Temer quer alíquota de 20% para servidores

Contribuição maior seria cobrada pelos próximos cinco ou seis anos

Os servidores públicos municipais, estaduais e federais também deverão ser atingidos pela reforma da Previdência (voltada, principalmente, para a iniciativa privada). Segundo uma fonte ligada ao grupo que trata do assunto, o governo federal estuda incluir nas mudanças a chamada “contribuição de alíquota especial” para a Previdência de todo o funcionalismo do país, cujo percentual passaria dos atuais 11% para até 20%.

O aumento da alíquota de recolhimento, que deverá gerar polêmica entre os servidores, ainda não está fechado. Ontem, representantes de sete estados, além do governador licenciado do Rio, Luiz Fernando Pezão, foram a Brasília discutir o assunto com o presidente Michel Temer.

Ainda segundo a fonte, a contribuição maior seria cobrada pelos próximos cinco ou seis anos, período chamado de “agudo” pela equipe interministerial que cuida do caso, para tentar diminuir o déficit dos Regimes Próprios de Previdência da União, dos estados e dos municípios. Após este período, a ideia seria reduzir a contribuição progressivamente, até o percentual ser fixado em 14% — índice que já era defendido por vários governadores. Hoje, todos os servidores ativos das esferas federal e estadual contribuem com 11% de seus salários para seus respectivos seus fundos de Previdência.

A medida é uma tentativa do governo federal de ajudar estados e municípios a diminuir os rombos nos fundos previdenciários. Hoje, o Rioprevidência — de aposentados e pensionistas do Estado do Rio — passa por sérias dificuldades financeiras, com um déficit de R$ 12,5 bilhões. Passando por restruturação desde 2013, a expectativa é que as contas do fundo só atinjam o equilíbrio entre 2050 e 2055.

Hoje só se paga sobre o que ultrapassa o teto

O Rioprevidência é o principal peso sobre as contas do Estado do Rio. Dos R$ 17,2 bilhões necessários para este ano, somente R$ 5 bilhões serão garantidos pelas contribuições dos servidores. Além disso, A União estuda mudar a contribuição de aposentados e pensionistas. Caso a ideia seja aprovada, os inativos terão que contribuir sobre todo o valor recebido, e não apenas sobre o que ultrapassar o teto pago pelo INSS, de R$ 5.189,82, como acontece atualmente.

Hoje, os inativos da União e do Estado do Rio recolhem 11% sobre o que vai além do teto do INSS. Nos municípios, fica a critério de cada prefeitura. No Rio, apenas os ativos contribuem.

Fonte: Jornal Extra

Leia também:

A falácia do rombo na Previdência

O tamanho do Estado

Reforma da Previdência: Governo interino promete regra de transição

5 Comentários to “Temer quer alíquota de 20% para servidores”

  1. É revoltante. Por que ele não paga do próprio bolso? Pq não tira das mordomias dos políticos? E o dinheiro q os governos estaduais sempre meteram a mão da previdência dos funcionários e não devolveram? SP q sempre descontou dos inativos, pq não tem dinheiro? O inferno é aqui na Terra!

  2. Infelizmente eles sempre conseguem piorar a nossa situação. E nós nunca conseguimos melhorar nada a nossa situação mesmo recorrendo à justiça. Resultado: Eles sempre ganham.

  3. Cobrar a Previdência sobre INATIVOS é algo inconsebivel em qualquer PAÍS SÉRIO.

  4. Pois é minha gente, é o socialismo moreno que se avizinha.! porque será que somente o povo e os servidores públicos são obrigados a pagar uma conta que sempre resulta de uma má administração do dinheiro público e de juma má administração da coisa pública?. É revoltante!. Será que esses políticos e governantes não estão vendo ou não querem enxergar que é desumano aumentar a alíquota da contribuição previdenciária sobre os salários dos servidores públicos, que sempre estão sendo massacrados, com salários achatados já faz muito tempo. Entrementes, o governo quer incutir na mentalidade do povo e da sociedade civil em geral, que o sistema previdenciário está deficitário, mas, isso é uma enorme mentira deslavada e sem fundamento, pois, segundo opinião de profissionais militantes na área atuarial, a previdência é superavitária, a previdência social dá lucro (vejam opinião do Deputado Federal Arnaldo Faria de Sá). Mas, no entanto, governo insiste em querer ferrar os trabalhadores e servidores públicos, na intenção clara de querer tampar buracos financeiros causados pela máquina administrativa desarrumada, loucos na corrupção e desvairados no desequilíbrio orçamentário todos os anos. Isso é a maior baixaria administrativa que já viu em nosso país. O povo não pode deixar isso continuar. O povo haverá que buscar dar um basta nessa situação, ainda que seja à custa de muito suor e sangue.

  5. A cobrança da contribuição dos inativos é desconhecida pela maioria da população. Seria interessante que a mídia fosse acionada para que a população tomasse conhecimento. Principalmente agora que estão falando em contribuição de 20 %!!!!!

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: