Archive for julho 3rd, 2012

julho 3, 2012

Fábula do Índio X – Bengala & andador

HUMOR DA TRIBO

No apagar das luzes, os caciques resolveram organizar um Curso de Formação Indígena. Sem nenhuma mobilização ou assembleia durante todo o primeiro semestre, decidiram, então, lançar mão de um evento, pensando em alavancar a reeleição do atual comando sindical da tribo. Para preencher as vagas, sem alarde, convocaram, a toque de caixa, índios simpatizantes, em sua maioria, aposentados e pensionistas da aldeia, o que elevou a média da faixa etária dos “novos” sindicalistas, ops, futuros caciques. Nenhum índio novato foi chamado. Desta forma, com pouco vigor, a renovação do comando da tribo se movimenta com bengala… andador… devagar… devagarinho…

Índio é muito esquisito… Caciques mais…

Leia também: Fábula do Índio IX – Bico calado…

Tags: ,
julho 3, 2012

Memórias de um publicano

Carlos H. Peixoto

Zaqueu, o menor dos publicanos, estava trepado em um sicômoro, pescoço esticado, gritando e abanando os braços, tudo para chamar a atenção do tal Mestre, o Messias, a quem chamavam de “Filho do Homem”, que por coincidência também chegava à cidade.

Bloqueado pela multidão, pude ver de longe o momento em que Zaqueu, um avarento e asqueroso cobrador de impostos como eu, odiado até pelos leprosos, era abraçado por Jesus como se este abraçasse um amigo que regressava de uma terra distante. Estranhei o fato, anotado em minha caderneta, e mais confuso fiquei ao ouvir da boca de Zaqueu algo sobre estar perdido, logo Zaqueu que calculava tão bem, no que Jesus respondeu alguma coisa sobre um “caminho da salvação”, lugar que desconheço nas redondezas. Naquele dia não consegui entabular conversa com Zaqueu, que se portava como um aparlemado, cantando e distribuindo esmolas. Mais tarde, fiquei sabendo por relatos de um informante que Zaqueu, tendo convidado Jesus para cear e pernoitar em sua casa, ficara tão feliz com a visita do Mestre que resolvera doar metade de seus bens (dele, de Zaqueu) aos pobres, restituindo aos injustiçados as multas aplicadas em excesso, sem submeter suas decisões ao Sinédrio. Um desplante!

Em matéria tributária, um fato acontecido na cidade de Canãa merecia tratamento à altura dos regulamentos de taxas e mercancia: a transformação de água em vinho. Ainda que o fato gerador já houvesse acontecido, três dias antes de minha presença, corri atrás, investiguei, falei com testemunhas que estiveram na festa de casamento, confabulei com o fornecedor das bebidas e analisei os relatórios de compra apresentados pelos anfitriões. Concluí que ao transformar seis cântaros cheios de água em vinho, o tal Jesus praticou concorrência desleal, industrializou água sem os devidos alvarás, fora das especificações químicas e biológicas, dando saída de vinho sem documentos e deixando de recolher as taxas e emolumentos fiscais […] Leia a crônica completa

Tags:
julho 3, 2012

Servidores ameaçam Dilma com greve geral

Sindicato prevê que até 500 mil cruzarão os braços

A insatisfação dos servidores públicos com a intransigência da presidente Dilma Rousseff em conceder reajustes salariais, diante do cenário de crise econômica internacional, aumentou o risco de o governo enfrentar uma greve geral do funcionalismo. O último movimento grevista importante no Brasil ocorreu ainda no primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Em reunião encerrada nesta quinta-feira, 28, à noite, servidores das dez agências reguladoras declararam-se em estado de greve a partir de segunda-feira. A maioria das categorias já paradas ou com indicativo de greve quer correção dos salários em 2013. As categorias têm reivindicações diferentes, mas a maioria quer reajuste de 22% dos salários. O diretor da CUT Pedro Arnengol criticou:

O governo não consegue apresentar uma contraproposta, só faz protelar a discussão
Nesta quinta, a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) insistiu que não haverá aumentos de salário para o funcionalismo neste ano. “Se as greves forem mantidas, vão gerar um impasse sem eficiência e sem eficácia. Não há possibilidade, principalmente em um momento de crise, de executar novas despesas não previstas”, afirmou a ministra.A greve mais longa em curso é a dos professores universitários, parados há 43 dias. Segundo balanço dos sindicatos, das 59 universidades, 56 estão paradas. Dos 38 Institutos Federais de Educação, 36 também aderiram à greve. Os professores pedem, entre outras coisas, aumento do piso salarial para R$ 2.329,35 para 20 horas semanais de trabalho. Hoje, o valor é de R$ 1.597,92. Nesse período, houve apenas uma reunião com o governo. Uma segunda reunião de negociação, marcada para 18 de junho, foi desmarcada pelo Ministério do Planejamento.

Nesse mesmo dia, os auditores fiscais da Receita Federal – que integram as categorias com salários mais altos no serviço público iniciaram uma operação-padrão por reposição salarial de 30,18%. A partir de 1º de agosto, os auditores poderão parar […] Leia mais