Parabéns ao Ministério Público de Rondônia

Como cidadão, não poderia deixar de me congratular com esse Ministério Público Estadual, pela providencial medida – esta memorável Ação Civil Pública 

Tomei conhecimento através de e-mail enviado pelo próprio Ministério Público Estadual. Fiz questão de ler, com muita atenção, na sua integralidade, a petição da Ação civil Pública que se contrapõe à Lei 2.538/2011 – concessiva da inconstitucional, ilegal e imoral isenção recentemente concedida às Usinas de Jirau e Santo Antônio, protocolada na data de ontem, na vara da Fazenda Pública de Porto Velho.

Como cidadão, não poderia deixar de me congratular com esse Ministério Público Estadual, pela providencial medida – esta memorável Ação Civil Pública – que, certamente, ficará indelevelmente marcada na história e na mente dos cidadãos rondonienses, como medida que impediu um grande assalto aos cofres públicos do Estado.

Como Bacharel em direito, e já havendo realizado incursões doutrinárias e jurisprudenciais acerca da matéria tributária, não poderia me furtar a enaltecer as transcrições da peça inaugural da ACP – um compêndio de cidadania e civilidade – muito bem traçadas e embasadas juridicamente em suas 77 páginas recheadas de clamor fundamentado pela constitucionalidade, legalidade, moralidade e interesse público.

Sobressalta aos olhos que o parquet estadual, nas subscrições dos ilustres Promotores de Justiça, Geraldo Henrique Gomes Guimarães e Alzir Marques Cavalcante Júnior, cumpre com dignidade a sua missão constitucional e institucional traduzida na defesa incondicional da Constituição, da Lei, e, sobretudo, do interesse público, não importando, nesse episódio, se os algozes da cidadania, são os membros do forte Executivo, que, por delegação do povo, detém a chave do cofre do estado ou os mandatários da Assembléia Estadual, delegados da função legiferrante, pois o povo, este sim, traduzido no interesse público, é preponderante, é a razão de tudo.

Porto Velho-RO, 16 de agosto de 2011.
Francisco das Chagas Barroso
Cidadão rondoniense

Leia também:

Ministério Público quer sustar benefício a usineiros

Tags:

One Comment to “Parabéns ao Ministério Público de Rondônia”

  1. Estou acompanhando essa questão desde o início, que já teve vários desdobramentos. O mais ´concreto até agora é a propositura dessa ACP. Entretanto, a denúncia do Francisco que originou tudo, mesmo que não tenha êxito no judiciário, abriu uma interessante reflexão: até onde vai o poder do Executivo nas concessões de benefícios fiscais??? Conceder benefícios fiscais indiscriminadamente é uma forma de corrupção??? O povo tem direito de saber desses benefícios fiscais, mediante ampla divulgação?? Dependendo do montante do benefício e da situação, não estaria presente o instituto do enriquecimento ilícito dos beneficiados???? Certamente, somente daqui a alguns anos, ficaremos sabendo se essa semente plantada pelo Auditor Fiscal Francisco Barroso germinou e floresceu nessa terra infértil e cheia de ervas daninhas que se chama Brasil.

PARTICIPE, deixando sua opinião sobre o post:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: