abril 29, 2015

D E S T A Q U E S

Série “Os Príncipes da Republiqueta”

A dinâmica e a operacionalidade do judiciário tupiniquim

Edison Farah (SP)

Reduzir salário dos Fiscais para melhorar as contas públicas

Alexandro Afonso (SP)

Dilemas do ajuste fiscal

João Francisco Neto (SP)

Governo paulista concede benefícios a devedores do Estado

Baixe a planilha de cálculo

O tamanho da pedalada no AFR

Saiba qual o tamanho do rombo no seu salário

AFRs paulistas cobram pagamento de salário atrasado

PR trimestral só será paga em março de 2016

Crise de identidade do Auditor Fiscal

Rodrigo Guerra (AFRFB)

Substituição Tributária e a sanha arrecadatória de Minas

João Batista Soares (MG)

A incrível diferença dos salários: servidores x legisladores

Antonio Tuccilio (CNSP)

Sobre a PR do 1º Trimestre

Evolução do índice e data de pagamento

Fiscais de Rendas Descontentes e Esperançosos

Sebastião Amaro Viana Filho (SP)

Novas diretrizes em tempos de crise III

Gustavo Theodoro (SP)

Comando sindical em números

Quadro comparativo – Direção Sinafresp

O futuro do nosso cargo

Baixe a planilha de cálculo

Quanto vale um auditor fiscal?

Francisco das Chagas Barroso (RO)

A máfia da calcinha cor de rosa – Parte 1

Carlos H. Peixoto (MG)

PR – ICAT 2014 é publicado

Baixe a planilha de cálculo

Quadro de vagas Sefaz-SP em 31/12/2014

Estimadas 1.373 vagas até o final deste ano

Teto salarial. Quadro nacional

Fisco paulista na “zona de rebaixamento”

Enquanto isso, os magistrados…

TJ-SP: Juízes tem crédito de R$ 30 bilhões…

Ebook – O ICMS para os Municípios

Alcides Gimenes (SP)

Remuneração dos magistrados paulistas

Servidores de 1ª Classe com ganhos “eventuais”

Sefaz persegue fiscal combativo

Amadeu Robson Cordeiro (PB)

AFR’s fazem sua Primavera Árabe

Teo Franco (SP)

[Direito de resposta] Duvido, logo investigo

Antonio C. Moura Campos (SP)

Importância do papel e da valorização do AFR

Rodrigo Spada (presidente da Afresp)

Reforma Tributária Urgente: 14ª Parte

IVA Federativo Nacionalizado – Zona Franca

Antônio Sérgio Valente (SP)

Entrevista – Renato Villela, novo Sefaz-SP

“No momento o importante é não prometer

é preciso segurar, não ser tão generoso…”

Dignidade – Agente Fiscal de Rendas

Adermir Ramos da Silva (SP)

Paga-se muito imposto no Brasil?

João Batista Mezzomo (RS)

A PEC dos magistrados

Charles Alcantara (PA)

Serviço público: O cemitério da motivação?

Hamilton Coimbra Carvalho (SP)

Tabela de pontos do AFR é inconstitucional

Prof. Marcos de Aguiar Villas-Bôas

Queda de braço entre carreiras e atribuições

Correção para qüinqüênios e sexta-parte

O Fisco violado e a cidadania ameaçada

Servidor sofre represália por denunciar ao MP

IR: ação contra limite de gastos com educação

Filiados do Sindifisco Nacional poderão deduzir…

Superman na malha fina da Receita

História em quadrinhos. Ed. 148 da revista

Estado e Desigualdade

Dão Real Pereira dos Santos (RS)

Auditor fiscal, fator de justiça social

Gilvan David (GO)

O ralo da corrupção

Vilson Antonio Romero (RS)

Os ralos do dinheiro público…

Clair Maria Hickmann (SP)

TJ: Adicionais devem incluir VPNI no cálculo

Correção para quinquênios e sexta-parte

Priorização da PEC 186/07

Glauco dos Santos Gouvêa (PB)

O sigilo fiscal e a transparência tributária

Prof. Eurico Marcos Diniz de Santi (FGV)

A Remuneração do Fisco. Nível Básico e Teto

Análise inédita dos fiscos estaduais. Requer senha

EC 47/2005- Aposentadorias X Nomeações

Escalada de aposentadorias aumenta em 2014/15

agosto 19, 2015

Alckmin: “Atuação do AFR tem grande papel social”

“Temos 5 milhões de alunos e 5 mil escolas. Elas não funcionam se a Fazenda não funcionar bem”

“São Paulo tem o menor endividamento. O Estado foi saneado”

“Estamos investindo R$ 20 bi ao ano”

“Vocês [AFRs] são homens e mulheres da lei. A base da democracia é a lei, o respeito à lei”

Leia também:

[Video] Mega protesto de fiscais na Rangel Pestana

[Áudio] AIIM zero é notícia na CBN

Fiscais paulistas suspendem autuações

Justiça bloqueou R$ 38 mi para pagar auditores no RS

O tamanho da pedalada no AFR

Reduzir salário dos Fiscais pela redução da arrecadação

AFRs paulistas cobram pagamento de salário atrasado

agosto 18, 2015

[Video] Mega protesto de fiscais na Rangel Pestana

CBN noticia evento dos Agentes Fiscais paulistas

rangel-pestana

Clique na imagem para ver

Vídeo 2 [ TV Globo ]

Leia também:

[Áudio] AIIM zero é notícia na CBN

Fiscais paulistas suspendem autuações

Justiça bloqueou R$ 38 mi para pagar auditores no RS

O tamanho da pedalada no AFR

Reduzir salário dos Fiscais pela redução da arrecadação

AFRs paulistas cobram pagamento de salário atrasado

agosto 15, 2015

[Charge] da Série “Eu prometo”

sefaz-eu-prometo4

Resumo da reunião com Sefaz

+ Charges

Tags: ,
agosto 15, 2015

Jaulas de ferro

João Francisco Neto

“É a burocracia como forma de racionalização direcionando para modelos desenhados”

A partir do final do século XX, diante do desmonte de várias instituições, que até então funcionavam como sólidas fortalezas, o mundo passou a conviver com novos paradigmas, que resultaram em fatos como a desintegração das certezas do capitalismo e da modernidade, numa sociedade outrora estruturada em classes sociais, papéis dos gêneros, padrões de empregos para “a vida toda”, etc. Para o sociólogo polonês Zygmunt Bauman, a chamada sociedade pós-moderna passou de uma fase “sólida”, em que havia projetos simples e seguros, para uma fase “líquida”, num ambiente de múltiplas possibilidades, mas dominado pela angústia da incerteza.

Agora, com a desestabilização dos modelos clássicos de emprego, novas capacitações são exigidas a cada momento, ao passo que os trabalhadores veem-se na obrigação de se reciclar permanentemente, sob o temor de se tornar supérfluos ou ultrapassados, numa sociedade que vive na esteira das múltiplas e incessantes inovações tecnológicas. Criou-se então uma espécie de “presente eterno”, que descarta o valor das experiências passadas e valoriza os resultados imediatos. Não é de hoje que esses fenômenos têm sido observados. O sociólogo Max Weber (1864-1920), estudioso da sociedade capitalista, achava que o modo de organização do capitalismo clássico tornava possível uma previsibilidade em relação ao tempo, na medida em que as pessoas podiam elaborar narrativas estáveis para suas vidas, com planejamento de longo prazo de suas carreiras profissionais, por exemplo. Ao longo de quase todo o século XX, esse sistema funcionava como se fosse uma “pirâmide racionalizada”, em que cada posto e cada peça tinham ali uma função bem definida.

O modelo da pirâmide era tão sólido que praticamente dominou todas as instituições e o Estado, por excelência, até o final do século XX, quando vários acontecimentos acabaram por abalar os pilares desse modelo […] Continue lendo

Tags:
agosto 15, 2015

Operação Tartaruga dos Fiscais de Rendas

monica-bergamo2

monica-berg

agosto 15, 2015

Protegido: Resumo da reunião com Sefaz

Este conteúdo está protegido por senha. Para vê-lo, digite sua senha abaixo:

agosto 14, 2015

Crise com fiscais em SP faz número de autuações cair 93%

Radar On-line
por Lauro Jardim

Alckmin: Arrecadação comprometida

Com os agentes fiscais de São Paulo sem fazer autuações por não pagamento de ICMS desde o início de agosto (leia mais aqui), a primeira quinzena do mês terminou com apenas 50 autos de infração emitidos. Em meses normais, o número chega a 650 nas duas primeiras semanas.

O Sindicato dos Fiscais, que briga com Geraldo Alckmin pelo pagamento da participação trimestral de resultados, se reúne hoje à tarde com o Secretário da Fazenda paulista, Renato Vilela. Além de não fazerem autuações, os fiscais sequer têm ligado seus computadores uma vez a cada semana. Em resumo, a arrecadação, que já cai numa recessão, tomou um tombo com a greve branca dos fiscais paulistas.

Palavras do governador aos empossados 2013:

Divulgação oficial do evento de posse 2013:

agosto 13, 2015

[Charge] Carreiras iguais, pero no mucho

pec-443-9

MP e magistratura são contra a PEC 443

STF aprova aumento de salário dos próprios ministros

Série “Os Príncipes da Republiqueta”

+ Charges

Tags: ,
agosto 13, 2015

Série “Os Príncipes da Republiqueta”

Edison Farah

II – A dinâmica e a operacionalidade do judiciário tupiniquim

“Justiça que tarda não é justiça”
[Ruy Barbosa]

Trago mais um texto de Antônio  Fernando Pinheiro Pedro que assinala e demonstra como o Judiciário, pela sua  disfuncionalidade,  atenta  contra a democracia no dia a dia.

Afirmo há muito tempo que não temos a instituição “Justiça” no Brasil, e não a temos porque o Judiciário brasileiro abriga uma sósia da Justiça mitológica que, ao contrário da verdadeira,   não  é cega e nem surda, e que, acoitada pelas falhas estruturais e operacionais da instituição,  como se dá com todos os serviços públicos- da educação à saúde à segurança pública-, que são obrigações que um estado democrático de direito deve oferecer  aos seus cidadãos, o que  temos na prática é uma permanente  injustiça, mormente aos desabrigados da fortuna, a massa popular que, não tendo recursos para pagar profissionais de escol que sejam possuidores do fio de Ariadne, para percorrer o labirinto de Creta , chegar ao Minotauro, e domá-lo com os agrados que lhe acalmam, que no caso da mitologia, eram jovens que ele devorava… rsrsr

Quais serão as oferendas que acalmam os minotauros de hoje neste labirinto que é o Judiciário brasileiro? […] Continue lendo

Tags:
agosto 13, 2015

MP e magistratura são contra a PEC 443

“Emenda Constitucional não pode vincular a remuneração de servidores aos subsídios dos Ministros do STF”

A Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (CONAMP), a Associação dos Juízes do Brasil (Ajufe), a Associação Nacional dos Magistrados do Trabalho (Anamatra) e a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) publicaram nota conjunta contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 443 de 2009. A medida fixa o teto dos subsídios das carreiras da AGU e da Procuradoria dos Estados a 90,25% do que recebem os ministros STF. A alteração estende-se ainda à Defensoria Pública, aos delegados de Polícia Federal e Civil, e às Procuradorias Municipais.

Para a CONAMP, a proposta trata apenas da equiparação remuneratória com as carreiras jurídicas e desconsidera as restrições impostas a membros do MP e da magistratura pela Constituição Federal. Conforme o texto da Nota, a PEC 443/2009 despreza as diferenças existentes entre carreiras quanto à natureza, o grau de responsabilidade, a complexidade, os requisitos para a investidura e as peculiaridades dos cargos.

conamp

Íntegra da Nota Conjunta sobre a PEC 443/2009

Leia também:

STF aprova aumento de salário dos próprios ministros

Colhemos o que outros plantaram…

Remuneração dos magistrados paulistas

agosto 13, 2015

STF aprova aumento de salário dos próprios ministros

Lewandowski sugeriu que o salário de R$ 39,2 mil deixe de ser atrelado a outras categorias 

Em sessão administrativa nesta quarta-feira (12), os ministros do Supremo Tribunal Federal aprovaram o aumento dos próprios salários para o ano que vem, com reajuste no porcentual de 16,38% sobre os subsídios recebidos. Na prática, os vencimentos dos ministros passariam de R$ 33,7 mil, aproximadamente, para R$ 39,2 mil a partir do ano que vem. Antes, porém, o projeto ainda precisa ser encaminhado ao Poder Executivo e aprovado pelo Congresso.

O presidente do STF, ministro Ricardo Lewandowski, afirmou que o índice de reajuste para salário dos ministros levou em conta a recomposição de perdas inflacionárias de 2009 a 2014, a estimativa do IPCA de 2015 e um “resíduo” de reajuste que não foi atendido em pleito anterior.

Após a aprovação da proposta salarial para o próximo ano e da análise do reajuste para servidores do Judiciário, os ministros do Supremo passaram a debater a minuta para o novo Estatuto da Magistratura, que substituirá a Loman (Lei Orgânica da Magistratura Nacional), de 1979. Ao iniciar as discussões, o ministro Gilmar Mendes criticou os diversos benefícios concedidos nos Estados a juízes, classificando-os como uma “árvore de Natal” […] Saiba mais

Leia também:

Remuneração dos magistrados paulistas

agosto 12, 2015

Governador do Tocantins: Upgrade na remuneração dos Auditores Fiscais

Marcelo Carvalho Miranda (PMDB) reposiciona carreira do Fisco

Foi publicada no Diário Oficial do Estado, nesta terça-feira (11), a Medida Provisória nº 44, que altera as Leis 2.985/2015, e 1.609/2005. A medida, que ainda será apreciada pela Assembleia Legislativa, traz alterações no cargo de Auditor Fiscal da Receita Estadual a partir de 1º de maio de 2015.

A medida especifica que o incremento do quantitativo de padrões das quatro classes e o reposicionamento dos atuais ocupantes do cargo de Auditor Fiscal da Receita Estadual na tabela de vencimentos para a respectiva Carreira, processados na conformidade na Medida Provisória não gera aumento de despesa com pessoal além disso mantém os valores correspondentes aos vencimentos atualmente percebidos, calculados segundo o índice de 8,3407%, apurado no período de maio de 2014 a abril de 2015, aplicado na revisão geral anual dos servidores públicos da Administração Direta e Indireta do Poder Executivo do Estado do Tocantins, cujo processamento se dá, igualmente, em duas etapas.

tocantins01052015

tocantins01102015

Diário Oficial do Estado (pdf)

Leia também:

Teto salarial. Quadro naciona [Fisco paulista na “zona de rebaixamento”]

A Remuneração do Fisco. Nível Básico e Teto

agosto 11, 2015

Colhemos o que outros plantaram…

edisonf2webpEdison Farah

…não tivemos hombridade para resistir…

Diletos AFRs,

O manifesto do Pedro Delarue que transcrevo abaixo, dirigido aos colegas federais, na batalha que se dá nestes dias na “digna” Câmara dos “ínclitos” representantes do povo, elucida igualmente o processo havido na SEFAZ/SP, simultâneo e consentâneo, desde 1995, com o aviltamento e desvalorização da figura do Auditor Fiscal. Este processo foi a implementação do projeto engendrado pelo PSDB desde 1995, como tantas vezes denunciamos. Foi igualzinho na SEFAZ, no acordo da CAT com o BID, em 2001, coadjuvado pelo MBC-Movimento Brasil Competitivo, criado pelos grandes empresários brasileiros, que através seu braço operacional, o INDG-Instituto de Desenvolvimento Gerencial, assessorados por técnicos americanos, com o mote de modernizar as instituições nacionais, infiltrou-se de tal forma no Estado brasileiro, nos ministérios em Brasília, chegando a ter área privativa para trabalho na sede da SEFAZ/SP, um escândalo institucional! Tem a ver com a teoria do estado mínimo do neoliberalismo que domina o planeta e sufoca as nações.

Provado e assinado, projeto do PSDB para preparar a terceirização do fisco no Brasil, pois ao igualar as funções de suporte às do agente fiscal, tiram o valor da investidura como autoridade com poder de polícia-polícia fiscal-, que possui o auditor fiscal.

Reportemo-nos à perfeita tese do Rodrigo Guerra [aqui], já aqui publicada, que é especialmente assertivo na identificação da causa da decadência da carreira: a questão fulcral é a hermenêutica jurídica tributária, o exercício do julgamento e a aplicação da legislação! Sem isso, a carreira deixa de ser específica de estado, pois funções a serem executadas seguindo manuais e receitas prontas, – as milhares de normas cerceantes da liberdade do auditor como as temos na SEFAZ-, é trabalho que pode ser feito por técnicos, ou por máquinas….

Atentem para a clareza do manifesto que segue. Os grifos são meus […] Continue lendo

Tags:
agosto 11, 2015

[Charge] Alienados e alienígenas

mib3

Lavratura de AIIM tem forte queda em agosto

Estoque de Gdoc teve aumento de 16,75% na primeira semana de agosto

+ Charges

agosto 10, 2015

Reduzir salário dos Fiscais para melhorar as contas públicas

alexandroafonsoAlexandro Afonso

A CAT, os Agentes Fiscais de Rendas e o Orçamento da CAT

É inquietante estar sob ameaça de redução salarial. Vamos ao ponto: este texto é para AFRs e, por isto, não vou explicar as coisas em mínimos detalhes. São alguns argumentos a mais para que nós possamos defender o Estado de São Paulo de uma ofensiva do representante eleito pelo próprio Estado de São Paulo.

Como o governo propôs cortar nosso salário, vamos olhar a evolução do orçamento da CAT, a arrecadação efetiva de 2011 a 2014, a parcial de 2015 e a previsão para 2014 e 2015 (do orçamento) para saber se estamos tão pesados quanto o governo tenta fazer parecer. Depois vamos colocar o orçamento da CAT e a proposta de aumento de 23% do gasto com a CAT ao lado da Receita Tributária e ver o nosso peso real.

Explicando para quem não é AFR, e isto inclui o Secretário da Fazenda e o Governador, os AFRs são os responsáveis tanto por aumentar a arrecadação quanto por mantê-la onde ela está. Logo, aumentar o gasto com a CAT é investir na solidez das receitas e no seu provável avanço.  O contrário não é absurdo.

Apresento uma sequência de imagens (gráficos) autoexplicativa:

003

*2015 pelo avanço até o último mês divulgado

Manter a CAT significa manter o gasto com a CAT em uma porcentagem da Receita Tributária. Ou seja, no mínimo manter a evolução do orçamento da CAT de acordo com a evolução da Receita Tributária. A todo hora são “inventados” novos tipos de fraudes e a CAT precisa continuar no combate a esses desvios. Vejamos quanto a CAT já foi reduzida e quanto de redução a mais está sendo proposto […] Continue lendo

agosto 9, 2015

Dilemas do ajuste fiscal

João Francisco Neto

O governo não hesitou em se valer das já famosas “pedaladas fiscais”, uma das modalidades da chamada “contabilidade criativa”

Desde há muito vinha a necessidade de se aplicar um ajuste fiscal, que se tornou um imperativo logo após a posse do novo “governo velho”. Todavia, diariamente vemos que essa tarefa não tem sido nada fácil para o governo, em face das contingências políticas do momento, aliadas à já conhecida dificuldade de se promover uma correção do desequilíbrio fiscal por meio de cortes nos gastos públicos. Desnecessário dizer que o último ajuste fiscal ocorrido no Brasil se deu mais pela via do aumento da arrecadação tributária do que corte de gastos. Essa modalidade (a do aumento da arrecadação), embora seja aparentemente de mais fácil aplicação, costuma provocar o fenômeno chamado pelos economistas de “efeito cremalheira”, ou seja, um eventual crescimento das receitas abre espaço para a expansão dos gastos públicos, muitos deles vinculados a programas de seguridade social e assistencialismo […] Continue lendo

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 2.269 outros seguidores