Paga-se muito imposto no Brasil?

joao.mezzomoJoão Batista Mezzomo*

Existem ao menos dois modos de avaliar a carga tributária de um país. Um é em termos de percentual do PIB (Produto Interno Bruto); o outro, em valores (R$) per capita. Se considerarmos a carga tributária em percentual do PIB, o Brasil é aproximadamente o 22º no mundo e tem carga superior à dos EUA e comparável à de muitos países desenvolvidos. Porém, se olharmos pelos valores mensais per capita, o Brasil fica entre os países que menos arrecada entre os 30 países considerados.

O Brasil arrecada, nas três esferas (federal, estadual e municipal) aproximadamente R$ 657,00 por mês por cidadão. Isso significa que para atender a todas as demandas da esfera pública, tais como saúde, educação, segurança, Justiça, salários dos aposentados, remédios, juros da dívida, salários dos funcionários públicos dos poderes executivo, legislativo e judiciário, etc., o setor público dispõe de R$ 657,00 por mês por cidadão, enquanto nos EUA esse valor é de aproximadamente R$ 1.988,13 e na Noruega R$ 3.802,07.

Quem mais paga impostos no Brasil é a classe alta, média ou baixa?

Novamente, temos de avaliar os valores em termos absolutos e relativos. Em valores absolutos é claro que quem ganha mais paga mais impostos, em média. Porém, em valores relativos, no Brasil quem ganha mais paga menos, como podemos ver pelo gráfico a seguir, que nos diz quanto se paga percentualmente por faixa de renda familiar no Brasil […] Continue lendo

2 Comentários to “Paga-se muito imposto no Brasil?”

  1. Acredito que com uma carga de 25% do PIB o Brasil teria uma carga tributária mais justa pois a classe média brasileira não se utiliza dos favores do Estado para a Saúde(Plano Médico), Educação(Escola Particular) e Segurança(Residenciais Fechados). Com isso, ajudaria a classe média a pagar essas despesas e deixaria menos dinheiro para os políticos roubarem.
    Arunas Steponaitis

  2. Se a carga for 25% do PIB em que áreas cortar os 11% da diferença? Salários de servidores? Previdência? Obras públicas? Bolsa-família? Demitir médicos? Demitir professores?
    De nada adianta a carga tributária de 25% se as elites continuarem a pagar 15%, pois suas rendas estão em PJs, que ABATEM TODAS AS DESPESAS antes de apurar o lucro ( e não apenas educação e saúde LIMITADAS, como as PFs ), pagam alíquotas pífias sobre LL ou sobre faturamento (Lucro Presumido), e os rendimentos dos sócios, via dividendos, são ISENTOS.
    Não há como abaixar a carga se queremos melhorias sociaisi. O que é preciso é REDISTRIBUIR A CARGA, fazer com que paguem os que hoje PODEM PAGAR MAS NÃO PAGAM, acabando com privilégios, fazendo com que se pague, por exemplo, ITR sobre latifúnddio hoje irrisório, 0,07% da arrecadação federal total), IPVA sobre helicópteros, jatinhos, iates, lanchas, e o absurdo dos absurdos, IR sobre dividendos (por que o salário tem de pagar 27,5% e o divdendo, que o salário do capitalista, é isento?), e IRPJ sobre rendimentos locatícios pela mesma tabela do IRPF. Só isto já daria uma bela redistribuição na carga.
    A solução é RETIRAR OS PRIVILÉGIOS DA ELITE, e, em contrapartida, amainar a carga da classe média assalariada.

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: