Archive for novembro 14th, 2012

novembro 14, 2012

Governo reprime grevistas. Sindifisco aprofunda crédito zero

Movimento do Governo indica que crédito zero é eficaz

A Diretoria Executiva Nacional teve conhecimento da realização de duas videoconferências, na semana passada, entre a Administração da Receita Federal, para tratar do movimento de mobilização dos Auditores-Fiscais. Uma ocorreu entre o secretário da RFB, Carlos Alberto Barreto, e os superintendentes das 10 Regiões Fiscais; a outra, envolveu os superintendentes e os delegados, inspetores e chefias.

As informações são de que há, por parte do Executivo, uma inconformidade com a realização da operação crédito zero e a ordem é reprimir o movimento. Uma das medidas sugeridas para retrair a ação dos Auditores-Fiscais é exigir das chefias a obrigatoriedade de apresentação de relatório individual e diário da atividade de cada um dos Auditores para efeito de controle […] Leia mais

novembro 14, 2012

Maior transparência em favor do consumidor

Medida obriga empresas a informar o valor dos tributos aos consumidores

A Câmara aprovou nesta terça (13) projeto de lei que obriga a divulgação do percentual de impostos e contribuições que incide no preço das mercadorias e serviços. A exposição dos tributos terá de ser feita na nota fiscal ou num painel eletrônico instalado em local visível. Com isso, o consumidor saberá, no ato da compra, o peso da carga tributária.

Por iniciativa de associações comerciais de todo o país. Em ação conjunta, recolheram 1,5 milhão de assinaturas de apoiadores em 2007

A novidade vale para tributos federais, estaduais e municipais. Pelo texto, as empresas terão de somar os tributos que incidem sobre mercadorias e serviços e informar o valor ao consumidor. Estão incluídos na regra: ICMS, ISS, IPI, IOF, IR, PIS, Pasep, Cofins e Cide […] Leia mais

novembro 14, 2012

O governo de Arak

Carlo H. Peixoto

Amanheceu. Da sacada do Palácio, Arak o Néscio mirou o feio horizonte, outrora um vale coberto de verde, agora transformado em terra devastada, rasgada por crateras, de onde as mineradoras extraem a hematita, vendida a preço de banana para o estrangeiro. Ao longe, no alto da serra crestada pelo fogo, movia-se o olhar vigilante de Filomeno, o Monstro Tributário de um olho só que enxergava todos os fatos geradores. O governo ia bem, mas a saúde e a educação do povo, aos trancos e barrancos, conquanto a arrecadação do imposto de consumo batesse todos os recordes.

Mesmo adorado pela mídia mercenária, o Governador de Arak não estava contente. Para ele, não bastava pagar as contas. Zerar o déficit é obrigação de todo governante, é só manipular os números. Calcando os pés no parquet, assoalho brilhado e encerado peloEngavetador Geral do Estado, um tal de Jarbas, que também lhe servia como mordomo, o Néscio mandou chamar os Secretários. Mais que depressa, entraram o Conselheiro Acácio, o Professor Naná, Se Me Dão Se Me Deu e o Adido Phu, este último acompanhado de Pierrô e Colombina, ambos brigados pelo amor de Arlequim. Reunida a cúpula, faltavam quinze minutos para as dezesseis horas quando Arak contou-lhes o sonho que tivera naquela profícua manhã, enquanto o povo trabalhava […] Leia a crônica completa

Tags: