Archive for setembro 3rd, 2012

setembro 3, 2012

Greve do Adams

Élio Gaspari

Na quinta-feira, por decisão de 88% dos participantes de uma assembleia, os auditores da Receita Federal decidiram continuar em greve. O acordo oferecido pelo governo havia sido rejeitado pela maioria dos diretores de sindicato.

Deve-se agradecer esse resultado aos çábios do Planalto e ao advogado-geral da União, Luis Inácio Adams. Há um mês, eles decidiram baixar um ucasse permitindo a substituição dos grevistas por funcionários de outras repartições.

Até então, a greve, que não tinha a simpatia do sindicato, estava fraca. A ameaça espalhou o fogo. Pior: nenhum grevista foi substituído. O ucasse era delírio de poder. Não se pode saber como essa greve terminará, mas Adams ajudou bastante.

*ucasse – Decisão contaminada de absolutismo

setembro 3, 2012

Governo… custe o que custar

Amadeu Robson Cordeiro

Quando se escreve um artigo você está sujeito a elogios ou criticas, estas, muitas vezes de forma agressiva. Neste particular cheguei à conclusão por experiência própria de que o comportamento defensivo se externa quando a pessoa, através de sua desconfiança, imagina um perigo no grupo, desgastando, portanto, suas energias numa auto defesa que pode ser inútil se o perigo não for real e não passar de uma mera “encucação” individual. Sim, há pessoas inseguras ou medrosas, que nunca estão no seu natural. Colocam-se sempre na defensiva, preocupadas consigo mesmas, num esforço desmedido em saber como estão sendo vistas pelos outros, como devem fazer para serem identificadas de forma mais favorável: como vencer, como impressionar, manter-se impune ou, então, como reduzir ou evitar em suas alucinações sua exposição ao grupo.

Enfim, é apenas um desabafo localizado. Não que vá mudar o que quer que seja, mas sempre é uma opinião particular, “livre” e não há nada melhor para o fígado do que libertar a bílis em excesso.

Bom, mais o texto agora escrito é para o governo e retrata um pouco das suas atitudes de desrespeito ao servidor público. Por esta via existem palavras, frases, atos, formas de dizer às coisas que têm um estranho e desconfortável condão de nos indignar. Sim, bem dentro do nosso íntimo. E há gente, pessoas, que apesar de investidos de responsabilidades na primeira linha da hierarquia que são capazes de esgrimir essas palavras, essas frases, esses atos, essa forma de dizer as coisas de modo a deixar-nos abatidos e indignados […] Leia o artigo completo