O STF, o Sinafresp e a transparência

TeoFranco

Em abril de 2009, pela segunda vez, dois ministros do Supremo Tribunal Federal discutiram de forma áspera disparando ofensas e trocando acusações em frente às câmeras de TV, em transmissão “AO VIVO” para todo o território nacional. Na época reacendeu o debate sobre a “conveniência do acesso indiscriminado” das sessões do Tribunal por parte dos telespectadores brasileiros. A pergunta:

A TV Justiça deveria parar de transmitir ao vivo as sessões do Supremo Tribunal Federal? – NÃO

Alguns pensam e defendem que a audiência estimula o exibicionismo, expõe mazelas e inibe que posicionamentos contrários à opinião pública majoritária sejam livremente expostos, esquecendo-se do preceito universal:

Todas as pessoas nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotadas de razão  e consciência(Artigo I da Declaração Universal dos Direitos Humanos)

Não se justifica bloquear um modelo pelos conflitos que expõe, mesmo que reconheça-se embates inadequados ou inconvenientes. Censurar a transmissão ou publicidade ao cidadão sob qualquer pretexto equivaleria a tutelar a sua consciência e capacidade de discernimento.

A meu ver, o mesmo se aplica às reuniões do Conselho do Sinafresp, que no último dia 11, lançou mão deste artifício “declarando sessão secreta”, obstando o acesso de “estranhos” à reunião, bem como, censurando a publicidade de seu conteúdo. Sabe-se lá por qual razão ou pretexto, não importa, todavia não se enquadra no mundo moderno tal ardil, há muito abandonado em sua acepção. Nem mesmo o douto e colendo Poder Judiciário há muito se desfez da condição de seita secreta, cujos sábios precisariam de isolamento para ditar suas pretensas verdades.

Ao ângulo prático, a cada tentativa de tutela, acaba por provocar um distanciamento e aumentando o já elevado desinteresse dos filiados de nossa insitituição representativa. E, o que a consciência coletiva espera é exatamente o oposto, o aquecimento, o debate e a integração de muitos para fortalecimento dos esforços em busca das demandas de nossa carreira, que só serão potencializados com a

Abertura Ampla Geral e Irrestrita!

Leia também:

Presidente do Sinafresp se socorre do Conselho (requer senha: aqui)

Crise de comando. Qual a saída?

SINAFRESP – Presente e Futuro (requer senha: aqui)


Tags:

3 Comentários to “O STF, o Sinafresp e a transparência”

  1. Teo Franco,

    Feliz a categoria que tem pessoas como você, corajoso, inteligente, informado, culto e disposto a informar a Classe.
    A sua argumentação é vigorosa e precisa. Acrescentaria momentos graves vividos pelo nosso querido Brasil como o Impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello foi tudo as escancaras:

    A entrevista do Pedro Collor para a Veja
    O livro do Pedro Collor sobre o caso
    As infinitas sessões da Câmara e do Senado abertas na TV pública
    Os jornais diários informando o povo.

    Antes vivemos a Campanha pelas Diretas-Já

    Era Ditadura, gal Figueiredo, e o povo foi as ruas, as lideranças da Nação falavam diretamente ao povo.
    Participei do Comício das Diretas na Praça da Sé, inesquecivel.
    Tudo aberto, tudo discutido com todos os interessados

    Ainda mais para trás na História do Brasil

    O Atentado da Rua Toneleros, com a morte do Major Vaz que acompanha o Corvo, Carlos Lacerda.
    O IPM do Galeão, a República do Galeão para descobrir quem era quem no crime.
    A Carta Testamento do presidente Getúlio Vargas
    Os jornais diários ,exceto O Rebelde e a Última Hora, detonando o velho Getúlio.
    Tudo as claras

    Vou buscar saber dos meus representados o que acham de reuniões sigilosas, eu não quero mais participar delas, vou me explicar com os meus representados.

    Teo, você ainda será reconhecido no futuro pelo seu trabalho,por mim já o é agora,
    Obrigado,
    Roberto Puccia Bianchi (RPB)

  2. Amigo Bianchi,
    As suas palavras servem de grande incentivo. Na verdade, o seu histórico nos serve de exemplo com um incansável esforço em prol de nossa categoria desde a implantação do Fórum de Debates AFRpta., Conselheiro 1999/2002, formação de chapa em 2003 que por 90 votos não venceu Dado & Davi. Depois, participação em Comissões, na assessoria informal desta gestão em contatos políticos, indicação do Assessor Político PhD Prof. Aldo Fornazzieri. Neste ano, no Comitê de Mobilização e Conselho Deliberativo. Sem esquecer da incansável luta para implantação de assessoria de imprensa em nosso sindicato e tantas atitudes mais. Conte comigo pois eu sei que você eu já podia contar, como diversos colegas em situações de confronto com o status quo tem recebido o seu apoio e orientação. Não podemos deixar o nosso sindicato retroceder, especialmente nesta gestão que prometeu avanço, independência do Conselho e SUPER-AÇÃO. Abertura já!

  3. aqui fez-se, com a maior cara-dura, uma sessão secreta, com apoio (até onde sei) em massa dos conselheiros e, pasmém, ninguém fala nada… e já que não falamos, que dirá fazermos algo, a vida continua como se o problema fosse de outra classe.

    ou, secretamente, estamos nos preparando para um levante sigiloso …

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: