Gerações: Y versus X

por Eurico Gushi

A Geração Y, Informação, Raciocinio Lógico e Auto Conhecimento

Vez ou outra o termo “Geração Y” bate à minha porta e eu fico com algumas dúvidas.
Eu Sei que a Geração Y:
– Nasceram na Era do Conhecimento
– Tem Acesso a uma Infinidade de Informações
– Tem o domínio das Tecnologias de Informação

Eu não sei se a Geração Y tem:
– Um bom Raciocínio Lógico:
. Organização do Pensamento
. Comunicação: Simples e Clara
. Análise e Agrupamento (Raciocínio Dedutivo)
. Síntese e Relação de Causa e Efeito (Racioc. Indutivo)
– Um bom Auto Conhecimento
. Valores e Propósito
. Visão de Longo Prazo: Sonhos e Objetivos

Tags:

3 Comentários to “Gerações: Y versus X”

  1. Os próprios termos “Geração Y” e “Geração X” partem de pressupostos.

    Pressuposto pode ser repartido em pré – suposto.

    Ou seja, uma suposição prévia. Que tem um sinônimo singelo: o conceito.

    O conceito, na verdade, é mais aplicável aos termos “Geração X” e “Geração Y”.

    Em verdade, são conceitos de como seres absolutamente diferentes se comportam em média. Ou em sua maioria.

    Ou seja, é um pré-conceito de como tal ou qual pessoa se comportará.

    Em pleno século 21 utilizarmos, à luz do dia, de um preconceito para solidificar julgamentos de pessoas naquilo que ainda farão (nem ao menos é em relação às atitudes passadas) é uma forma clara e agressiva de determinar destinos ainda não traçados. De influir no livre-arbítrio.

    Ora, se já sabem como eu agirei, para que agir?
    E para que agir diferente, se eles vão travar uma luta em seu raciocínio para me enquadrar nos preconceitos já estabelecidos em suas mentes?

    Não me parece adequado a utilização de rótulos. E este da “Geração X” ou “Geração Y” é um caso.

    A média não serve para nada quando falamos de pessoas.

    Foi um caminhoneiro e um colarinho branco almoçar num restaurante.
    Eles pediram um frango que o caminhoneiro comeu sozinho.
    Porém, na média cada um comeu meio frango.

    Quer formar mais fácil de manipular dados do que a média?

    Na média, meio frango.

  2. Caro Afonso,
    Já percebi que vc não concorda com essa teoria, sempre que ela reaparece vc a contesta com energia. Concordo que os modismos vem e vão, mas servem para reflexão e debate. No mais, são teorias de comportamento que podem ser alteradas, sem problemas.

  3. Caro Teo Franco,

    Eu contesto todos os rótulos em cima de pessoas.

    Rótulo é conceito anterior ao real conhecimento.
    Nada garante que “o Geração X” fará melhor planejamento do que “o Geração Y” ou vice-versa.

    As pessoas tem que ser conhecidas pelo que fazem, individualmente, não por rótulos.

    Respeito o pensamento contrário, mas não concordo.

    Abs.

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: