setembro 24, 2014

D E S T A Q U E S

Dignidade – Agente Fiscal de Rendas

Adermir Ramos da Silva (SP)

Um passo atrás com a reeleição de Alckmin…

Teo Franco (SP)

Resultado – Promoção 2011

Baixe a listagem completa (requer senha)

PR – Informação de caráter geral

Sebastião Amaro Viana Filho (SP)

Saiu o iCAT ref. 2º Trim/2014

Baixe a Planilha de cálculo

Amafresp

Edison Farah (SP)

Sete narizes

Carlos H. Peixoto (MG)

Paga-se muito imposto no Brasil?

João Batista Mezzomo (RS)

BLOG do AFR comemora 900 mil hits

A caminho do primeiro milhão de acessos…

Pena de morte

João Francisco Neto (SP)

Reforma Tributária Urgente – 11ª Parte

IVA Federativo Nacionalizado

Partilhas Comparadas

Antônio Sérgio Valente (SP)

Ponto de vista (requer senha)

Alexandro Afonso (SP)

A PEC dos magistrados

Charles Alcantara (PA)

Carnaval fora de época…

…e os gastos com o Conefip (requer senha)

Serviço público: O cemitério da motivação?

Hamilton Coimbra Carvalho (SP)

Justiça que Tarda 3

Gustavo Theodoro (SP)

Tabela de pontos do AFR é inconstitucional

Prof. Marcos de Aguiar Villas-Bôas

A falácia do choque gestão em Minas

João Batista Soares (MG)

Quadro de vagas Sefaz-SP – 31/12/13

Estimadas 1.016 vagas até o final deste ano

Queda de braço entre carreiras e atribuições

Correção para
qüinqüênios e sexta-parte

O Fisco violado e a cidadania ameaçada

Servidor sofre represália por denunciar ao MP

IR: ação contra limite de gastos com educação

Filiados do Sindifisco Nacional poderão deduzir…

Superman na malha fina da Receita

História em quadrinhos. Ed. 148 da revista

Revisão do subteto paulista é rejeitada

Assista ao vídeo

Fingimento irresponsável

Antonio C. Moura Campos (SP)

Estado e Desigualdade

Dão Real Pereira dos Santos (RS)

Auditor fiscal, fator de justiça social

Gilvan David (GO)

O ralo da corrupção

Vilson Antonio Romero (RS)

Os ralos do dinheiro público…

Clair Maria Hickmann (SP)

Não somos culpados meu Rei

Amadeu Robson Cordeiro (PB)

TJ: Adicionais devem incluir VPNI no cálculo

Correção para quinquênios e sexta-parte

Priorização da PEC 186/07

Glauco dos Santos Gouvêa (PB)

O sigilo fiscal e a transparência tributária

Prof. Eurico Marcos Diniz de Santi (FGV)

A Remuneração do Fisco. Nível Básico e Teto

Análise inédita dos fiscos estaduais. Requer senha

Remuneração dos magistrados paulistas

Saiba a remuneração e demais vantagens

EC 47/2005- Aposentadorias X Nomeações

Escalada de aposentadorias aumenta em 2014/15

outubro 24, 2014

Sindicato denuncia renúncia fiscal milionária

Prejuízo de mais de R$ 50 milhões aos cofres públicos

O Sindicato do Fisco de Alagoas denunciou, nesta quinta-feira (23), durante entrevista coletiva, a existência de um acordo feito pelo governo do Estado referente a compensação de dívida não reconhecida na Justiça. O acordo foi denunciado ao Ministério Público Estadual (MPE) e deve ser investigado. O sindicato pede que ele seja anulado e a dívida seja paga.

Fruto de impostos não pagos pelo Grupo Nivaldo Jatobá, a dívida total, no valor de R$ 55 milhões, foi reduzida a R$ 2 milhões, após os benefícios concedidos pelo governo do Estado. O grupo decidiu entrar em um programa de parcelamento incentivado da Secretaria de Estado da Fazenda, que garante o abatimento de multas e juros, reduzindo o valor devido para R$ 17 milhões, que deveriam ser pagos. Depois disso, o governo deu outro abatimento de R$ 15 milhões, alegando que devia o valor em razão dos prejuízos causados ao grupo Nivaldo Jatobá na época da construção da AL-101 Sul, no ano de 1991. A presidente do sindicato, Lúcia Beltrão, destaca:

Constatamos que o estado compensou créditos legalmente constituídos a troco de nada. Esse direito da empresa ainda não havia sido comprovado, até porque o primeiro processo foi anulado. Era uma dívida que já deveria ter sido autuada e o Estado abre mão, curiosamente mais uma vez, para o setor sucroalcooleiro [...] Saiba mais

Leia também:

LESA RONDÔNIA – O golpe de 1 bilhão e o Chico

Lesa Rondônia: Sindafisco se omite

Promotor que verificava regimes especiais em Minas é afastado da investigação

Ambev quita autuação de R$ 8,2 mi por fraude fiscal

Governo de Minas quer calar Sindifisco

O decreto fura-greve de Dilma

outubro 23, 2014

Sefaz Piauí: Saiu o edital para auditor e analista

Remuneração de R$ 11 mil para Auditor e R$ 8 mil para Analista

Foi publicado na terça-feira (21) o edital do Concurso Público para provimento de vagas de Analista e Auditor Fiscal da Secretaria da Fazenda. Ao todo, são oferecidas 20 vagas (10 para Auditor e 10 para Analista) e o certame tem como entidade organizadora a Fundação Carlos Chagas.  As inscrições poderão ser realizadas exclusivamente pela internet, no site da FCC,  a partir do dia 27 de outubro e se estenderão até 02 de dezembro.

O pré-requisito de escolaridade, para ambos os cargos, é Diploma de Graduação de Nível Superior em qualquer área de formação, que seja reconhecido pelo Ministério da Educação.

A previsão para realização das provas é de que ocorram no dia  1º de fevereiro de 2015 (Auditor Fiscal) e no dia 8 de fevereiro de 2015 (Analista do Tesouro Estadual) [...] Saiba mais

Todas as informações no link da Fundação Carlos Chagas

Leia também:

Concurso: Fisco português convoca inspectores tributários

Concurso: R$ 12 mil para auditor fiscal de Cuiabá

ICMS – Concursos previstos para 2014

Tags:
outubro 23, 2014

Na busca de votos, governador atende professores

Magistério garantiu uma série de avanços, junto ao governo estadual

Os anúncios, feitos a menos de uma semana do segundo turno, repercutiram na campanha de José Ivo Sartori (PMDB), que disputa o governo gaúcho contra Tarso Genro (PT).

Entre os acordos, firmados durante uma reunião na Casa Civil, aparecem concurso público para servidores de escola, ainda em dezembro; cancelamento do percentual de estorno no vale-refeição; promoções ainda em novembro; pagamento de adicional noturno para professores e servidores de escola, além da convocação imediata de mais 260 professores aprovados no concurso de 2013.

Para o coordenador de campanha de José Ivo Sartori (PMDB), Sebastião Melo, os anúncios tiveram caráter eleitoreiro:

O problema não é que esses encargos recaiam, em grande parte, sobre o próximo governo. O fato é que essa gestão teve quatro anos para governar e agora, a menos de uma semana da eleição, quer resolver os impasses com o magistério [...] Saiba mais

Leia também:

Servidores da Fazenda não terão correção salarial

Universidades: Depois de longa greve, abono é aprovado

Servidores do Fisco dizem que Governo deu ‘calote’

Alesp: Oposição será a menor desde 1998

[Charge] O sindicato e a margem de erro…

Um passo atrás com a reeleição de Alckmin… 

outubro 22, 2014

[Charge] Lulécio & Ludilma

lulecio-ludilma

+ Charges

Tags: ,
outubro 22, 2014

Amafresp compensa? (2)

Mesmo com aux. ressarcimento, plano top da Unafisco custa mais que Amafresp

Com base na campanha para adesões até 20/12/2014 da Unafisco Saúde (Plano de saúde dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil), o BLOG do AFR elaborou comparativo dos planos Soft e Premium com o da Amafresp, por faixa etária.

O objetivo desta publicação é de auxiliar na análise e decisão, especialmente dos colegas que tem dúvida na escolha. De outro modo, poderá servir, inclusive, se for o caso, para reivindicar ajustes e aperfeiçoamento da tabela junto à nossa associação. Confira:

planos.compara

(1) Rede contratada diretamente (médica, paramédica e odontológica) , Rede complementar Unimed (intercâmbio nacional), Rede complementar Uniodonto (intercâmbio nacional).

(2) Unimed básica (intercâmbio nacional) e Gama Saúde básica.

(3) Além da Rede Credenciada e do atendimento através da UNIPLAN (Unimed Nacional), oferece Convênio de Reciprocidade (formado com as entidades do Fisco de outros Estados para atendimento médico-hospitalar de urgência/emergência). Cota Out/14: R$ 385,00.

(4) O auxílio ressarcimento é um benefício indenizatório concedido aos Servidores Públicos da Administração Pública Federal, ativos, inativos e pensionistas que contratarem plano de assistência à saúde suplementar (nos limites estabelecidos pelo Governo Federal) desde que atendam às exigências contidas no termo de referência à Portaria Normativa SRH/MPOG nº 5 de 11 de Outubro de 2010.

Fontes de consulta:

Amafresp

Unafisco Saúde

Leia também:

Amafresp compensa?

Amafresp – Proposta para alterações

Duplicidade de tabelas da AMAFRESP? (Guto Sanches]

 

outubro 20, 2014

Concurso: Fisco português convoca 1.000 aprovados

Durante um ano de estágio o salário será de 1.304,46 euros

A Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) concentrou na direcção de finanças do distrito de Lisboa e nos serviços centrais da capital mais de metade das vagas abertas pelo concurso para reforçar o Fisco com mil novos inspectores tributários, para a realização de um estágio de um ano.

O Ministério das Finanças chegou a prever que os novos profissionais estariam no terreno em Setembro, mas só agora é que o recrutamento entra na fase final. Os candidatos já aprovados no concurso, em número superior ao de vagas, só na semana passada ficaram a saber a que locais de estágio podem concorrer. As candidaturas abriram nesta segunda-feira, estando previsto para Janeiro de 2015 a assinatura do contrato para começar o “período experimental” [...] Saiba mais

Grade de remuneração da carreira fiscal portuguesa:

inspeccaotrib-ptFONTE/LINK

Leia também:

Maranhão: 27% de reajuste ao Fisco

A Remuneração do Fisco. Nível Básico e Teto

Comparativo das Remunerações dos Fiscos Estaduais (requer senha)

outubro 20, 2014

Previdência SP: Liminar assegura regime próprio aos servidores que ingressaram até 23/06/14

happysmilyBenefício alcança, também, servidores oriundos de outras unidades federadas

O Órgão Especial do Tribunal de Justiça concedeu liminar em Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) proposta pelo Procurador-Geral de Justiça, Márcio Fernando Elias Rosa, e que assegura o regime próprio de previdência dos servidores públicos aos agentes públicos que ingressaram no serviço público estadual até 23 de junho de 2014, assim como aos que ingressaram oriundos de outras unidades federadas, sem solução de continuidade.

Para o Procurador-Geral de Justiça, deve-se declarar a inconstitucionalidade das expressões:

Aplica-se aos que ingressarem no serviço público estadual a partir da publicação desta lei” do § 1º do art. 1º e “de que trata o § 1º do artigo 1º desta lei” do art. 3º, da Lei n. 14.653, de 22 de dezembro de 2011, do Estado de São Paulo

ou dispensar interpretação conforme ao art. 126, §§ 14 a 16, da Constituição Estadual [...] Saiba mais

ACESSE:
Inicial da ADI e Acórdão concessivo da liminar

Leia também:

SPPrev – Conflito de casos julgados no TJ-SP

Ameaça à aposentadoria integral dos servidores públicos

Envelhecimento do quadro dos servidores cria onda de aposentadorias

outubro 18, 2014

[Charge] Eleições UFC Afresp

afresp-eleicoes

Fique por dentro: Menu Eleições Afresp

+ Charges

outubro 18, 2014

Dignidade – Agente Fiscal de Rendas

adermirAdermir Ramos da Silva*

O Agente Fiscal de Rendas, por natureza, é um abnegado. É olhado com desconfiança pela Administração, e odiado pelo público que nele distingue a mão cruel do Estado. Se o governo ou os escalões menores da administração geram, ou fazem gerar, leis e atos Jurídicos restritivos do direito do contribuinte, o fato é percebido como provindo do Agente Fiscal de Rendas que é o aplicador do direito em seu âmbito. Já por seu labor, esteio do Estado, é vítima costumeira de sanções arbitrarias, e truculências e desabono de sua qualidade.

Nos procedimentos disciplinares são julgados “a priori”, e autoridades administrativas e judiciárias tendem a ser preconceituosas em relação aos Agentes Fiscais de Rendas. Essa aversão é resultante de desempenharem função antipática: a cobrança de impostos, direta e indiretamente.

O Agente Fiscal de Rendas é um herói em constante perigo e inquietação, sua vida é continuamente investigada e é olhado com desdém pelo governo.

Esse cenário legitima ações que interponham contra o Executivo quando, por este, seus  direitos são vilipendiados. Agora é um desses momentos de exercitamento de direitos afrontados ilicitamente por omissão do Governo. Trata-se do tratamento dispensado ao pagamento da Participação nos Resultado instituída pela Lei Complementar nº 1059 de 18 de setembro de 2008 no artigo 1º inciso II e regrada por outros dispositivos e pela legislação.

O pagamento da Participação nos Resultados implica reconhecimento de obrigação afastadas as questões que puderem interferir. O pagamento tem sido feito, mas com atrasos sistemáticos e destempos corriqueiramente [...] Leia o artigo completo

*AFR aposentado, especialista em Direito Tributário pelo IBET e psicólogo formado pela USP. Atualmente, é Superintendente da Fundação Dorina Nowill para Cegos.

outubro 18, 2014

Procuradores da República querem receber 14.º e 15.º salários

redcardAGU contesta na Justiça pedido da Associação Nacional dos Procuradores da República

Na ação apresentada à Justiça, a ANPR alega que os procuradores da República teriam direito ao recebimento das mesmas parcelas concedidas aos parlamentares. O direito estaria baseado nos princípios da isonomia de vencimentos, nos termos da Lei nº 8.448/1992, até a regulamentação do Decreto Legislativo nº 210/2013.

Segundo os advogados, a ANPR sabe que a base do pedido em uma norma que já havia sido revogada desde a publicação da Emenda Constitucional nº 19/1998 e da Lei nº 10.593/2002. Para a AGU, a ação deve ser utilizada como um instrumento para resolução de conflitos e afirmação de direitos assegurados pelo ordenamento jurídico, e:

não como um meio ardiloso com fins contrários aos preceitos que devem guiar uma relação processual, como a lealdade e a boa-fé

A PRU1 pediu a condenação da ANPR por má-fé, demonstrando que uma entidade associativa formada por procuradores da República tem conhecimento jurídico suficiente para saber que um dispositivo legal foi revogado:

Logo, basear um pedido em legislação sabidamente revogada é uma atitude desleal, induz o juízo a erro, e assoberba a Justiça com pedidos contrários à ordem jurídica [...] Saiba mais

