Archive for abril 4th, 2011

abril 4, 2011

Psicologia aplicada à bananeira

“Nesse meio tempo, a Assembleia Ordinária dos Analistas terá que decidir se adota a Teoria da Evolução ou o Livro do Gênesis. Vocês conhecem a estória, Adão e Eva, a cobra e a maçã, Adão comeu a maçã e cuspiu o caroço no ventre de Eva. Na outra ponta, mancando por fora, um velhinho de barba branca e usando bengala, chamado Darwin. Mais uma série de reuniões profundas, defesas incansáveis, teses, debates, queima de livros sagrados e acordos secretos até que a questão termina empatada. Quem tem razão, George Bush, Bin Laden ou a Igreja? Ou será que o macaco está certo? …

… Era o dia seguinte à Assembleia Ordinária do Sindicato dos Analistas. Atenção, arqueiros! Foram três dias de reuniões e debates, ininterruptos, no limite do esgotamento físico e mental dos participantes. Eu disse três dias, ininterruptos. Depois eu explico como se operava a coisa … Foi a Assembleia mais Ordinária e democrática da qual participei. Nada de manipulação. Os debates eram acirrados, e antes de iniciados os apartes, questões de ordem, réplicas e tréplicas, ainda nos preparativos, tudo, tudo que se referisse ao futuro da espécie era esmiuçado, com transmissão simultânea em cinco dimensões. … Esqueça Freud e os mistérios da mente humana.” Leia o novo texto de Carlos H. Peixoto

abril 4, 2011

Prof. Castro é homenageado pelo Instituto Histórico

Escritos: Professor Castro é homenageado pelo Instituto Histórico e Geográfico de MS

A publicação reúne suas contribuições para periódicos da cidade, assim como a maneira de conduzir a vida ao lado da família, do trabalho, sem esquecer dos fieis amigos conquistados ao longo da vida.

A história de Mato Grosso do Sul certamente recebeu e recebe inúmeras contribuições, mas uma em especial merece nossa atenção: a do professor Arassuay Gomes de Castro. Nascido em Cuiabá, em 16 de abril de 1926, professor Castro, como era mais conhecido, veio para Campo Grande após formar-se em Línguas Neolatinas, em Lorena (SP), e fez breve passagem por Corumbá.

E foi em Campo Grande que pôde dedicar-se com entusiasmo à educação. Lecionou Latim e Português em várias instituições de ensino da cidade. Ao longo de seus 79 anos, exerceu várias profissões: de vendedor a diretor de escola, passando por corretor de imóveis, assessor parlamentar da Assembleia Legislativa e fiscal de rendas. No entanto, independentemente da profissão que ocupava, jamais deixou de dedicar-se à leitura e à escrita. “Meu pai dedicou sua vida inteira em prol da educação”, relata o filho Jary Castro, engenheiro civil e empresário do setor da construção, presidente do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Mato Grosso do Sul (Crea-MS).

Leia a íntegra