Queda de braço: Temer versus Auditores da RFB

Pressão por reajustes cresce

A nova postura do governo federal em suspender o apoio à aprovação das propostas de reajustes salariais de servidores públicos, que tramitam no Congresso Nacional, já movimenta diversas categorias que se preparam para aumentar a pressão e as greves iniciadas nos últimos meses.

A orientação do Planalto à equipe econômica é de que novos projetos não sejam enviados ao Parlamento. O governo também não vai mais orientar a sua base a aprovar os textos que tramitam na Casa. Se esses projetos não forem aprovados, o governo poderá economizar R$ 7,2 bilhões no ano que vem.

Além disso, o tratamento aos grevistas endureceu. O Ministério das Relações Exteriores, por exemplo, cortou o ponto de cerca de 480 funcionários que aderiram à greve, iniciada em agosto. Além disso, 15 funcionários que tinham postos de chefia entregaram os cargos, o que foi aceito pela administração.

O corte de ponto, informou o Itamaraty, está de acordo com a legislação sobre direito de greve. O Ministério do Planejamento, por sua vez, disse que essa medida é um “procedimento usual”, regulado em decreto de 1995. No total, o Itamaraty tem 3,4 mil funcionários. O maior número de adesões ocorreu na sede do ministério, em Brasília.

Ciente da nova postura do governo, o presidente do Sindifisco Nacional, Cláudio Damasceno, convocou para esta terça-feira, 20, uma assembleia com os servidores da categoria para deliberar sobre o rumo do movimento dos auditores fiscais da Receita Federal. A “operação padrão”. O retorno do pente fino nas alfândegas pode ser pautado na reunião.

Fonte: Jornal O Estado de S. Paulo

Leia também:

Auditores da Receita Federal reiniciam Operação Padrão

Temer encaminha projeto acordado com auditores federais

Ameaça de greve dos Auditores da Receita Federal

Tags:

2 Comentários to “Queda de braço: Temer versus Auditores da RFB”

  1. As atitudes anunciadas pelo governo Temer neste artigo são coerentes com programa econômico deste governo Temer.Uma politica econômica que vai jogar a carga da correção de rumo do Brasil nos assalariados da área privada e de estado.Governo que tem apoio na Mídia, e no Congresso. E baixa popularidade nas pesquisas de opinião. Reagirão os pagadores da conta a altura do ataque recebido?

  2. Quem está passando o Serrote no ministério das relações exteriores? Já vi esse filme antes em SP… Alguém tem dúvida do q vai acontecer ainda?

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: