Dysrationalia: Quando a inteligência não tem vez

Hamilton Coimbra Carvalho

Vou começar este artigo com dois questionamentos. Um relacionado ao planejamento estratégico das carreiras fiscais e o outro a uma dificuldade comum em negociações. Depois avançarei por uma breve análise das forças que influenciam a geração de valor das carreiras fiscais, para então chegar ao cerne do artigo, que é a discussão do conceito de dysrationalia.

Que carreira você quer? Venho defendendo que um dos passos necessários para afastar o risco de depreciação que cerca as carreiras fiscais é a definição de sua visão de futuro. Isso inclui escolher as percepções e associações com a carreira que deveriam ser construídas na mente de públicos de interesse. Hoje o que vem automaticamente à mente dos empresários ou dos cidadãos quando pensam em auditores de tributos?

Qual é a visão do Fisco que entendemos adequada a uma carreira de excelência? Somos contra ou a favor da substituição tributária? Devemos nos aliar a públicos de interesse (empresários, por exemplo) em questões pontuais? Somos a favor ou contra a segmentação dos contribuintes por risco? Da simplificação das obrigações tributárias? Que tipo de trabalho favorece melhor eficácia do Fisco? Sem resposta a essas perguntas, fica difícil articular uma visão de futuro. Mas por que não conseguimos ou não nos prontificamos a respondê-las? […] Leia o artigo completo

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: