Alckmin se encontra com associação dos APOFPs

Associação representa analistas e especialistas

Na noite de 13 de maio de 2014, o presidente da Associação dos Gestores Públicos do Estado de São (AGESP), Thiago Silveira, encontrou-se com o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, em evento realizado pela Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP).

Na oportunidade, o presidente da AGESP externou o reconhecimento pelo trabalho do governador na condução de uma administração moderna e comprometida com o Estado de São Paulo. Ressaltou também a importância para o Governo do Estado em poder contar com as Carreiras de Gestão (APOFP e EPP) consolidadas em seu quadro de servidores efetivos […] Saiba mais

Leia também:

TEFE’s participam da reunião dos Delegados Regionais

PLC 50/2012 – Sitesp se reúne com Sefaz Adjunto

TEFE’s recebem alta cúpula da Sefaz

Técnicos fazendários pressionam Calabi

Folha de S.Paulo cita resposta dos Técnicos Fazendários

8 Comentários to “Alckmin se encontra com associação dos APOFPs”

  1. Espera aí! O Thiago Silveira enaltecendo o Geraldo Alckmin por uma administração moderna do estado de S.Paulo? O Thiago não conhece a história de Pinheirinho/S.J. dos Campos

  2. Prezado Sr. Marcos,
    Todo líder precisa desenvolver um bom relacionamento com as autoridades do alto escalão.
    Isso deveria acontecer mais no nosso sindicato e na nossa associação.

  3. Adilson Cunha, pelo meu jeito, é prender quem rouba, quem causa prejuízos à sociedade e todos os traficantes de drogas, de favores políticos e facilidades administrativas. Invadir a propriedade alheia é crime, mas quando a tal propriedade alheia foi obtida por meios muito nebulosos que pela certa são criminosos e pode servir à comunidade, se o estado não expropria, os cidadãos mais necessitados de amparo social deverão assumir o papel do estado omisso e invadir a propriedade que passa a ter mais valor para muitos e deixa de ser propriedade dum único cidadão que vive de especulação imobiliária e outras similares!

    • Prezado Marcos, a área invadida pertence a uma massa falida e como tal a justiça, sempre lenta, passou a ter o domínio momentâneo sobre o terreno. Via de regra, os credores (empregados, tributos, fornecedores, etc) esperam o final do “imbroglio” jurídico para serem ressarcidos.

  4. Os maiores credores da massa falida são a Receita Federal e a prefeitura de S.José dos Campos. Houve jogadas muito sujas de Geraldo Alckmin e membros do STJ/SP, não respeitando última decisão da justiça federal que mandava suspender a reintegração de posse, aguardando as negociações que estavam sendo feitas entre as partes com a participação do governo federal. Alckmin não respeitou decisão da justiça. Dilma omitiu-se e o CNJ também. Por trás desta sujeira toda, um grande especulador das bolsas de valores, sonegador de impostos que deve à Receita Federal muitos milhões de reais. Naji Nahas, o nome do grande criminoso financeiro que possuí grande fortuna em paraísos fiscais e é grande amigo do Geraldo. Deve ser uma amizade das reuniões secretas do Opus Dei porque nunca os vi juntos. Tem tanta sujeira neste Brasil varonil que uma faxina nas toneladas de processos judiciais pendentes, faria o País parar por mais de dois anos.

    • A Justiça Federal nada tinha a ver com o caso. A lide tramitava na Justiça Estadual razão pela qual a intromissão da Justiça Federal foi considerada inoporturna pelo STJ, cuja sede é em Brasília. Ademais, Marcos, não fale do que não conhece.

  5. Adilson Cunha, se não conheço este assunto e muitos outros similares, estamos muito mal! A reintegração de posse de imóvel que abriga cerca de 6.000 cidadãos pobres, não pode ser efetivada sem que as autoridades responsáveis pela segurança social debatam com as partes uma solução em que a permanência dos moradores é prioritária. O prefeito da cidade naquela data, um tal de Cury , afeto do Alckmin, fez abortar negociações que caminhavam para uma solução favorável aos moradores e prefeitura, credora de quantia de oito milhões de Reais. O governo federal deveria ter confiscado o imóvel para fins sociais e tinha todo o apoio da lei porque a Receita Federal era credora de mais de 18 milhões de Reais, mais juros de mora e correção monetária.. Há poucos meses atrás esta quantia ainda não havia sido paga. Houve grande interferência de política suja no assunto da parte do Alckmin que contou com a participação do presidente do STJ;SP e de juiz que o representava diretamente no caso. A violenta expulsão dos moradores do bairro Pinheirinho,teve grande repercussão internacional e marcou o princípio do fim da carreira política do vassalo da Opus Dei, Geraldo Cristão de Araque!

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: