festa de encerramento no sábado à noite será animada pela cantora Ivete Sangalo.

Fonte: Folha de S.Paulo

Leia também:

Magistrados do DF ganham mais de R$ 90 mil

Magistrados paulistas recebem R$ 70 mil liquidos

Para magistrados, teto virou piso

4 Comentários to ““Juízes não devem ter vergonha de pedir aumento””

  1. Evento de luxo de juízes na Bahia é bancado por empresa condenada BRASÍLIA

    Uma empresa com extenso passivo judicial que inclui condenações por crimes ambientais, trabalhistas e fiscais patrocina um evento da Associação de Magistrados Brasileiros (AMB) que reúne milhares de juízes em um resort cinco estrelas em Porto Seguro (BA), e será encerrado com um show da cantora Ivete Sangalo amanhã, sábado.

    A Veracel Celulose é uma das patrocinadoras do VI Encontro Nacional de Juízes Estaduais (Enaje), realizado em um paradisíaco resort em Arraial d’Ajuda, distrito de Porto Seguro. O evento também é apoiado pela Caixa Econômica Federal e pela estatal baiana Bahiagás.

    O Arraial D’Ajuda Eco Resort fica na Ponta do Apaga Fogo e conta com um cais, praia privativa e uma piscina de 700 metros quadrados na beira do mar. A diária no resort custa R$ 605. A AMB não paga as passagens aéreas nem a hospedagem, mas negociou descontos para quem for participar do evento. Em alguns casos, tribunais pagarão diárias a magistrados que participarão do encontro.

    Na programação oficial do evento, os destaques são a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, e o juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Lava-Jato, que participará de um talk show com Gherardo Colombo, membro da Suprema Corte Italiana que atuou na Operação Mãos Limpas.

    O ministro Ricardo Lewandowski, também do Supremo, fez a abertura na noite de ontem.

    Empresa dos grupos brasileiro Fibria e sueco-finlandês Stora Enso, a Veracel está instalada no Sul da Bahia, onde tem uma vasta área de plantio de eucalipto, uma planta industrial para produção de celulose e até um terminal marítimo. A companhia já foi condenada na primeira instância do Judiciário nas áreas ambiental, trabalhista e fiscal. A empresa recorre, mas já foi condenada em segunda instância em um processo que trata do não pagamento de IPTU ao município de Belmonte (BA), cidade que ocupa o número 4.198 no ranking do Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) dos municípios brasileiros, ficando entre os piores do país.

    A empresa também move dezenas de ações, boa parte delas de reintegração de posse de parte de suas terras. No site do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA), há o registro de 106 demandas judiciais que envolvem a empresa na primeira instância. A Veracel aparece 24 vezes como ré e em outras 19 oportunidades é alvo de execução fiscal. Há ainda quatro ações em que a empresa foi acionada como “requerido”. Nos demais 59 casos foi a empresa quem acionou a Justiça. Há ainda outros 11 registros de procedimentos no Superior Tribunal de Justiça (STJ), 24 no Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1), além de dois recursos da empresa no Supremo Tribunal Federal (STF).

    Fonte: Valor

  2. Sem comentários.
    Este senhor é de uma desfaçatez típica dos petralhas.
    Para os juízes vale tudo o que é penduricalho. Só eles têm direito de manter o poder aquisitivo dos seus salários!!!
    Este mesmo senhor na calada da noite na véspera do 1º turno da eleição fraudulenta de 2014, aquela que no 2º turno deu vitória a Dilma após o engodo das 3 horas do fuso horário do Acre, e da proibição da divulgação da boca de urna com a desculpa deste fuso horário, este mesmo senhor monocraticamente sentado na presidência do STF, na calada da noite, joga na latrina dos seu palácio o direito adquirido alimentar dos funcionários públicos dos outros poderes.
    É muito cínico mesmo!
    Por essas e outros tem que ser muito tonto e alienado quem acredita que com essa gente na gerência do país teremos algum futuro digno.
    Até quando os escroques que dominam esta terra abusarão da nossa paciência???

  3. Mais, fôssemos uma república, este senhor que no caso do recente impeachment fatiou a norma constitucional e a legislação do impedimento, para favorecer seus padrinhos, seria defenestrado de imediato.
    Todavia como vivemos num bordel feudal travestido de pseudo democracia, somos, o povo, subjugados por gente desse naipe.

  4. O que o ministro Ricardo Lewandowski disse, em seu pronunciamento lá nesse importante evento dos magistrados, deve também ser dito com todas as letras, pelo presidente do SINAFRESP, no gabinete do SEFAZ-SP e no gabinete do Governador Alckmin, pois os fiscais de rendas precisam fazer valer sua força na busca do reconhecimento de nossas reivindicações de reajustes de salários e do pagamento das PRs atrasadas.

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: