Auditor Federal perde para onze estados

Auditores da Receita vão cobrar correção de defasagem do subsídio

Apesar de constituírem uma das mais importantes carreiras do Estado, os Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil não são remunerados com a deferência que as atribuições do cargo recomendaria. Em 11 Estados, os salários brutos dos fiscais em final de carreira são superiores aos vencimentos dos Federais. Amazonas, Bahia, Ceará, Rio de Janeiro e Roraima, são alguns exemplos dos salários superiores aos dos Auditores da RFB.

Em outros sete estados, como Alagoas, Maranhão, Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul, embora o salário final seja inferior ao subsídio do Auditor em final de carreira, o pagamento de gratificações por tempo de serviço eleva os vencimentos dos fiscais para valores semelhantes ao subsídio pago aos ministros do STF

Comparando os vencimentos dos fiscais de 23 estados, incluindo o Distrito Federal, o subsídio dos Auditores da RFB só é superior ao salário pago em cinco deles. Algo incompreensível uma vez que os Auditores da RFB fazem parte do núcleo estratégico do Executivo Federal. Para a Diretoria Executiva Nacional

não é difícil para o Governo perceber que os Auditores devem ser valorizados em função das atribuições que desempenham. Mas, se o Governo insistir no discurso de que não há previsão de reajuste, caberá a nós Auditores mostrar que merecemos um tratamento condizente com a importância do cargo. Chega de pouco caso […] Leia mais

One Comment to “Auditor Federal perde para onze estados”

  1. Sou AFR aposentado do Estado de São Paulo e há mais de dez anos sinto-me prejudicado com o redutor salarial, verdadeiro confisco salarial que se nos foi empurrado güela abaixo desde a vigência da EC 41 / 2003. Concordo plenamente com o exposto neste artigo (ou notícia). Observo que os Estados que menos arrecadam são os que melhor remuneram seus fiscais de rendas. Inobstante, penso que é chegado o momento de se fazer ecoar o brado de resignação e descontentamento junto ao Congresso Nacional, iniciando-se pela Câmara dos Deputados, para que seja votada a PEC 89 / 2007 que trata do teto único para os servidores públicos deste País. Com a aprovação da referida PEC, e espera-se que seja em maio do corrente ano, a remuneração dos servidores públicos de todos os entes da federação passará a ser igual ao subsídio dos Ministros do STF e, assim estará se fazendo justiça à classe de auditores e fiscais de rendas de todos os Estados da Federação. Avante companheiros. Vamos à luta. Chega de confisco e que se faça cumprir o princípio constitucional da irredutibilidade de salários. Sebastião Amaro Viana Filho – AFR – aposentado – São Paulo – DRT / 11 – Marília.

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: