Archive for abril 9th, 2011

abril 9, 2011

Estranhas relações

CARTA DO EDITOR

Entre nós existe um conceito de que sindicalista esta de um lado e patrão de outro. Uns defendem até, que quem foi sindicalista não deveria depois ocupar função de confiança. Como se tivesse (mais) uma ‘pena’ a pagar. E o inverso valeria? O chefe convertido? Aquele que ocupou função e depois buscou atuar diretamente pelos interesses da categoria. O cenário brasileiro tem mostrado um relacionamento de forças bem diferente desse conceito já ultrapassado.

O Brasil sofreu transformações marcantes na última década onde o sindicalismo alcançou o cargo máximo da Nação ocupado pelo seu maior expoente, Luis Inácio Lula da Silva. Houve ocupação generalizada nos diversos escalões. Agora, com a eleição de Dilma Roussef as Centrais perderam espaço em Brasília, mas, por outro lado, elegeu a sua maior bancada no Congresso Nacional, com 83 deputados e 8 senadores (Veja quadro).

Apesar da relação entre governo e centrais sindicais ter começado com estranhamento de ambas as partes, por causa da votação do reajuste do salário mínimo, a presidenta sabe que precisará, mais que qualquer um de seus antecessores, negociar com o movimento sindical. Talvez, por isso, no início de março, ela regulamentou lei, que determina que todas as empresas públicas com mais de 200 funcionários deverão ter um representante dos empregados em seus conselhos de administradores.

Em São Paulo, parte dos cargos nos conselhos de administração de empresas estatais é ocupada por indicação do governo. Reportagem do Estadão, de 14 de março, mostra que uma boa parte dos atuais integrantes dos Conselhos de Administração é formada por filiados do PSDB e quadros ligados à sigla (Veja quadro).

O outro lado

A bancada patronal também cresceu. Com 273 congressistas, a maior bancada empresarial dos últimos 20 anos, teve um crescimento de 25%. Contudo, a capacidade de articulação dos empresários é menor que a do movimento sindical. Segundo o DIAP, é um grupo heterogêneo, que vai do ex-governador de Mato Grosso Blairo Maggi (PR-MT), um dos maiores produtores de soja do mundo, eleito para o Senado, ao secretário de Comunicação do PT, deputado André Vargas (PR).

As bancadas sindical e empresarial devem se enfrentar em pautas polêmicas, como a redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais – pedido das centrais – e a regulamentação da terceirização.

Tudo isso aponta para algo que em outros tempos era visto como relações estranhas. Hoje, as relações públicas ou políticas se tornaram o principal elemento condutor estratégico para o avanço em qualquer demanda de uma categoria profissional.

Resta-nos fazer o melhor uso delas!

TeoFranco

Leia também:

Construindo pontes e abrindo caminhos

5 pontos para um sindicato forte

Projeto de Formação de Liderança Sindical

abril 9, 2011

Pesquisa eletrônica

você não faz nada certo