Archive for setembro 4th, 2016

setembro 4, 2016

A ilusão da estabilidade

João Francisco Neto

“Instalou-se então a filosofia do “gerencialismo”, que pretende explicar e interpretar o mundo a partir das categorias da gestão privada”

Nas últimas décadas, temos assistido a profundas mudanças nas estruturas do mundo do trabalho, com consequências diretas para o trabalhador. A crise que atingiu o sistema capitalista fez com que as empresas abandonassem os modelos tradicionais de emprego (o fordismo e o taylorismo), substituindo-os pelas diversas formas de cooperativismo, empreendedorismo, terceirização, etc., tudo em busca da diminuição de custos. Neste cenário, é óbvio que os reflexos sobre os trabalhadores logo se fizeram sentir. Hoje se exigem trabalhadores de perfil diferenciado, mais participativos, proativos, qualificados, polivalentes e sempre aptos a enfrentar novos desafios. Foi-se a época em que um empregado passava a vida inteira numa mesma empresa, e, não raro, na mesma posição.

Todas essas mudanças acabaram por resultar na diminuição do número de empregos; o ideal, agora, é alcançar o modelo da “fábrica magra”, dotada de uma estrutura flexível e número reduzido de funcionários, fácil de se acomodar frente às oscilações do mercado. São fatos que vêm levando a uma acentuada redução do número de empregos formais, ao mesmo tempo em que provocam reflexos junto às funções até então atribuídas aos Estados. A onda do enxugamento das estruturas de trabalho tradicional, bem como o ideal da “fábrica magra”, acabou por contaminar o ambiente dos serviços públicos, considerados ineficientes, onerosos e burocráticos.

read more »

Tags: