Archive for março 11th, 2011

março 11, 2011

Charge: Imposto de Renda

março 11, 2011

Articulista Carlos H. Peixoto estreia no Blog do AFR

Carlos H. Peixoto é Auditor Fiscal da Receita Estadual de MG. Além de publicar artigos jurídicos, escreveu, regularmente, para o Portal da Refazenda, abordando assuntos de interesse dos servidores do Fisco. Por força do ofício, passa os dias em frente ao computador procurando cabelo branco em ovo de lagartixa. Escrever foi a maneira que encontrou para ver-se livre das amarras da burocracia. Sua última obra é A mulher barbuda. Publicou, ainda, os livros Memórias de um PublicanoContos da Refazenda.

Coluna do Carlos H. Peixoto

Leia a crônica: CADEIRA ELÉTRICA NO SENADO:

Sarney não é um homem comum. Sarney nunca almejou ser presidente da República e muito menos do Senado. Sarney nasceu no Maranhão. Por muitos anos Sarney viveu no Maranhão. Por força do destino a família Sarney é dona de metade do Maranhão, e não por acaso Sarney controla praticamente todo sistema de comunicação do estado (rádio, tv e jornais, mesmo com a proibição de parlamentares serem donos de empresas de mídia). Nos últimos sessenta anos, para chegar ao poder e manter-se no Poder, Sarney […]” Leia mais

Tags:
março 11, 2011

Imprensa livre?

Desde janeiro (2010), já perderam a vida mais de 40 profissionais da comunicação social em todo o mundo. Os números divulgados pelo Instituto Internacional para a Segurança da Imprensa (INSI), com sede em Londres, são alarmantes.

O país com maior número de jornalistas assassinados é Honduras, com sete casos. No México, foram seis; Paquistão, quatro; Colômbia e Venezuela, três. Também integram a contabilidade macabra da mídia Nepal, Venezuela, Chipre, Rússia, Equador, Turquia, entre outros.

E o pior, realça o INSI em seu relatório, é que oito em cada dez casos ficam sem punição aos responsáveis pelos crimes.

Estes números devem ser motivadores de reflexão. Reflexão bem a propósito da celebração neste 3 de maio do Dia Internacional da Liberdade de Imprensa, aprovado desde 1993 pela Assembléia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

A data serve para renovada avaliação da situação da liberdade de imprensa em todo o mundo. Mas este debate deve abranger todos os atores do processo da informação: proprietários e profissionais das diversas mídias – jornal, revista, rádio, televisão e Internet – e, com certeza, a sociedade em geral.

É sempre momento de reafirmar que uma imprensa livre, pluralista e independente é componente essencial de qualquer sociedade democrática, do chamado Estado Democrático de Direito.

Mas que liberdade é esta que atinge mortalmente dezenas de profissionais todos os meses? Que liberdade de imprensa é esta que aprisiona, seqüestra, tortura, condena ou ameaça os profissionais do bem informar?

Além de atentar contra ditames constitucionais das Nações democráticas, as ocorrências frequentes ferem a Declaração Universal dos Direitos Humanos. A liberdade de imprensa não é prerrogativa do jornalista. É direito inalienável do cidadão. Lutemos por isto, levantemos a bandeira da imprensa livre. A que hoje subsiste no planeta ainda está distante de sê-la.

por Vilson A. Romero (AFTN e diretor de Direitos Sociais e Imprensa Livre da ARI-Associação Riograndense de Imprensa)