Archive for outubro 25th, 2014

outubro 25, 2014

Teto e IPCA: Evolução em 10 anos

Ruptura do paradigma acelerou a Reestruturação

Até a Emenda 41/2003, as vantagens pessoais (quinquênio e sexta-parte) não estavam sujeitas ao teto. No gráfico, percebe-se a queda da remuneração depois de aprovadas as novas regras trazidas pela Reforma da Previdência.

No cálculo foi utilizado, como parâmetro, o AFR externo, incluído o Ad. Transporte, o que aproxima da condição do AFR interno (Ass. Fiscal), muito embora não possamos esquecer que o AFR aposentado não tem direito ao AT. Não foi considerada a PR, uma vez que esta substituiu o antigo Bolinho (cotas reserva semestral) e Bolão (cotas reserva anual).

O Nível 1 foi considerado sem quinquênios e sexta-parte. Para o Nível VI, ao contrário, foram computados 4 quinquênios e sexta-parte […] Veja o gráfico (requer senha)

outubro 25, 2014

AFR faz pocket show na FNAC

Vereador por três mandatos, Luis Yabiku encara novo desafio

Após uma vida dedicada ao serviço público, como servidor estadual concursado e como vereador em Campinas por três mandatos, o campineiro Luís Yabiku decidiu abraçar uma de suas grandes paixões e encara um novo desafio: cantar profissionalmente. Ele está lançando seu CD de estreia, “My Way”, onde interpreta grandes clássicos da música popular brasileira e internacional, e fez um pocket show na última quinta-feira (23), na Fnac Campinas.

Yabiku já tem intimidade com os palcos e com a música há muito tempo. Descendente de imigrantes japoneses, ele é campeão estadual e nacional de concursos de Música Popular Japonesa (karaokê), concorrendo ao lado de grandes cantores e cantoras do Brasil e do Japão. Carismático, dono de uma voz afinada e com muita sensibilidade para interpretar músicas românticas, Yabíku agora expande seu repertório para além das canções nipônicas […] Saiba mais

Leia também:

Ser Rico Não É Pecado – Novo livro do AFR Igor Nardelli

AFR vira fotógrafo de modelos

Auditor fiscal e treinador

Tags:
outubro 25, 2014

USP mantém extrateto pré 2003

Na Universidade 539 servidores recebem acima do teto

Internamente, a reitoria decidiu que as gratificações incorporadas aos salários antes de 2003, quando ainda não havia essa regulamentação, devem ser retiradas do cálculo do teto, por serem direito adquirido. Isso faz 536 professores e 3 funcionários, na maioria antigos, ganharem mais do que o governador do estado.

No mês passado, a universidade havia definido que acúmulos remunerados e horas extras devem ser levados em consideração para definir o teto. Com isso, outros 320 servidores tiveram os salários cortados, o que rendeu economia de R$ 6 milhões anuais. As gratificações incorporadas após 2003 também entram no cálculo do teto.

De acordo com a folha de pagamento de setembro, o vencimento máximo na USP era de um professor, no valor de R$ 24.507 (18,6% acima dos vencimentos do governador). A maioria dos docentes (195) com salários superiores ao teto recebe R$ 22.056. Entre os técnicos administrativos, o maior salário é de R$ 22.172.

Os reitores das três universidades estaduais pleiteiam aumento do teto salarial para 90,25% do salário de um ministro do STF, o que corresponde hoje a R$ 26.533, visando garantir a atratividade e a manutenção de talentos acadêmicos nas instituições

A demanda por reajuste é antiga entre professores das estaduais, que ganham menos do que docentes das federais. Para quem já ganha o teto, o reajuste do governador costuma ocorrer só a cada quatro anos […] Saiba mais

Leia também:

Universidades: Depois de longa greve, abono é aprovado

USP: R$ 1.154 mensal de bônus alimentar

USP, 80 anos

Alesp: Oposição será a menor desde 1998

Justiça suspende o subteto dos Procuradores paulistanos