Archive for outubro 4th, 2012

outubro 4, 2012

Protegido: Caso NF Paulista. Repercussão, Representação e Acareação

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

outubro 4, 2012

(Não) Sorria! Você está sendo filmado!

Afinal: Os fazendários são perigosos pra serem vigiados???

Você já se deu conta de quantas vezes ao dia se depara com esse aviso? É cada vez mais constante encontrar mensagens como essa no seu dia a dia. Seja nos elevadores do seu prédio, na padaria, na academia, no Shopping Center e até nas ruas. Tem sempre alguém de olho em você. Foi-se a época que vigiar a vida alheia era apenas programa de televisão. Mas até onde essa situação é benéfica para o individuo?

Viver sob a constante mira de vigilância pode ser danoso e desastroso. A instalação de equipamentos de vigilância como forma de segurança, em ambientes que requerem monitoramento específico, onde há grande depreciação do ambiente, ou mesmo risco de perigo por parte do monitorado é totalmente aceitável. Agora, usá-lo para monitorar o dia a dia de uma pessoa na sua mesa de trabalho, pode ser tão constrangedor ao ponto de fazer o empregado ter a sensação que é suspeito, fazendo com que o cidadão de bem se sinta um marginal, é um prejuízo à sua imagem e saúde além de ser uma total exposição da sua intimidade.

A polêmica acerca das câmeras de vigilância tem feito parte da rotina dos servidores fazendários do Ceará, que se encontram literalmente debaixo da mira da Sefaz, que decidiu implantar um projeto, visando a instalação de câmeras de vigilância interna em todas as salas e núcleos da Sefaz. A finalidade? Vigiar os funcionários durante o expediente […] Leia mais

Leia também:

Big Brother em Minas – preocupação maior em controlar o fiscal do que o sonegador

Big Brother na Sefaz do Ceará

A Transparência da cortina de fumaça — 1ª Parte

outubro 4, 2012

Auditores fiscais são afastados por crime contra a ordem tributária

Além do afastamento de outros sete auditores fiscais da Receita Estadual, no último dia 10 de setembro, a Secretaria de Estado da Fazenda do Paraná afastou, também, o auditor fiscal Luiz Carlos Barboza Batista em atendimento à determinação judicial da Vara Criminal da Comarca de Rio Negro.

Batista foi condenado, em primeira instância, a 4,6 anos de reclusão por crime cometido por funcionário público contra a ordem tributária. O auditor, segundo os autos da sentença, junto com outras pessoas, extorquia motoristas que estavam em situação irregular “perante organismos policiais ou perante o órgão fiscal do Estado do Paraná”. A ação era desenvolvida na BR 116 e mesmo no perímetro urbano de Rio Negro, na Região Metropolitana de Curitiba […] Leia mais

Tags: