Sem correção na tabela do IR, trabalhador vai pagar mais

Segundo Sindifisco Nacional, defasagem da tabela do IR é de 72%

A decisão do governo de não reajustar a tabela impacta contribuintes de todas as faixas salariais, com prejuízos ainda maiores para quem ganha menos. Esta é a avaliação do presidente do Conselho Regional de Contabilidade do Paraná (CRC -PR), Marcos Sebastião Rigoni de Mello:

Lamentavelmente, o governo usa a arrecadação, em vez de promover corte nos gastos públicos, sacrificando o povo e as empresas brasileiras. Essa decisão é negativa para os assalariados, que ganham menos e deixam de consumir. O comércio também vende menos, as indústrias não produzem e as empresas fecham, gerando um efeito cascata prejudicial para a economia do país”

Mello destaca que os reajustes salariais concedidos pela maioria dos sindicatos em 2015, entre 8% e 10%, acabam absorvidos pelo IR, principalmente quando o trabalhador muda de faixa salarial, saindo da isenção. “Para quem ganha menos, qualquer real que é tirado faz falta no orçamento”, diz.

De acordo com o contador, se a tabela, que hoje apresenta a maior defasagem em 10 anos, tivesse sido reajustada pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a isenção em 2016 deveria ser para quem ganha até R$ 2.107,13 e não os atuais R$ 1.903,98. Se não houvesse defasagem histórica de 72% em relação à inflação nos últimos 20 anos, como aponta estudo do Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional) em relação à inflação, a renda mensal isenta deveria ser de R$ 3.250,00.

Prejuízo maior

Mello esclarece em mais detalhes a questão. “No ano passado, houve uma correção média de 5,5% e mesmo assim, o povo pagou 4,81% a mais de imposto. Fechamos 2015 com inflação galopante, com IPCA de 10,67%, e com todos os demais índices econômicos também acima dos 10%. Sem correção, a população vai pagar 10,67% a mais de imposto em 2016”, explica.
Segundo dados do Sindifisco Nacional, a defasagem na correção da tabela é mais prejudicial para as pessoas que possuem menor renda tributável mensal.
Por exemplo, para aqueles com rendimento de R$ 4 mil, a não correção da tabela impõe um recolhimento mensal a mais de R$ 206,72, valor 361,72% maior do que deveria ser. Já o contribuinte com renda mensal tributável de R$ 10 mil paga 48,49% a mais do que deveria.

Fonte: Paraná Online

2 Comentários to “Sem correção na tabela do IR, trabalhador vai pagar mais”

  1. E o silencio dos operários do fisco sobre toda essa ignomínia, ano após ano, sobre o povo brasileiro é que mostra a dicotomia entre nós e o povo.
    Enquanto não entendermos que somos servidores do povo, e não lacaios de um estado predatório, e que nossa função é defender os interesses da população, jamais seremos benquistos e valorizados. Jamais teremos a sociedade civil como parceira em nossa reivindicações classistas.
    É obrigação de todos os nossos sindicatos se levantarem numa cruzada nacional pela implantação de um sistema tributário justo, não regressivo, verdadeiramente distribuidor e equalizador da renda.

    • Edison, os sindicatos dos fiscais deveriam cerrar fileiras com o Sindifisco Nacional que tem feito seu papel batendo nesta tecla da correção da tabela do IR

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: