A carga tributária e o padrão Fifa

Fernando Brito*

Zerar a sonegação de impostos é uma utopia – embora nisso, como em tudo na vida, devamos sempre perseguir as utopias – mas é possível ver o que uma redução neste ralo fiscal pode produzir para o país.

A discussão, porém, é boa e essencial para o país, porque vai muito além do moralismo e tem a ver com a necessidade de financiar necessidades imensas com os recursos gerados por uma economia que precisa, para isso, crescer sem parar.

Porque você sempre lê e ouve falar que a carga tributária do Brasil é uma das mais altas do mundo, mas isso não se reflete em serviços públicos de qualidade – padrão FIFA, para usar o mote das recentes manifestações.

Mentira, verdade? […] Leia mais

* Fernando Brito é jornalista e editor do Blog Tijolaço. Foi chefe de gabinete do ex-Ministro do Trabalho, Brizola Neto e Secretário de Imprensa nos governos de Leonel Brizola no Estado do Rio de Janeiro.

Leia também:

Brasil “padrão Fifa”

Discutindo a carga tributária brasileira

A regressividade como causa do aumento da carga tributária

Imposto de Renda no Brasil

2 Comentários to “A carga tributária e o padrão Fifa”

  1. Conectado pela Motorola

  2. Esse ranking pode obscurecer um dado que é crucial. A maioria dos países com carga tributária mais alta que o Brasil oferecem aos seus cidadãos os serviços que são a essência da própria existência do estado organizado – só pra ficar no essencial, essencial mesmo – saúde, educação e segurança. Nem de longe alguém aqui pode dizer que o estado brasileiro oferece isso aos seus cidadãos – saúde deplorável, educação de péssima qualidade (hoje, em pleno século 21 é que estamos zerando o déficit de vagas, com a ajuda é claro da progressão continuada – não interessa se a criança aprendeu ou não o conteúdo, se sabe ou não as quatro operações básicas da matemática ou se aprendeu ou não a ler e escrever ela vai ser aprovada para desocupar a carteira para outro que está chegando) e segurança então nem precisa de comentários – a guerra urbana nos coloca entre os primeiros no ranking de mortes por assassinato. Assim o cidadão é obrigado a pagar convênio médico para não morrer na fila do SUS, a pagar escola particular para o seu filho não ser mais um analfabeto funcional e ainda paga para morar em prisões chamadas condomínios para não ter o patrimônio furtado ou ser vítima de latrocínio quando chega em casa. Só posso concluir que essa carga tributária não é alta – é altíssima e dá até para perguntar: temos estado para que mesmo? Para arrecadar e só!

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: