Archive for setembro 15th, 2011

setembro 15, 2011

Verdades sobre a real motivação no trabalho

Animação da RSA Animate, é uma adptação da palestra Dan Pink’s na RSA, ilustra as verdades escondidas por trás daquilo que realmente nos motiva no trabalho.

Daniel Pink divide os estágios de motivação em 3 gerações, que caracteriza com exemplos interessantes. Motivação 1.0, que funciona como um sistema operativo e que se regula por fazer cumprir os objetivos mínimos da humanidade, como comida, roupa, reprodução – a base da pirâmide de Maslow, repetida variadas vezes neste livro. Motivação 2.0, caracterizada com base na cenoura: prêmio por resultado ou castigo por não obtenção dos objetivos – funciona bem em geral, mas não é suficiente em muitas situações. Motivação 3.0, que pretende superar algumas lacunas da segunda geração, como o enfoque no curto prazo ou o comportamento menos ético.

Pink divide a motivação em dois tipos – tipo I e tipo X – representando as motivações intrínsecas e extrínsecas das pessoas. As primeiras estão menos expostas a prêmios e aceleradores externos, e mais a valores e vontades próprias, ao gozo e ao prazer. As segundas possuem três elementos principais: autonomia, controle e propósito. Num mundo cada vez mais competitivo, o conteúdo de Drive – que sustenta a importância das motivações intrínsecas raramente tratadas pelas organizações – ganha relevância e torna-o em mais uma obra de rara importância.

setembro 15, 2011

Contribuição de 11% é legal

Julgada improcedente ADI que questionava contribuição previdenciária mínima de 11%

Por seis votos a três, o Plenário do STF julgou improcedente, nesta quarta-feira (14), a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 3138, em que a Associação dos Magistrados Brasileiros impugnava o artigo 1º da Emenda Constitucional (EC) nº 41/2003 (Reforma da Previdência), na parte em que ela acrescentou o parágrafo primeiro ao artigo 149 da Constituição Federal CF) para instituir a cobrança, pelos entes federados (estados, Distrito Federal e municípios), de contribuição previdenciária cuja  alíquota não poderá ser inferior à da contribuição dos servidores titulares de cargos efetivos da União (que é de 11%). Também pela EC 41, esta contribuição é devida pelos servidores ativos e inativos dos estados, do Distrito Federal e dos municípios, bem como pelos pensionistas, que são familiares de servidores já falecidos.

Entre outros argumentos, os autores das ações alegam violação de outras cláusulas pétreas estabelecidas na CF, como a do direito adquirido e a dos direitos e garantias individuais. Segundo eles, a EC prejudica justamente a quem está mais necessitado (os aposentados e pensionistas), que, após uma longa vida de trabalho, acabam recebendo menos de 50% dos vencimentos originalmente percebidos pelo servidor quando na ativa. Essa reclamação leva em conta a dedução do redutor de 30% e da contribuição de 11% para a previdência, além do desconto do Imposto de Renda na fonte […] Leia mais

STF em 4 set 2011

setembro 15, 2011

A censura & suas facetas

Ato contra a corrupção da mídia e sua “ética” seletiva – O Ato Público marcado para o dia 17 tem o objetivo de protestar contra a corrupção da mídia, sobretudo porque esta, ao avalizar as manifestações contra a corrupção que aconteceram no dia 7 de setembro último e até ao instigar tais manifestações, esquece de que ela própria esta entre os maiores responsáveis pela corrupção no Brasil, mas divulga apenas denúncia de corrupção só no governo do Partido dos Trabalhadores e entre seus aliados. A indignação da mídia é seletiva […] Leia mais

Presidente da Assembleia Legislativa do Paraná quer controlar a internet da Casa – O totalitarismo tem a mesma fórmula e metodologia em tudo quanto é parte do mundo e independe de momento histórico. Nasce de uma paranoia de perseguição, que justifica o poder absoluto e o controle de tudo e de todos, atropelando até as liberdades individuais. O tucano “Roxoni”, presidente da ALEP, determinou que todos, inclusive os computadores PARTICULARES dos servidores ou os laptops de uso pessoal de quem visita o Legislativo Paranaense só se comuniquem com o resto do mundo via internet por meio de um servidor único da Casa. Acontece que muitos gabinetes optaram por contratar provedor de internet e wireless por conta própria, fora do servidor da ALEP, justamente porque esse serviço não funciona a contento e porque o acesso a sites de notícias, blogs e outros endereços consultados é bloqueado, demandando toda uma burocracia para se solicitar acesso amplo […] Leia mais


setembro 15, 2011

PacoTarso: União Gaúcha entrega representação ao MP

Comitiva da União Gaúcha em Defesa da Previdência Social e Pública* esteve reunida com o procurador-geral de Justiça, Eduardo de Lima Veiga, na manhã do dia 29 de agosto, quando entregou representação ao Ministério Público onde apontam a existência de inconstitucionalidade na legislação que aumentou a alíquota de contribuição previdenciária dos servidores estaduais, aprovada pela Assembleia dentro do pacote de projetos enviados pelo Governo do Estado – o chamado PacoTarso. O documento, elaborado pelo advogado Sérgio Gilberto Porto, ex-procurador-geral de Justiça, argumenta que a reforma previdenciária é inconstitucional em razão da progressividade das contribuições, por desvio de finalidade e ofensa ao princípio da igualdade entre os servidores públicos.

O presidente da União Gaúcha, João Ricardo dos Santos Costa, disse que o papel das entidades é lutar contra o desmonte do serviço público. Segundo o magistrado, que também preside a AJURIS, a representação tem “o cunho de defesa da sociedade gaúcha”. “Enquanto aqui pregam a privatização da Previdência Pública, o resto do mundo caminha na direção contrária”, lembrou. “Nos Estados Unidos e na Europa, por exemplo, o Estado retomou o controle do sistema previdenciário, como têm defendido até mesmo os economistas liberais.” Já o presidente da AMP-RS, Victor Hugo Palmeiro de Azevedo Neto, manifestou seu contentamento pela União Gaúcha ser unânime ao escolher o Ministério Público como destinatário da representação para questionar a “ordem jurídica e a inconstitucionalidade” da reforma previdenciária imposta pelo Governo Tarso.

“Não é de interesse de nenhum Estado que existam leis inconstitucionais”, afirmou Lima Veiga. O procurador-geral garantiu também que a análise do caso deverá estar concluída até o dia 30 de setembro, antes da entrada em vigor do desconto maior da contribuição previdenciária na folha do funcionalismo público estadual.

*Associação constituída por associações e sindicatos de servidores públicos estaduais com o fim de realizar uma ação unitária, coordenada e comum: http://www.uniaogaucha.org