Leia também:

Procuradores vão receber auxílio moradia

Defensores Públicos querem auxílio alimentação nas férias

As castas de servidores públicos

outubro 17, 2014

Servidores da Fazenda não terão correção salarial

Governo discrimina servidores da Secretaria da Fazenda

A Secretaria de Planejamento e Gestão (MG) informou aos representantes sindicais dos servidores do Estado, que, segundo os cálculos previstos na Lei 19973/11 (revisão anual do vencimento), o percentual seria zero, mas que o Governo encaminhará projeto de lei à Assembleia Legislativa propondo correção de 6,5% para a maioria dos servidores.

Os sindicatos contestaram quando a SEPLAG informou que, em virtude da lei eleitoral, a revisão geral será paga somente a partir de 1 de janeiro de 2015.

A SEPLAG informou também que as carreiras da Secretaria de Fazenda, Polícia Civil, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Procuradoria e outras não serão contempladas com a correção, tendo em vista que estas carreiras tiveram ou terão correções, incorporações, aumento de gratificação que superam os 6,5% de revisão geral.

Os sindicatos que representam os servidores da Fazenda protestaram e questionaram o absurdo da discriminação do Governo, chamando atenção para o fato de que deste abril de 2012 não há revisão no vencimento, que incorporação não é aumento nem correção, apenas troca de sigla  [...] Saiba mais

Leia também:

Alesp: Oposição será a menor desde 1998

[Charge] O sindicato e a margem de erro…

Um passo atrás com a reeleição de Alckmin…

 

outubro 15, 2014

Salário baixo fez professor virar auditor fiscal

Estrutura precária torna o trabalho desestimulante

Mario de Pinho Filho*, de 43 anos, se considera “professor de coração”, mas abandonou a profissão decepcionado com a falta de estrutura na rede pública de ensino. Ele começou a carreira em 1991, ensinando para alunos da 1ª à 4ª série em uma escola de Santa Maria, no Distrito Federal. Depois, passou a lecionar matemática para jovens. Após 12 anos de trabalho, deixou as salas de aula.

Formado em matemática, com pós-graduação em direito tributário, o atual auditor da Receita Federal não esconde: foi o baixo salário da categoria que o fez mudar de caminho. Ele acumulava o cargo de professor de escola pública e agente penitenciário na Polícia Civil desde que se casou, em 1999, mas, quatro anos depois, teve de optar por somente um emprego.

Mesmo assim, Mario Pinho Filho tem o sonho de voltar a dar aula, ainda como professor de matemática. “Um sentimento reiterado”, segundo o auditor. “É um desejo de realização pessoal. Talvez num futuro não muito distante eu consiga fazer isso.” Ele diz que o único obstáculo para realizar esse anseio é a falta de tempo, devido ao dia a dia na Receita Federal [...] Leia a entrevista

* Secretario Geral do Sindifisco Nacional

Leia também:

Auditor fiscal e treinador

Auditor fiscal coleciona álbuns de todas as Copas

Vida de concurseiro: Livro do AFR Igor Nardelli

Passou no Concurso-AFR mas ficou com as bicicletas

outubro 14, 2014

Receita Federal vai nomear 278 aprovados

PORTARIA Nº 356, DE 10 DE OUTUBRO DE 2014
.
A MINISTRA DE ESTADO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO, no uso de suas atribuições e tendo em vista a delegação de competência prevista no art. 10 do Dec. 6.944/2009, resolve:
Art. 1º Autorizar a nomeação de 278 (duzentos e setenta e oito) candidatos aprovados no concurso público para o cargo de Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil, da Carreira de Auditoria da Receita Federal do Brasil, autorizado pela Portaria MP nº 51, de 18 de fevereiro de 2014 [...] Saiba mais
.
.
Leia também:
Tags:
outubro 14, 2014

Alesp: Oposição será a menor desde 1998

PT, PC do B e PSOL elegeram apenas 18 deputados

Com um histórico de atuações apagadas diante de maiorias governistas, a oposição na Assembleia Legislativa de São Paulo terá espaço ainda mais reduzido para contrapor e fiscalizar um novo mandato do governador Geraldo Alckmin (PSDB).

Na nova legislatura, o PT foi o responsável pela redução da bancada de oposição: a sigla perdeu oito cadeiras.

Na avaliação do líder da bancada petista, João Rillo, a diminuição do espaço da sigla deveu-se a fatores como a “criminalização do PT” pelo PSDB durante a campanha:

Nós precisamos repensar o modelo de oposição na Assembleia Legislativa de São Paulo. É necessário dialogar mais com os diferentes setores da sociedade.

O ex-prefeito de Guarulhos (SP) Elói Pietá, que atuou como líder do PT durante a legislatura de 1999 a 2002, lembra que a oposição não conseguiu, naquela época, instaurar nenhuma CPI. Não se conseguia fiscalizar a fundo a administração estadual e não havia diálogo do governo paulista com a oposição. Não se conseguia instalar CPI nenhuma ao menos que a base aliada quisesse. Era um completo domínio do governo [...] Saiba mais

Leia também:

Um passo atrás com a reeleição de Alckmin…

Cronologia do descaso

As castas de servidores públicos

Alckmin, Sinafresp e AFR’s

outubro 12, 2014

[Charge] O sindicato e a margem de erro…

reuniao_sina1Um passo atrás com a reeleição de Alckmin…

+Charges

outubro 11, 2014

Um passo atrás com a reeleição de Alckmin…

teo.seminariog3

Teo Franco

…pelo estilo de governo e visão política que conhecemos

Com Alckmin reeleito no 1º turno e a oposição menor na Alesp (de 29 para 20 deputados), o futuro dos servidores públicos paulistas não será fácil. A máquina do governador (rolo compressor) na Assembleia Legislativa é conhecida há tempos, só é votado aquilo que o Palácio dos Bandeirantes determina. Até na esfera federal, podemos lembrar, a influência de Alckmin na Reforma da Previdência com a criação do famigerado subteto estadual, em 2003, criando duas categorias de servidores públicos, os do Judiciário com 90,25% do STF e o resto.

No último dia 5 de outubro, os eleitores se esqueceram das manifestações de rua de 2013 e só lembraram do rigor no combate à recente greve dos metroviários. O candidato da situação, recebeu nas urnas a aprovação confortável do seu atual governo. Nem a crise hídrica foi capaz de trazer risco à vitória no 1º turno.

No nosso caso, a (vaga) promessa do sr. governador, noticiada unicamente pelo canal oficial (sindicato), de rever o subteto salarial, além do ‘início dos estudos’ de pontos críticos da LC 1059, nos remetem à uma necessária reorganização de estratégia, com a obrigatória convocação de Assembleia Geral. De preferência, sem prescindir do apoio da Afresp, principalmente pela carência de interlocutores, com a ‘derrota’ do colega Gilson Barreto (elo político na histórica audiência no Morumbi), sem falar na não reeleição dos colegas dep. estadual Vitor Sapienza e dep. federal João Dado.

Enquanto isso, podíamos tentar mudar, ao menos, o nosso sindicalismo de gabinete, começando a debater as questões ‘menores’ do dia a dia, além das ‘emergentes’, em especial, a validade da polêmica e régia contratação de advogados externos ao departamento jurídico sindical.

Só a nossa disposição, maturidade e união poderá salvar 2015!

Leia também:

Cronologia do descaso

As castas de servidores públicos

Alckmin, Sinafresp e AFR’s

Quadro do absurdo abuso de poder sindical (requer senha)

AGE que seria parlamentar, foi pra lamentar

5 pontos para um sindicato forte

Projeto de Formação de Liderança Sindical

Tags:
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.742 outros seguidores