Teto e IPCA: Evolução em 10 anos

Ruptura do paradigma acelerou a Reestruturação

Até a Emenda 41/2003, as vantagens pessoais (quinquênio e sexta-parte) não estavam sujeitas ao teto. No gráfico, percebe-se a queda da remuneração depois de aprovadas as novas regras trazidas pela Reforma da Previdência.

No cálculo foi utilizado, como parâmetro, o AFR externo, incluído o Ad. Transporte, o que aproxima da condição do AFR interno (Ass. Fiscal), muito embora não possamos esquecer que o AFR aposentado não tem direito ao AT. Não foi considerada a PR, uma vez que esta substituiu o antigo Bolinho (cotas reserva semestral) e Bolão (cotas reserva anual).

O Nível 1 foi considerado sem quinquênios e sexta-parte. Para o Nível VI, ao contrário, foram computados 4 quinquênios e sexta-parte […] Veja o gráfico (requer senha)

2 Comentários to “Teto e IPCA: Evolução em 10 anos”

  1. Esta situação dos Afr(s) paulistas mos
    tram a situação calamitosa em que se
    encontra a administração estadual e
    o Picole de Xuxu candidatissimo ao
    Planalto em 2018.
    O Estado de São Paulo esta sendo
    administrado como se fosse cidade interiorana.
    Uma centralização jamais visto em
    nosso Estado,,??!!

  2. É LAMENTAVEL VER A NOSSA CARREIRA,CADA DIA SENDO MAIS DESVALORIZA.
    INFELIZMENTE JA FAZ ANOS QUE OS AFRS ESTÃO SENDO MASSACRADOS PELO GOVERNO,NO CAMPO SALARIAL.
    MAS É O QUE TEMOSSSSSSSSSSSSSSSSS.

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: